PT
BR
Pesquisar
Definições



Pesquisa nas Definições por:

admoestar

admoestante | adj. 2 g.

Que admoesta ou serve para admoestar....


discurso | n. m.

Fala ou texto preparado para ser apresentado perante uma audiência; peça oratória....


exortação | n. f.

Acto de exortar (ex.: exortação à audiência)....


moliana | n. f.

Admoestar, repreender....


monitória | n. f.

Aviso de autoridade em que se intima o público a ir depor o que souber a respeito de um facto....


talhada | n. f.

Porção longa, estreita e relativamente delgada que se corta de alguns frutos (ex.: talhada de melão)....


mercurial | n. f. | n. m. | adj. 2 g.

Planta da família das euforbiáceas, do género Mercurialis....


sermão | n. m.

Discurso sobre assunto religioso pronunciado no púlpito....


observação | n. f.

Acto de ver ou de olhar com atenção; de considerar; de examinar; de notar....


pregação | n. f.

Acção de pregar; sermão; assunto da prédica....


pregador | n. m.

Pessoa que faz pregações....


trepa | n. f.

Conjunto de pancadas dadas a alguém como castigo ou maus-tratos....



Dúvidas linguísticas



As palavras segmentos e seguimentos têm o mesmo significado? Ambas podem ser empregadas na seguinte frase: ... em cooperação com outros seguimentos [ou segmentos?], tais como órgãos públicos, universidades?
As palavras segmentos e seguimentos (que se pronunciam de modo semelhante no português do Brasil, mas não no de Portugal) não são sinónimas, ou seja, não têm o mesmo significado, como pode verificar seguindo as respectivas hiperligações para o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Como tal, na frase que refere, a palavra que deve ser usada é segmentos, designando “sectores” (...em cooperação com outros segmentos, tais como órgãos públicos, universidades).



A palavra seje existe? Tenho um colega que diz que esta palavra pode ser usada na nossa língua.
Eu disse para ele que esta palavra não existe. Estou certo ou errado?
A palavra seje não existe. Ela é erradamente utilizada em vez de seja, a forma correcta do conjuntivo (subjuntivo, no Brasil) do verbo ser. Frases como “Seje bem-vindo!”, “Seje feita a sua vontade.” ou “Por favor, seje sincero.” são cada vez mais frequentes, apesar de erradas (o correcto é: “Seja bem-vindo!”, “Seja feita a sua vontade.” e “Por favor, seja sincero.”). A ocorrência regular de seje pode dever-se a influências de falares mais regionais ou populares, ou até mesmo a alguma desatenção por parte do falante, mas não deixa de ser um erro.

Ver todas