PT
BR
Pesquisar
Definições



Pesquisa nas Definições por:

testemunha

intestável | adj. 2 g.

Que não pode servir de testemunha....


presencial | adj. 2 g.

Que presenciou ou observou (ex.: testemunha presencial)....


Adágio de jurisprudência, segundo o qual o testemunho de uma só pessoa não basta para estabelecer juridicamente a verdade de um facto....


De modo ocular (ex.: não testemunhou ocularmente o acontecido)....


penhor | n. m.

Objecto de valor que se dá ou se toma para segurança de alguma dívida ou contrato....


prova | n. f.

Testemunha, indício, sinal....


atestado | adj. | n. m.

Declaração feita por testemunha do facto ou por quem tem certeza da circunstância....


firma | n. f.

Testemunha....


ocular | adj. 2 g. | n. f.

Que assiste ou presencia (ex.: testemunha ocular)....


testemunhal | adj. 2 g. | n. m.

Relativo a testemunha....


padrinho | n. m. | n. m. pl.

O que serve de testemunha no casamento, doutoramento ou duelo....



Dúvidas linguísticas



Minha dúvida é: Por que passei a vida estudando que o correto é falar para eu fazer, para eu comer, e etc., se a frase É fácil para mim estudar não está errada? Podem explicar essa última frase.
De facto, nos contextos exemplificados com duas orações na resposta para eu/para mim (ex.: isto é para eu fazer), deverá ser usado o pronome sujeito, pois na oração para eu fazer, o pronome desempenha essa função de sujeito. No caso do exemplo É fácil para mim estudar, o contexto é semelhante àquele referido na resposta pronomes pessoais rectos e oblíquos, em que o pronome não desempenha a função de sujeito, pois esta frase pode ser decomposta em Estudar [sujeito] é fácil [predicado] para mim [adjunto adverbial de interesse].



As palavras Malanje, Uíje, Cassanje, etc., levam a letra g ou j ?
Os topónimos angolanos referidos deverão ortografar-se correctamente nas formas Malanje, je e Caçanje (esta última grafia corresponde também ao nome comum caçanje).

É esta a grafia registada nas principais obras de referência para o português europeu, nomeadamente no Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa (Coimbra: Atlântida Editora, 1947) e no Vocabulário da Língua Portuguesa (Coimbra: Coimbra Editora, 1966), de Rebelo Gonçalves, ou no Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado (Lisboa: Âncora Editora, 2001). Apesar disso, é esmagadora a ocorrência de grafias alternativas como *Malange, *Uíge, *Cassange ou *Cassanje (o asterisco indica incorrecção, de acordo com as obras de referência para a ortografia e com a tradição lexicográfica).

É de referir que com o Acordo Ortográfico de 1990 (nomeadamente na Base III) não há qualquer alteração a este respeito.


Ver todas