PT
BR
Pesquisar
Definições



cara

A forma carapode ser [feminino singular de carocaro], [nome de dois géneros], [nome feminino] ou [nome masculino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
caracara
( ca·ra

ca·ra

)


nome feminino

1. Parte anterior da cabeça. = FACE, ROSTO

2. [Figurado] [Figurado] Expressão da face (ex.: cara alegre). = FISIONOMIA, SEMBLANTE

3. [Por extensão] [Por extensão] Frente ou lado anterior de certos objectos.

4. Aspecto exterior de algo. = APARÊNCIA, AR

5. Lado da moeda em que está a efígie.

6. Atrevimento, ousadia.


nome masculino

7. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Pessoa de quem se omite ou desconhece o nome. = SUJEITO, TIPO

8. [Tauromaquia] [Tauromaquia] Forcado que se agarra ao touro pela frente e tenta subjugá-lo.


nome de dois géneros

9. [Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Forma de tratamento usada como vocativo ou como incitamento (ex.: vamos lá, cara?).


andar de cara à banda

[Informal] [Informal] O mesmo que ficar de cara à banda.

atirar à cara

[Informal] [Informal] Fazer críticas ou censuras em presença da pessoa em causa. = EXPROBRAR, LANÇAR EM ROSTO

Recordar favores prestados ou factos passados, na presença da pessoa interveniente.

bater com a cara na porta

[Informal] [Informal] Encontrar encerrado um espaço, um estabelecimento, uma casa, não conseguindo alcançar quem ou o que se procurava. = BATER COM O NARIZ NA PORTA

cara a cara

Em posição em que um está diante do outro. = FACE A FACE, FRENTE A FRENTE

De modo frontal ou directo; sem subterfúgios (ex.: fez as críticas cara a cara). = FRONTALMENTE

cara de caso

Ar sério de preocupação ou de apreensão.

cara de cu

[Calão, Depreciativo] [Tabuísmo, Depreciativo] Semblante descontente ou contrariado (ex.: ficar com cara de cu).

[Calão, Depreciativo] [Tabuísmo, Depreciativo] Expressão usada com o intuito de insultar a pessoa a quem é dirigida (ex.: sai da frente, cara de cu).

cara de enterro

[Informal] [Informal] Semblante triste ou grave (ex.: estão todos com cara de enterro).

cara de Páscoa

Rosto alegre, pessoa risonha e prazenteira.

cara de pergaminho

Faces secas e enrugadas.

cara de poucos amigos

[Informal] [Informal] De mau humor; com ar severo (ex.: o sujeito, corpulento, cara de poucos amigos, nem sequer respondeu à pergunta). = CARRANCUDO

cara de tacho

[Informal] [Informal] Ar desapontado ou surpreendido (ex.: a pergunta deixou o entrevistado com cara de tacho).

cara de vergalho

[Informal] [Informal] Rosto carrancudo, que denota mau humor ou antipatia.

cara ou coroa

Jogo em que se atira ao ar uma moeda, ganhando o jogador que adivinhar qual dos lados ficará para cima.

Pergunta que se faz antes de se jogar uma moeda ao ar para decidir uma questão ou fazer uma escolha.

com cara de asno

[Informal] [Informal] Desapontado, de boca aberta.

dar a cara

[Informal] [Informal] Assumir a responsabilidade por algo.

dar com a cara na porta

[Informal] [Informal] O mesmo que bater com a cara na porta.

encher a cara

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Beber muito, até ficar bêbedo. = EMBEBEDAR-SE, EMBRIAGAR-SE

estar na cara

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Ser evidente; ser óbvio (ex.: estava na cara que isso não ia dar certo).

fazer cara feia

[Informal] [Informal] Mostrar desagrado ou rejeição (ex.: não adianta fazer cara feia, eles não vão recuar na venda do apartamento).

ficar de cara à banda

[Informal] [Informal] Sentir-se envergonhado, humilhado.

ir com a cara de

[Informal] [Informal] Simpatizar (ex.: acho que ele não foi com a minha cara).

mandar à cara

[Informal] [Informal] O mesmo que atirar à cara.

