Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub

Pesquisa por "serventia" nas definições

servir | v. tr. | v. intr. | v. pron.
    Dar serventia....

meia-laranja | n. f.
    Escotilha que dá serventia às antecâmaras....

acesso | n. m. | adj.
    Serventia....

uso | n. m.
    Utilidade, serviço, préstimo, serventia....

utilidade | n. f.
    Préstimo; vantagem; serventia....

serventia | n. f.
    Qualidade do que serve ou é útil (ex.: livrou-se de objectos que já não tinham serventia)....

logradouro | n. m.
    Terreno ou espaço anexo a uma habitação, usado para serventia ou com outras funcionalidades....

postigo | n. m.
    Porta pequena em muralha para serventia de pouca monta....

escuso | adj.
    Que não tem uso ou que tem pouca frequência; por onde não se faz serventia contínua (ex.: ruas escusas)....

Dúvidas linguísticas


A palavra reprocessamento existe?
A palavra reprocessamento encontra-se registada em alguns dicionários de língua portuguesa, como por exemplo no Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (Lisboa, Círculo de Leitores, 2002). No entanto, mesmo que esse vocábulo não se encontrasse atestado em nenhuma obra lexicográfica, o seu uso seria sempre aceitável, pois a sua formação é perfeitamente regular (de re- + processamento).



Está errado dizer: Eu vi ninguém, Eu comi nada? Por que está incorreto (se acaso for)?
Os pronomes indefinidos ninguém e nada possuem significado negativo inerente; por esse motivo só podem integrar orações que sejam negativas. Ora as frases *Eu vi ninguém e *Eu comi nada são afirmativas, razão pela qual são consideradas gramaticalmente incorrectas, como indica o asterisco (*). Assim sendo, a negação com recurso aos pronomes indefinidos ninguém e nada na posição de complemento directo exige o advérbio de negação não antes do verbo: Eu não vi ninguém e Eu não comi nada. A esta construção, comum a outras línguas românicas, dá-se o nome de “dupla negação”.

Em posição de sujeito, no entanto, e dado que exprimem negação, os pronomes indefinidos ninguém e nada dispensam o advérbio não e precedem o verbo (ex.: ninguém veio à festa; nada o impede de concorrer às eleições), sendo consideradas agramaticais as construções em que o não está presente (ex.: *ninguém não veio à festa; *nada não o impede de concorrer às eleições).

Palavra do dia

al·cor·que al·cor·que


(árabe al-qurq)
nome masculino

[Antigo]   [Antigo]  Calçado com sola de cortiça.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Pesquisar/serventia [consultado em 02-08-2021]