PT
BR
Pesquisar
Definições



pagamento

A forma pagamentopode ser [derivação masculino singular de pagarpagar] ou [nome masculino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
pagamentopagamento
( pa·ga·men·to

pa·ga·men·to

)


nome masculino

1. Acto ou efeito de pagar.

2. Valor pago ou recebido por um bem ou serviço. = REMUNERAÇÃO

3. Quantia a pagar.

4. Aquilo que é pago ou recebido.


a pronto pagamento

Com pagamento imediato no momento de compra ou de entrega (ex.: compra a pronto pagamento; vender a pronto pagamento). = A PRONTO

sinonimo ou antonimoSinónimoSinônimo geral: PAGA

etimologiaOrigem etimológica:pagar + -mento.
pagarpagar
( pa·gar

pa·gar

)
Conjugação:regular.
Particípio:abundante.


verbo transitivo

1. Dar o preço estipulado por (coisa vendida ou serviço feito).

2. Satisfazer (uma dívida, um encargo).

3. Remunerar, recompensar.

4. Sofrer as consequências (ex.: pagar os erros). = EXPIAR

5. Ser castigado em lugar de outrem (ex.: paga o justo pelo pecador).

6. [Antigo] [Antigo] Aplacar, apaziguar.


verbo intransitivo

7. Embolsar alguém do que lhe é devido.


verbo pronominal

8. Descontar (do que se há-de entregar) a parte que é devida.

9. Indemnizar-se.

10. Vingar-se, desforrar-se.


pagar bem

Ser pontual ou generoso no pagamento.

pagar caro

Sofrer consequências pesadas ou graves.

pagar mal

Não ser pontual ou não ser generoso no pagamento.

pagar para ver

Ter dúvidas ou estar incrédulo em relação a algo.

etimologiaOrigem etimológica:latim paco, -are, pacificar, domar, cultivar.

Auxiliares de tradução

Traduzir "pagamento" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Tenho verificado a existência, ao longo do país , de repetição de topónimos; por exemplo: Trofa, Gondar, Bustelo. Qual é a etimologia dessas palavras?
Segundo o Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa (3.ª ed., Lisboa: Livros Horizonte, 3 vol., 2003), de José Pedro Machado, o topónimo Bustelo, muito frequente em Portugal e na Galiza, talvez seja diminutivo de busto ‘campo de pastagem’. Quanto a Gondar, o autor aventa a hipótese de provir de uma hipotética forma gótica (ou goda) Gunthi-harjis ‘exército para combate’. Por fim, o topónimo Trofa é de origem obscura.



Qual das expressões é a correcta: de forma a ou por forma a? Caso ambas estejam correctas, qual a diferença entre elas e quando usar uma ou outra?
As duas expressões estão correctas e são locuções prepositivas sinónimas, significando ambas “para”, “a fim de” ou “de modo a” e indicando um fim ou objectivo (ex.: procedeu cautelosamente de forma a/por forma a evitar erros), sendo a locução por forma a menos usada que de forma a, como se pode verificar pela pesquisa em corpora e motores de busca na internet. Ambas se encontram registadas em dicionários de língua portuguesa.

Estas duas expressões, construídas com a preposição a, pertencem a um conjunto de locuções (do qual fazem parte de modo a ou de maneira a) cujo uso é desaconselhado por alguns puristas, com o argumento de que se trata de expressões de influência francesa, o que, neste caso, não parece constituir argumento suficiente para as considerar incorrectas. Acresce ainda que, em qualquer dos casos, locuções prepositivas como de/por forma a, de maneira a ou de modo a desempenham a mesma função da preposição para, que neste contexto introduz frases subordinadas infinitivas adverbiais de fim (ex.: procedeu cautelosamente para evitar erros), da mesma forma que, com alterações ao nível dos tempos verbais, as locuções conjuncionais de/por forma que, de maneira que ou de modo que desempenham a função da locução conjuncional para que, que neste contexto introduz frases subordinadas finitas adverbiais de fim (ex.: procedeu cautelosamente para que evitasse erros). Não parece assim haver motivo para deixar de usar umas ou outras.