Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

uso

usouso | n. m.
1ª pess. sing. pres. ind. de usarusar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

u·so u·so


nome masculino

1. Acto ou efeito de usar.

2. Emprego frequente.

3. Hábito local, costume particular.

4. Costume, hábito, usança, prática consagrada e constante.

5. Emprego de qualquer meio.

6. Exercício.

7. Acto ou efeito de se servir de algo; aplicação, emprego.

8. Utilidade, serviço, préstimo, serventia.

9. Continuação, frequência.

10. Conhecimento adquirido pela prática.

11. A própria prática.

12. Emprego; vigor.

13. Moda.

14. [Direito]   [Direito]  Direito de se servir de coisa alheia só enquanto o exigirem as necessidades pessoais quotidianas (chamado também direito de uso).

Confrontar: uzo.

u·sar u·sar

- ConjugarConjugar

verbo transitivo

1. Pôr em uso, pôr em prática. (Usa-se também com a preposição de.)

2. Costumar, ter por hábito.

3. Empregar, servir-se de.

4. Deteriorar pelo uso, cotiar.

5. Trazer habitualmente.

verbo pronominal

6. Deteriorar-se, gastar-se com o uso.

7. Estar em moda ou em costume.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "uso" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

...nos quiserem acompanhar (escusado será sublinhar: respeitando as fundamentais regras de segurança, nomeadamente no uso de máscaras e na lotação do espaço)..

Em sound + vision

Sampaio, improvavelmente, ascendeu ao topo, fazendo profusamente uso das virtudes que Mirabeau não teve, principalmente esta: uma inatacável

Em De Rerum Natura

Hoje, às 00h00, terminou a obrigatoriedade do " uso de máscara por pessoas com idade a partir dos 10 anos para o acesso,...

Em estado de Barrancos

" actualmente em uso ..

Em Ver

Um dos principais, foi o uso de máscaras de proteção descartáveis, comprovadamente mais eficientes para se proteger

Em a peida é um regalo ... do nariz a gente trata
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Na frase «O sentinela era um jovem soldado sem nome.» está correctamente aplicado o artigo definido masculino singular «O», ou deverá antes aplicar-se o artigo definido feminino «A» precedendo o nome «sentinela»? Em diferentes textos, surgem as duas diferentes formas, o que me levou a aperceber-me de uma vacilação de género; qual a preferível? E em relação a «ordenança» (enquanto soldado)?
A palavra sentinela designa, numa das suas acepções, o soldado ou, em contextos civis, a pessoa encarregada de efectuar a vigilância. Apesar de poder designar uma pessoa de sexo masculino, esta palavra surge nos dicionários como substantivo sobrecomum, registada apenas com o género feminino, à semelhança de outras palavras como criança ou pessoa. Por este motivo, será aconselhável a frase "A sentinela era um jovem soldado sem nome."

Apesar de o caso de ordenança poder parecer semelhante, o registo em dicionários confere-lhe habitualmente classificação lexical de substantivo de dois géneros, o que faz com que seja possível "O ordenança era um jovem soldado sem nome."

Esta questão varia consoante algumas especificidades lexicais de cada palavra, mas também consoante as actualizações lexicográficas feitas pelos dicionários a partir dos usos linguísticos ou de alterações sociais, culturais ou tecnológicas. O caso é porventura um pouco diferente, mas veja-se, a título de exemplo, a palavra segurança, que passou a ter, nas últimas décadas, uma acepção de substantivo de dois géneros.




Colibri diz-se: Culibri? ou Colibri (com o som do -o- aberto)? Li que a sílaba acentuada é a última? Sendo aguda, que som tem a sílaba Co-? E porquê, ou seja qual é a regra para a pronunciação desta palavra?
Na questão colocada, está em causa a qualidade da vogal de uma sílaba átona, e não a sua acentuação (a palavra é sempre acentuada na última sílaba: colibri).

A letra o pode corresponder ao som [o], como em avô ou dor, ao som [ɔ], como em avó ou corda, ou ao som [u], como em comida ou carro.

No português europeu, como regra geral (com muitas excepções), as vogais que não pertencem a uma sílaba tónica são elevadas. Por exemplo, no caso da vogal o das palavras corda e cordão, o som [ɔ] (vogal mais baixa) da palavra corda (com acento tónico em cor) passa a pronunciar-se [u] (vogal mais alta) em cordão pois a sílaba tónica passou a ser a última cordão. Esta regra geral pode aplicar-se a colibri (como a sílaba tónica é bri, a sílaba co- pode pronunciar-se [ku]), mas no caso desta palavra, há informação lexical, isto é, relativa à própria palavra e não às regras mais gerais da língua, que faz com que, por motivos etimológicos ou outros, a maioria dos falantes pronuncie [kɔ]libri. Esta é então também a pronúncia registada no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia da Ciências/Verbo e, posteriormente, no Grande Dicionário Língua Portuguesa, da Porto Editora.

pub

Palavra do dia

ul·tra·con·ge·la·ção ul·tra·con·ge·la·ção


(ultra- + congelação)
nome feminino

Processo de congelação a uma temperatura muito baixa, geralmente inferior a 40 graus negativos, e num curto período de tempo, para melhor conservar características físicas e químicas (ex.: ultracongelação do pescado).

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/uso [consultado em 22-09-2021]