Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
sarcasmosarcasmo | s. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

sar·cas·mo sar·cas·mo
(grego sarkasmós, -ou)
substantivo masculino

1. Ironia que deixa entender uma crítica dura e mordaz, por vezes considerada insultuosa.

2. Atitude ou dito em relação a algo ou alguém que serve para fazer fazer rir ou é assim entendido. = ESCÁRNIO, MOFA, TROÇA, ZOMBARIA

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "sarcasmo" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


O verbo aconselhar no pretérito perfeito do indicativo está acentuado. Mas é "nós aconselhamos" e não "aconselhámos", certo?
Diferentemente do que sucedia no sistema verbal brasileiro, na norma europeia do português, e de acordo com a base XVII do Acordo Ortográfico de 1945, em Portugal, assinalava-se sempre com acento agudo a primeira pessoa do plural do pretérito perfeito do indicativo dos verbos da primeira conjugação, terminados em -ar (ex.: aconselhámos). Com a entrada em vigor do Acordo Ortográfico de 1990, a base IX estipula, no seu ponto 4, que o acento agudo das formas verbais de pretérito perfeito do indicativo passa a ser facultativo (ex.: aconselhámos ou aconselhamos), para que se distingam das formas do presente do indicativo (ex.: aconselhamos). No entanto, é possível que a forma acentuada se mantenha como a preferencial em Portugal, uma vez que era essa a única grafia permitida pela anterior norma ortográfica, como acima se referiu.

É de salientar que as indicações acima se referem apenas à ortografia. Do ponto de vista da pronúncia, a distinção entre a vogal tónica com timbre aberto (equivalente a -ámos) ou fechado (equivalente a -âmos) no pretérito perfeito não é feita em muitos dialectos do português, nomeadamente em zonas do Norte de Portugal ou da Madeira e em dialectos do Brasil (esse foi um dos argumentos para retirar a obrigatoriedade do acento gráfico no Acordo Ortográfico de 1990).

O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa é um dicionário de português que permite a consulta de palavras na grafia com ou sem o novo acordo ortográfico, na norma europeia ou brasileira do português. Se consultar a conjugação na norma europeia, com a opção antes do novo acordo ortográfico, a única forma possível é a forma acentuada (aconselhámos); se consultar a conjugação com a opção da nova grafia seleccionada, surgem as duas opções (aconselhámos e aconselhamos). Se consultar a conjugação na norma brasileira, com ou sem o novo acordo ortográfico, a única forma possível é a forma sem acento (aconselhamos).




Qual é o diminutivo da palavra foto? Esse diminutivo é masculino ou feminino?
A adjunção de sufixos diminutivos não altera as propriedades morfossintácticas do derivante, que são herdadas pelo derivado. Assim, por exemplo, os sufixos -inho e -zinho alteram apenas a informação semântica (o juízo de valor que se faz sobre a forma de base a que se juntam), mantendo a mesma categoria sintáctica e o mesmo género do derivante: quando se associam a um adjectivo geram um adjectivo (moderno/a - moderninho/a - modernozinho/a), quando se associam a um nome geram um nome (papel - papelinho - papelzinho) e quando se associam a um advérbio geram um advérbio (devagar - devagarinho - devagarzinho).

Tradicionalmente, os sufixos -inho e -zinho são considerados o mesmo, sendo a consoante -z- encarada como um elemento de ligação, pelo que a forma -zinho é tida como uma variante de -inho. No entanto, o seu emprego é distinto, já que se associam a diferentes formas de base, o que faz deles mais do que meras variantes. O sufixo -inho associa-se a radicais, mantendo sempre a vogal da forma de base no caso de palavras de tema em -a ou -o (ex.: um livro - um livrinho; uma caneta - uma canetinha; um pijama - um pijaminha; uma tribo - uma tribinho) e, no caso de palavras de tema em -e ou de tema nulo, substituindo a vogal da forma de base por -a e por -o, consoante os valores de feminino e masculino, respectivamente, da palavra de base (ex.: um sabonete - um sabonetinho; uma semente - uma sementinha; um anel - um anelinho; uma espiral - uma espiralinha). O sufixo -zinho associa-se a palavras (e não a radicais), mantendo a vogal temática de acordo com o género da palavra de base (ex.: um livro - um livrozinho; uma caneta - uma canetazinha; um pijama - um pijamazinho; uma tribo - uma tribozinha; um sabonete - um sabonetezinho; uma semente - uma sementezinha; um anel - um anelzinho; uma espiral - uma espiralzinha). O mesmo é válido para os sufixos -ito e -zito.

Posto isto, o substantivo feminino foto (redução de fotografia) pode apresentar vários diminutivos, consoante os sufixos usados, sendo todos femininos: uma foto - uma fotinho, uma fotozinha, uma fotito, uma fotozita. Não há muitos substantivos femininos terminados em -o (para além de foto e tribo, a lista inclui expo (redução de exposição), imago, libido, moto, virago e pouco mais) e o seu uso no grau diminutivo não é dos mais frequentes, o que justifica as hesitações e, por vezes, as incorrecções de alguns falantes.

pub

Palavra do dia

dis·me·tri·a dis·me·tri·a
(dis- + grego métron, -ou, medida + -ia)
substantivo feminino

1. [Medicina]   [Medicina]  Distúrbio na execução e coordenação dos movimentos musculares que os torna mais ou menos extensos do que o pretendido, geralmente devido a lesão no cerebelo (ex.: apresenta dismetria no teste de levar o dedo ao nariz).

2. [Medicina]   [Medicina]  Diferença de comprimento significativa entre os dois membros inferiores.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/sarcasmo [consultado em 20-05-2019]