Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
consulesaconsulesa | s. f.
fem. sing. de cônsulcônsul
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

con·su·le·sa |ê| con·su·le·sa |ê|
(cônsul + -esa)
substantivo feminino

1. Mulher que é agente oficial de um país em território estrangeiro, encarregada de lhe promover os interesses e de proteger os seus nacionais em localidades onde não há embaixada. (Masculino: cônsul.)

2. [Informal]   [Informal]  Esposa do cônsul.


côn·sul côn·sul
(latim consul, -ulis)
substantivo masculino

1. Agente oficial de um país em território estrangeiro, encarregado de lhe promover os interesses e de proteger os seus nacionais em localidades onde não há embaixada. (Feminino: consulesa.)

2. [História]   [História]  Um dos três magistrados supremos da França de 1799 a 1804.

3. [História]   [História]  Cada um dos primeiros magistrados da Roma antiga.

Plural: cônsules.Plural: cônsules.
pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "consulesa" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Como se escreve: apologia a alguma coisa ou apologia de alguma coisa?
Ambas as preposições podem ser usadas com o substantivo apologia (ex.: fez a apologia do individualismo; foi expulso do partido por fazer a apologia à discriminação racial), como pode confirmar no Dicionário de Regimes de Substantivos e Adjetivos, de Francisco Fernandes (25.ª Ed., São Paulo, Editora Globo, 2000). No entanto, pesquisas em corpora e motores de pesquisa da Internet revelam que a preposição de é bastante mais usada com este substantivo do que a preposição a.



O FLIP4 considera errado contraofensiva, propondo contra-ofensiva. Todavia, segundo o Acordo Ortográfico Da Língua Portuguesa de 1990 ainda em vigor, pode ver-se na sua BASE XVI, Art.º 1.º, Alínea b) que a vossa proposta está errada. De facto, diz-se ali (só se emprega o hífen nos seguintes casos) «Nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo termina na mesma vogal com que se inicia o segundo elemento: anti-ibérico, contra-almirante, infra-axilar, supra-auricular [...], semi-interno.»
A ortografia vigente em Portugal à data do lançamento do FLiP 4 (2002) seguia o Acordo Ortográfico de 1945 (1), que estipula, na Base XXIX, que o hífen se emprega em "compostos formados com os prefixos contra, extra (exceptuando-se extraordinário), infra, intra, supra e ultra, quando o segundo elemento tem vida à parte e começa por vogal, h, r ou s: contra-almirante, contra-ataque, contra-estrutura, contra-harmónico, contra-indicação [...]".

(1) Mais tarde, em 1971 e 1973, foram promulgadas leis, em Portugal e no Brasil, que visavam reduzir as divergências de ortografia entre os dois países. Em 1986 foi redigido um novo texto de homogeneização ortográfica que, devido às reacções públicas obtidas, não chegou a entrar em vigor. O Acordo de 1990, apesar de pretender ser um compromisso entre o texto de 1945 e o de 1986, só entrou em vigor em 13 de Maio de 2009.

pub

Palavra do dia

fa·ba·ge·la |é| fa·ba·ge·la |é|
(francês fabagelle)
substantivo feminino

[Botânica]   [Botânica]  Planta (Zygophyllum fabago) da família das zigofiláceas.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/consulesa [consultado em 15-10-2019]