Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub

Opte

1ª pess. sing. pres. conj. de optaroptar
3ª pess. sing. imp. de optaroptar
3ª pess. sing. pres. conj. de optaroptar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

op·tar op·tar

- ConjugarConjugar

(latim opto, -are)
verbo transitivo e intransitivo

1. Decidir-se por uma coisa entre duas ou mais (ex.: optou pelo primeiro artigo que viu; terá de optar entre uma casa e outra; não foi capaz de optar). = ESCOLHER, PREFERIR

2. Exercer o direito de opção.

pub

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso..

Em NÓS SOMOS CAPAZES! Nothing to lose,and never to late!

Para uma aparência elegante e experiências superintensas, opte pelo novo Lenovo Tab

Em www.appsdoandroid.com

...a quem vê a vida ser-lhe tirada tão cedo e que ao invés se opte por lavar roupa suja nas outras duas publicações..

Em Sangue LEONINO

Caso se opte por aderir ao " Chat ", recorrendo ao menú de configurações, do lado esquerdo...

Em Ver

...nenhum custo (além da compra inicial e talvez um equipamento para consertar furos…) Quer opte por usar o ciclismo como meio de transporte, recreativo ou treino, é uma forma...

Em Tupiniquim
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual o significado e origem da locução latina "et al", e como deve ser lida?
A abreviatura et al., redução da expressão latina et alii que significa literalmente “e outros”, é usada em referências bibliográficas para indicar que uma obra tem outros autores para além dos que são explicitamente nomeados (ex.: Maria Helena Mira MATEUS et al., Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa: Editorial Caminho, 5.ª ed., 2003; Maria Helena Mira MATEUS, Ana Maria BRITO, Inês DUARTE, Isabel Hub FARIA et al., Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa: Editorial Caminho, 5.ª ed., 2003; refira-se que a obra citada tem 9 autores).
A leitura desta abreviatura deve corresponder à forma por extenso (et alii), dado que às abreviaturas não corresponde uma leitura abreviada, mas a leitura daquilo que representam (por exemplo, à 5.ª ed. corresponderá a leitura quinta edição).




Agradecia que me dessem a vossa opinião quanto à classificação sintáctica da oração e não sei quem é que se encontra nos seguintes versos pessoanos: "É curioso que toda a vida do indivíduo que ali mora, e não sei quem é, atrai-me só por essa luz visitada de longe".
De acordo com o espólio do heterónimo pessoano Alberto Caeiro, disponibilizado on-line pela Biblioteca Nacional, o verso do poema "É noite" é ligeiramente diferente: "É curioso que toda a vida do indivíduo que ali mora, e que não sei quem é, // Atrai-me só por essa luz visitada de longe". Na expressão e que não sei quem é estão contidas duas orações: a primeira é uma oração subordinante (e que não sei) cujo verbo (saber) necessita de um complemento directo obrigatório que corresponde à segunda oração (quem é), que pode ser classificada como subordinada substantiva completiva.

A frase é complexa e a oração subordinante (e que não sei) deste pequeno excerto da frase, no âmbito dos versos transcritos (É curioso que toda a vida do indivíduo que ali mora, e que não sei quem é, atrai-me só por essa luz visitada de longe), é também uma oração subordinada relativa restritiva coordenada a outra da mesma natureza.

Para clarificar a divisão de orações, procedemos em seguida à classificação de todas as orações contidas nos dois versos de Alberto Caeiro e respectivas funções sintácticas (é de sublinhar que uma oração subordinada pode conter várias orações e dentro dela pode haver uma oração subordinante em relação às que dela dependem):
1. [É curioso] oração subordinante.
2. [que toda a vida do indivíduo que ali mora, e que não sei quem é, atrai-me só por essa luz visitada de longe] oração subordinada completiva com função de sujeito (este sujeito frásico não é muito evidente, mas pode ser testado com a concordância verbal; ex.: isso é curioso; essas coisas são curiosas).

2.1 [que toda a vida do indivíduo atrai-me só por essa luz visitada de longe] oração subordinante (relativamente às orações que dela dependem).
2.1.1 [que ali mora] oração subordinada relativa restritiva (isto é, fornece informação que restringe o antecedente indivíduo).
2.1.2 [e que não sei quem é] oração subordinada relativa explicativa (isto é, fornece informação adicional sobre o antecedente indivíduo) coordenada à oração relativa restritiva.
2.1.2.1 [e que não sei] oração subordinante (relativamente à oração que dela depende).
2.1.2.2 [quem é] oração subordinada completiva com função de complemento directo.

pub

Palavra do dia

pa·ra·lip·se pa·ra·lip·se


(grego paráleipsis, -eos, negligência, esquecimento, omissão)
nome feminino

[Retórica]   [Retórica]  Figura de retórica pela qual se fixa a atenção num assunto ou objecto, fingindo não se ocupar dele. = PRETERIÇÃO

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Opte [consultado em 29-07-2021]