perder a cara

Ficar desacreditado ou malvisto. = PERDER A FACE

quebrar a cara

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Não alcançar o resultado esperado; não ser bem-sucedido. = FALHAR, FRACASSAR

[Brasil, Informal] [Brasil, Informal] Passar vergonha.

ter duas caras

[Informal] [Informal] Ser falso, hipócrita ou desonesto.

etimologiaOrigem etimológica:latim cara, -ae, face, rosto, do grego kára, cabeça.
carocaro
( ca·ro

ca·ro

)


adjectivoadjetivo

1. Que custa mais dinheiro que aquele que se pode ou se quer gastar.

2. Que custa mais dinheiro que habitualmente.

3. Que exige grande despesa.

4. Que custa sacrifícios, perdas, etc.

5. Querido, estimado.


advérbio

6. Por alto preço.

7. Com grande trabalho.


nome masculino

8. [Botânica] [Botânica] Género de plantas umbelíferas.

9. [Náutica] [Náutica] Parte superior ou mais grossa de uma verga latina ou triangular.


fazer-se caro

Fingir-se desinteressado para que os pedidos ou as vantagens aumentem; fazer-se rogado.

Auxiliares de tradução

Traduzir "cara" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Quanto a comparações de inigualdade, ou seja, de superioridade ou de inferioridade, existirá uma regra absoluta para decifrar se se usa que ou do que ou ambas estarão correctas em qualquer expressão dessa estrutura? Para um falante em que o Português não é a primeira língua, seria bastante útil. Incluo as seguintes expressões para vossa análise: 1) O castelo é mais antigo que a igreja. 2) Hoje as laranjas estão menos baratas que as maçãs. 3) Nós compramos mais livros que vendemos. 4) O Paulo é mais grande do que gordo. 5a) O João tem mais de um carro. b) O João tem mais dum carro. c) O João tem mais do que um carro. d) O João tem mais que um carro.
As frases de 1) a 5) apresentam diferentes construções de comparativos relativos de superioridade e de inferioridade.

Em português, é possível formar os graus comparativos de superioridade e de inferioridade dos adjectivos usando os advérbios mais e menos seguidos da locução do que (ex.: o castelo é mais antigo do que a igreja; a igreja é menos antiga do que o castelo), podendo haver omissão da contracção da preposição de com o pronome demonstrativo invariável o (ex.: o castelo é mais antigo que a igreja; a igreja é menos antiga que o castelo). Esta construção aplica-se às frases apontadas em 1), 2) e 4).

Na frase 3) está presente um comparativo de superioridade relativo a um substantivo (ex.: nós compramos mais livros [do] que vendemos), sendo nesse caso a palavra mais um determinante indefinido.

A frase de 4) é um exemplo de uso correcto da construção mais grande, que, como afirmam Celso Cunha e Lindley Cintra na Nova Gramática do Português Contemporâneo (Lisboa, Edições João Sá da Costa, 14.ª ed., 1998, p. 262), só se considera correcta quando é usada para confrontar duas qualidades do mesmo elemento.

Relativamente às frases em 5), trata-se de uma comparação (de superioridade) de quantidade relativamente a um numeral (um). Neste tipo de comparação é possível uma construção análoga àquela usada para exprimir o grau comparativo do adjectivo, isto é, a estrutura mais (do) que seguida do numeral e de um substantivo, como nas frases 5c) e 5d). Alternativamente, é possível ainda utilizar as construções presentes em 5a) e 5b), que correspondem à locução comparativa mais de seguida de numeral e que diferem apenas na contracção (de + um = dum).

Para além destas quatro construções comparativas, é ainda possível estabelecer comparativos antes de verbos (ex.: consegue ver mais ao longe [do] que ao perto), de advérbios (ex.: põe esse quadro mais acima [do] que este) ou de preposições (ex.: o gato passa mais por aqui [do] que por ali).




USO CAPEÃO: é uma figura que se utiliza em direito, em que a pessoa solicita a propriedade de um terreno ou objecto que está na sua posse há bastante tempo mas não tem documento que prove essa posse. A palavra capeão ( ou capião ??) tem o sentido de posse.
À figura jurídica a que se refere dá-se o nome de usucapião (derivado do latim usucapionem), como poderá verificar seguindo a hiperligação para o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.