PT
BR
Pesquisar
Definições



irisada

A forma irisadapode ser [feminino singular de irisadoirisado] ou [feminino singular particípio passado de irisaririsar].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
irisaririsar
( i·ri·sar

i·ri·sar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo, intransitivo e pronominal

Dar ou tomar as cores ou os reflexos do arco-íris. = IRIAR, MATIZAR

etimologiaOrigem etimológica:íris + -ar.
Confrontar: irizar.
irisadoirisado
( i·ri·sa·do

i·ri·sa·do

)


adjectivoadjetivo

Que apresenta as cores do arco-íris. = IRIADO

etimologiaOrigem etimológica:particípio de irisar.


Dúvidas linguísticas



Tenho uma dúvida sobre o uso do acento grave (chamamos de crase aqui no Brasil). Um amigo me disse que pode-se escrever à favor, alegando que é opcional o uso da crase em locuções adverbiais. Ele está correto?
A crase à é uma contracção da preposição a com o artigo definido feminino a. Para haver o uso desta crase, é necessário que haja um substantivo feminino a seguir que justifique o uso do artigo definido feminino (ex.: estava à frente = estava a[PREP]+a[ART] frente; foi à caça = foi a[PREP]+a[ART] caça). Não poderá usar a crase numa expressão como a favor, pois favor é um substantivo masculino e nunca poderia ser antecedido do artigo definido feminino a. Em alguns casos poderá haver uso de crase antes de substantivos masculinos, mas apenas em situações muito específicas, em que se pode subentender locuções como moda de ou maneira de (ex.: coelho à [maneira do] caçador).
Sobre este assunto, poderá também consultar outras respostas em regência verbal e nominal, graças a deus e crase em intervalo temporal.




Ao fazer a pesquisa do termo prescindir, observei que constava como verbo intransitivo. Pesquisei, no entanto, no dicionário Aurélio e constava como verbo transitivo. Gostaria de alertar para esse possível erro.
Apesar de, actualmente, o verbo prescindir dever ser considerado um verbo transitivo indirecto, como faz o Aurélio, a classificação mais tradicional em dicionários portugueses (diferentemente de dicionários brasileiros como o Aurélio ou o Houaiss) é classificar verbos com regência de proposições que não sejam a (como "entregar a") como intransitivos (como é o caso de "prescindir de"). Em casos semelhantes, é normal encontrar discrepâncias entre dicionários portugueses e brasileiros, sendo a classificação dos segundos geralmente mais rigorosa.