PT
BR
Pesquisar
Definições



registação

A forma registaçãopode ser [derivação feminino singular de registarregistrar] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
registaçãoregistração
( re·gis·ta·ção

re·gis·tra·ção

)


nome feminino

1. Acto ou efeito de registar. = REGISTO

2. [Música] [Música] Combinação de vários registos de órgão.

etimologiaOrigem etimológica:registar + -ção.
grafiaGrafia no Brasil:registração.
grafiaGrafia no Brasil:registração.
grafiaGrafia em Portugal:registação.
grafiaGrafia em Portugal:registação.
registarregistrar
( re·gis·tar

re·gis·trar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo e pronominal

1. Inscrever ou inscrever-se num registo (ex.: foram registar o recém-nascido; deve registar-se no hotel, à chegada).

2. Fornecer dados pessoais para ficar inscrito em alguma coisa ou associado a um serviço (ex.: é preciso registar o programa para ter apoio técnico; registou-se no site).


verbo transitivo

3. Tomar nota ou assentar algo, por escrito ou na memória, para não esquecer ou para servir de argumento quando necessário.

4. [Comércio] [Comércio] Inscrever numa máquina ou num sistema de registo de entrada o valor cobrado a ou recebido de um cliente, geralmente com emissão de documento comprovativo.

5. Fazer inscrever uma carta ou remessa postal no seguro do correio.

6. Marcar com regularidade as observações meteorológicas, a marcha de certos contadores, etc.

7. Declarar na alfândega. = LEALDAR

8. [Marinha] [Marinha] Matricular (um navio).

9. [Marinha] [Marinha] Visitar (um navio) para verificar se o que transporta está de acordo com os documentos comprovativos.

etimologiaOrigem etimológica:registo + -ar.
grafiaGrafia no Brasil:registrar.
grafiaGrafia no Brasil:registrar.
grafiaGrafia em Portugal:registar.
grafiaGrafia em Portugal:registar.

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Quando atendemos um telefone é correto falar "pois não"?
A locução adverbial interrogativa pois não usa-se para saber o que alguém pretende ou para mostrar disponibilidade para ouvir uma solicitação, pelo que pode ser utilizada como fórmula de atendimento de uma chamada telefónica.



A palavra vigilidade, que tem origem na palavra vígil, tem suscitado alguma controvérsia na área em que estou envolvido. É um termo que é utilizado nalguns trabalhos de psicologia e por algumas instituições nacionais ligadas aos medicamentos (ex: INFARMED). No entanto, não encontrei a palavra nos dicionários que consultei, inclusivamente o da Priberam. Alternativamente a palavra utililizada é vigilância. Assim, gostaria de saber a vossa opinião sobre este assunto.
Também não encontrámos a palavra vigilidade registada em nenhum dos dicionários ou vocabulários consultados. No entanto, este neologismo respeita as regras de boa formação da língua portuguesa, pela adjunção do sufixo -idade ao adjectivo vígil, à semelhança de outros pares análogos (ex.: dúctil/ductilidade, eréctil/erectilidade, versátil/versatilidade). O sufixo -idade é muito produtivo na língua para formar substantivos abstractos, exprimindo frequentemente a qualidade do adjectivo de que derivam.

Neste caso, existem já os substantivos vigília e vigilância para designar a qualidade do que é vígil, o que poderá explicar a ausência de registo lexicográfico de vigilidade. Como se trata, em ambos os casos, de palavras polissémicas, o uso do neologismo parece explicar-se pela necessidade de especialização no campo da medicina, psicologia e ciências afins, mesmo se nesses campos os outros dois termos (mas principalmente vigília, que surge muitas vezes como sinónimo de estado vígil) têm ampla divulgação.