Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
frequênciafreqüênciafrequência | s. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

fre·quên·ci·a |qüên| fre·qüên·ci·a |qüên| fre·quên·ci·a |qüên|
substantivo feminino

1. Qualidade de frequente.

2. Repetição amiudada (de qualquer coisa).

3. Acto de ser frequentado.

4. Assistência.

5. Convivência.

6. Concorrência de gente.

7. [Electricidade]   [Eletricidade]   [Eletricidade]  Nas correntes alternadas, número de períodos completos realizados num segundo.

8. [Portugal]   [Portugal]  Teste de avaliação a que os alunos são submetidos no ensino superior (ex.: as frequências começam já na próxima semana).


• Grafia no Brasil: freqüência.

• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: frequência.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: freqüência


• Grafia em Portugal: frequência.
pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "frequência" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Deve dizer-se: recepção dos convidados ou recepção aos convidados?
O substantivo recepção é geralmente seguido das preposições a ou de (ou das suas contracções), como indica o Dicionário de Regimes de Substantivos e Adjectivos (25.ª ed., São Paulo: Globo, 2000), de Francisco Fernandes, e como atestam pesquisas efectuadas em corpora e em motores de busca da Internet, pelo que ambas as expressões recepção dos convidados e recepção aos convidados estão correctas.



Como devo escrever: veio-me visitar ou veio visitar-me? E qual a construção mais correcta: porque ando a lê-lo ou porque o ando a ler (um livro)?
A dúvida que nos coloca diz respeito à posição dos clíticos. Sobre este assunto em geral, deve consultar outras dúvidas já respondidas: posição dos clíticos e mesóclise. No entanto, a frase que nos envia coloca uma questão não tratada nesses textos: a colocação dos clíticos em tempos compostos, construídos geralmente com os auxiliares ter ou haver e o particípio passado, na voz activa (ex.: Tinha oferecido um livro à mãe), e com o auxiliar ser e o particípio passado, na voz passiva (ex.: O livro foi oferecido à mãe) ou em locuções verbais construídas com um verbo auxiliar ou semiauxilar conjugado e um verbo principal no infinitivo ou no gerúndio (ex.: Foi visitar o doente; Anda lendo muitos livros).

Nos casos em que há um tempo composto, se não houver um contexto que atraia o clítico (ex.: Não o tinha oferecido à mãe; por favor, consultar as alíneas a) a j) da resposta posição dos clíticos), este deverá ser colocado depois do verbo auxiliar (ex.: Tinha-o oferecido à mãe; Tinha-lhe oferecido o livro; Tinha-lho oferecido; O livro foi-lhe oferecido).

Nos casos em que há uma locução verbal construída por um verbo auxiliar ou semiauxilar e um verbo principal, o caso parece um pouco mais complexo, essencialmente por causa do estatuto de verbo auxiliar.

Se não houver um contexto que atraia o clítico (por favor, consultar as alíneas a) a j) da resposta posição dos clíticos), este será normalmente colocado depois do verbo principal (ex.: O livro é interessante e ando a lê‑lo/ando lendo-o há dois dias; Ele veio visitar-me esta semana). No entanto, nos casos referidos nas alíneas a) a j) da resposta posição dos clíticos, o clítico poderá estar antes do verbo auxiliar ou semiauxiliar (ex.: Nenhum aluno o anda a ler; Sei que ele me veio visitar esta semana) ou depois do verbo principal (ex.: Nenhum aluno anda a lê-lo; Sei que ele não veio visitar-me esta semana). Isto acontece provavelmente porque estas construções contêm um verbo considerado auxiliar ou semiauxiliar, mas que mantém ainda algumas características de verbo pleno, logo, o clítico tanto pode deslocar-se para antes da locução verbal (à semelhança do que acontece nos tempos compostos construídos com um verbo puramente auxiliar, como se se tratasse de um só verbo) como pode manter-se ligado ao verbo principal, de que depende semanticamente.

Em alguns casos, algumas destas construções assumem o comportamento dos verbos auxiliares dos tempos compostos (ex.: Veio-me visitar logo que pôde; O livro é enfadonho, mas ele anda-o a ler), não sendo, contudo, estruturas consensuais.

pub

Palavra do dia

tre·bo·la |ô| tre·bo·la |ô|
(origem obscura)
substantivo feminino

[Portugal: Açores]   [Portugal: Açores]   [Zoologia]   [Zoologia]  Mamífero cetáceo (Physeter macrocephalus) dentado, de comprimento até 20 metros, encontrado em mares temperados e tropicais. = CACHALOTE

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/frequ%C3%AAncia [consultado em 22-05-2019]