Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub

O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (DPLP) é um dicionário de português contemporâneo com cerca de 133 000 entradas lexicais, incluindo locuções e fraseologias, cuja nomenclatura compreende o vocabulário geral e os termos mais comuns das principais áreas científicas e técnicas. O dicionário contém sinónimossinônimos e antónimos antônimos por acepçãoaceçãoacepção e permite ainda a conjugação verbal. É também possível consultar informação sobre a origem da maioria das palavras e indicações de pronúncia.

O DPLP permite a consulta de acordo com a norma do português europeu ou de acordo com a do português do Brasil, com ou sem as alterações gráficas previstas pelo Acordo Ortográfico de 1990. Para informações pormenorizadas, deverá aceder à secção Como consultar. Quaisquer sugestões ou correcçõescorreçõescorreções devem ser enviadas para dicionario@priberam.pt.

A presente versão do DPLP foi adaptada às novas tecnologias Web e reformulada para facilitar o acesso a partir de qualquer tipo de dispositivos - desktop, tablet e mobile. Para além das mudanças em termos de tecnologia, apresenta também mudanças visuais, para facilitar a leitura e a compreensão do dicionário, e conteúdo adicional, como, por exemplo, a visualização de anagramas, palavras relacionadas, divisão silábica, imagens ilustrativas das acepçõesaceçõesacepções e dúvidas linguísticas.

A Priberam agradece o envio de comentários para dicionario@priberam.pt.

Boas consultas!

O Ano em Palavras

"O Ano em Palavras" apresenta algumas das palavras mais pesquisadas ao longo do ano no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa que reflectemrefletemrefletem alguns dos principais acontecimentos portugueses e internacionais. Pelo segundo ano, em parceria com a agência de notícias Lusa, mostramos as notícias que levaram os mais curiosos a fazer pesquisas no Dicionário Priberam. As palavras são apresentadas cronologicamente, de Janeirojaneirojaneiro a Dezembrodezembrodezembro, com uma fotografia, permitindo um retrato rápido do ano de 2018.

pub

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber se o feminino de anjo é anja e se está certo.
Não entrando na questão do sexo dos anjos (serão ou não seres assexuados?), a palavra anjo é um substantivo sobrecomum, isto é, tem um só género gramatical (é masculina: o anjo era bonito) mas designa indivíduos de ambos os sexos, não apresentando por isso uma forma feminina *anja.

O mesmo se passa, aliás, com os substantivos femininos pessoa, testemunha ou vítima, por exemplo, que designam ambos os sexos, não existindo as formas masculinas *pessoo ou *vítimo e correspondendo testemunho a outro significado, que não o feminino de testemunha.

Nestes casos, quando se quer discriminar o sexo do indivíduo, usa-se uma expressão como a pessoa do sexo feminino, a testemuna masculina, a vítima do sexo masculino. O mesmo se poderá fazer no caso de anjo: o anjo do sexo feminino.




Aproveito, em primeira ordem, para vos agradecer pelo serviço prestado à sociedade. O vosso portal é uma ferramenta imprescindível no meu quotidiano, não crendo eu ser, de todo, um caso isolado. Dito isto, venho alertar-vos para o erro existente no template da conjugação verbal, mais precisamente no modo conjuntivo: A substituir: que eu tivesse -> se eu tivesse se eu tiver -> quando eu tiver
A apresentação do conjuntivo na tabela de conjugação dos verbos usa exemplos contextuais para que a sua leitura seja mais clara para os consulentes, mas não implica que sejam aqueles os únicos contextos em que as formas do conjuntivo possam ser usadas.

Assim, o pretérito imperfeito do conjuntivo pode ser usado em frases como “Gostava que tivesses melhores notas na escola” ou “Se eles tivessem muito dinheiro, podiam viajar mais”. O mesmo pode ser dito em relação ao futuro do conjuntivo, possível em frases como “Se eu tiver tempo, ajudo-te” ou “Quando nós tivermos o jantar pronto, chamamos-vos”.

Como pode verificar pelos exemplos acima expostos, não se trata de um erro do conjugador, mas apenas uma opção de contextualização das formas verbais apresentadas, uma vez que o conjuntivo é de um modo geral usado após conjunções subordinativas como “se”, “quando” ou “que”, para expressar desejo, dúvida, incerteza ou possibilidade.

Palavra do dia

jor·gen·se jor·gen·se
([São] Jorge, topónimo + -ense)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. Relativo ou pertencente à ilha de São Jorge, no arquipélago dos Açores.

substantivo de dois géneros

2. Natural ou habitante da ilha de São Jorge.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/default.aspx [consultado em 23-04-2019]