PT
BR
Pesquisar
Definições



embaixada

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
embaixadaembaixada
( em·bai·xa·da

em·bai·xa·da

)


nome feminino

1. Missão dada a um embaixador; missão que representa um chefe de Estado junto de um outro Estado.

2. Casa do embaixador.

3. Mensagem de um legado a um soberano.

4. [Figurado] [Figurado] Mensagem; comissão.

5. [Brasil] [Brasil] [Futebol] [Futebol] Sucessão de toques, com um ou ambos os pés, para manter a bola no ar.

etimologiaOrigem etimológica:francês ambassade, do italiano ambasciata.

Auxiliares de tradução

Traduzir "embaixada" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



As palavras segmentos e seguimentos têm o mesmo significado? Ambas podem ser empregadas na seguinte frase: ... em cooperação com outros seguimentos [ou segmentos?], tais como órgãos públicos, universidades?
As palavras segmentos e seguimentos (que se pronunciam de modo semelhante no português do Brasil, mas não no de Portugal) não são sinónimas, ou seja, não têm o mesmo significado, como pode verificar seguindo as respectivas hiperligações para o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Como tal, na frase que refere, a palavra que deve ser usada é segmentos, designando “sectores” (...em cooperação com outros segmentos, tais como órgãos públicos, universidades).



Como se classifica gramaticalmente a forma levemo-lo?
Gramaticalmente, levemo-lo corresponde a uma forma do verbo levar na primeira pessoa do plural do imperativo (ex.: amigos, levemos isto daqui já), seguido do pronome átono o, que assume a forma -lo por estar a seguir a uma forma verbal terminada num -s (que desaparece: levemos + o = levemo-lo).

A forma levemos, isoladamente, poderá corresponder também ao presente do conjuntivo (ex.: é preciso que levemos isto daqui), mas, como tem o pronome átono em posição enclítica (depois do verbo), não corresponde a esse tempo, pois o presente do conjuntivo é normalmente antecedido da conjunção que, com propriedades de atracção do pronome átono (ex.: é preciso que o levemos daqui), não sendo considerada gramatical uma construção proclítica nesse caso (ex.: *é preciso que levemo-lo daqui).