Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

elegia

elegiaelegia | n. f.
1ª pess. sing. pret. imperf. ind. de elegereleger
3ª pess. sing. pret. imperf. ind. de elegereleger
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

e·le·gi·a e·le·gi·a


(latim elegia)
nome feminino

1. [Literatura]   [Literatura]  Poema sobre assunto triste ou lutuoso. = TRENO

2. [Literatura]   [Literatura]  Poema constituído por hexâmetros e pentâmetros alternados.

3. [Figurado]   [Figurado]  Jeremiada, lamentação.


e·le·ger |ê|e·le·ger |ê|

- ConjugarConjugar

(latim eligo, -ere, tirar, escolher, separar)
verbo transitivo

1. Nomear por eleição.

2. Preferir um entre vários. = ESCOLHER

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "elegia" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

esmagadora maioria" ou elegia para presidente da primeira secção criminal onde ele passava os dias ocupado com trabalho...

Em portugal contempor

jornal que o elegia justamente como o melhor em campo, que apresentava mesmo assim uma “grande lacuna”: a...

Em O INDEFECTÍVEL

elegia III Embora a tua mão e fé, e também as boas obras Tenham selado...

Em #poesia

Não sei como vieste, mas deve haver um caminho para regressar da morte. Estás sentada no jardim, as mãos no regaço cheias de doçura, os olhos poisados nas últimas rosas dos grandes e calmos dias de Setembro. Que música escutas tão atentamente que não dás por mim? Que bosque, ou rio, ou mar? Ou é dentro de ti que tudo canta…

Em O Cheiro da Ilha

A vida, meu amor, não dá respostas fáceis. E a única definitiva, lamento, é o esquecimento. Não desejo inventar culpados. Nem há razões para raiva ou perdão. Não! Devemos viver o que é possível, e até quando possível for. Amor, felicidade? Agradável, a ilusão. A vida é uma trajetória com final. O amor também. A questão…

Em Viva a Poesia
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Procurei o substantivo airela (que, acredito, refere-se a uma fruta vermelha, muito comum aqui na Suécia - em sueco chama-se "lingon"). Vi em alguns lugares como "airela vermelha", mas a palavra "airela" não consta em seu dicionário. Será que existe e será que pertence mesmo à língua portuguesa?
A palavra airela surge registada em alguns dicionários e vocabulários de língua portuguesa, nomeadamente no Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado, e designa um tipo de baga vermelha do género Vaccinium. É muito grande a variedade de espécies de bagas que pertencem a este género e as designações vulgares para elas são variadas, como, por exemplo, arando ou arando vermelho.



Em português, há algum fenómeno especial com os advérbios em -mente quando vão seguidos numa frase (ou com uma conjunção no meio)? Tanto em espanhol como em catalão há um comportamento curioso, em que algum dos advérbios perde o -mente: Simple y llanamente (em espanhol, se há dois ou mais, só o último fica "completo"); Exclusivament i principal (em catalão, não é obrigatório mas, se acontece, só o último fica sem o -mente). Li que o francês e o italiano mantêm sempre o -mente. E em português?
Na coordenação de advérbios terminados em -mente, é muito usual o apagamento do sufixo -mente no primeiro advérbio (ex.: esta situação é pura e simplesmente absurda; ele é directa e indirectamente responsável por esta situação; alguns professores contribuem discreta, mas poderosamente para a formação da matriz cultural dos alunos), ou em todos menos no último, no caso de coordenações com mais do que dois (ex.: respondera leviana, mal-educada e grosseiramente). Note-se que nos casos de advérbios resultantes de adjectivos graficamente acentuados, a forma com -mente não tem acento gráfico (ex.: ele é fisicamente atraente) mas na coordenação de advérbios o advérbio reduzido retoma a forma acentuada do adjectivo (ex.: o atleta está física e mentalmente confiante).
Este procedimento, apesar de ser muito habitual e recomendado por muitas gramáticas, não é obrigatório e não invalida a coordenação de advérbios sem qualquer elisão dos sufixos (ex.: normalmente, as listas eleitorais são inteiramente ou maioritariamente compostas por cidadãos nacionais).

O fenómeno de apagamento em estruturas de coordenação não é exclusivo da coordenação de advérbios em -mente, mas acontece também em palavras com alguns prefixos ou elementos de composição prefixais (ex.: deixou de pré ou pós-datar os cheques; os alunos farão auto e heteroavaliação), embora com aceitação menos consensual. Sobre este assunto, poderá consultar o artigo "Quando meia palavra basta: Apagamento de palavras fonológicas em estruturas coordenadas", de Marina VIGÁRIO, in Ivo Castro e Inês Duarte (org.) Razões e Emoção. Miscelânea de estudos em homenagem a Maria Helena Mira Mateus. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, pp. 415-435 (versão disponível em http://labfon.letras.ulisboa.pt/SonseMelodias/Vigario2003.pdf).

pub

Palavra do dia

mar·ci·á·ti·co mar·ci·á·ti·co


(latim martiaticus, -a, -um, marcial, militar)
adjectivo
adjetivo

Relativo ao planeta Marte. = MARCIANO

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/elegia [consultado em 28-11-2022]