PT
BR
Pesquisar
Definições



marado

A forma maradopode ser [masculino singular particípio passado de mararmarar] ou [adjectivoadjetivo].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
maradomarado
( ma·ra·do

ma·ra·do

)


adjectivoadjetivo

1. [Informal] [Informal] Que perdeu a razão ou apresenta perturbações mentais. = DOIDO, MALUCO

2. [Informal] [Informal] Que sofreu estragos ou danos; que está em mau estado (ex.: o computador está marado). = ESTRAGADO

3. [Gíria] [Gíria] Morto.

etimologiaOrigem etimológica:particípio de marar.
marar1marar1
( ma·rar

ma·rar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

1. [Informal] [Informal] Causar a morte de. = ASSASSINAR

2. [Informal] [Informal] Causar danos ou estragos em (ex.: os filhos mararam a aparelhagem).


verbo intransitivo

3. [Informal] [Informal] Tornar-se louco ou tresloucado (ex.: ele marou com as drogas).

etimologiaOrigem etimológica:origem indiana.
marar2marar2
( ma·rar

ma·rar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

[Informal] [Informal] Apreciar com a visão. = GALAR

etimologiaOrigem etimológica:origem obscura.


Dúvidas linguísticas



Pode-se utilizar a palavra exigencial? Ex.: selecção exigencial de componentes.
Apesar de o adjectivo exigencial não se encontrar registado em nenhum dos dicionários e vocabulários de língua portuguesa à nossa disposição, ele encontra-se bem formado a partir da aposição do sufixo -al ao substantivo exigência, pelo que o seu uso é possível e até muito frequente, como o revelam pesquisas em corpora e em motores de busca da Internet, especialmente em contextos relativos às áreas da construção e da engenharia civil, com o significado “que é relativo a ou que envolve uma exigência” (ex.: fizeram uma selecção exigencial dos novos materiais).



Em palavras como emagrecer e engordar as terminações -er e -ar são sufixos ou desinências verbais de infinitivo? Se são o último caso, essas palavras não podem ser consideradas derivações parassintéticas...ou podem?
As terminações verbais -er e -ar são compostas pela junção de -e- (vogal temática da 2.ª conjugação) ou -a- (vogal temática da 1.ª conjugação), respectivamente, à desinência de infinitivo -r. Destas duas terminações, apenas -ar corresponde a um sufixo, pois no português actual usa-se -ar para formar novos verbos a partir de outras palavras, normalmente de adjectivos ou de substantivos, mas não se usa -er. Apesar de os sufixos de verbalização serem sobretudo da primeira conjugação (ex.: -ear em sortear, -ejar em relampaguejar, -izar em modernizar, -icar em adocicar, -entar em aviventar), há alguns sufixos verbais da segunda conjugação, como -ecer. Este sufixo não entra na formação do verbo emagrecer, mas entra na etimologia de outros verbos formados por sufixação (ex.: escurecer, favorecer, fortalecer, obscurecer, robustecer, vermelhecer) ou por prefixação e sufixação simultâneas (ex.: abastecer, abolorecer, amadurecer, empobrecer, engrandecer, esclarecer).

Dos verbos que menciona, apenas engordar pode ser claramente considerado derivação parassintética, uma vez que resulta de prefixação e sufixação simultâneas: en- + gord(o) + -ar. O verbo emagrecer deriva do latim emacrescere e não da aposição de prefixo e sufixo ao adjectivo magro.