Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

cós

cóscós | n. m. 2 núm.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

cós cós


(provençal cors, corpo)
nome masculino de dois números

1. Tira de pano ou faixa que rodeia a cintura ou reforça os punhos e o colarinho.

2. Parte do vestuário onde se situa essa tira, geralmente na cintura.

pub

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Cos , Since I've come on home, Well my body's been a mess And I've...

Em blog0news

...xardín adxacente, xunto con guións máis amplo que mudan paseniñamente co paso das estacións, cos artefactos dispoñíbeis e cos convidados que veñen de visita..

Em Trasalba

cos , o Google tem uma série de vícios que prejudicam a experiência do usuário...

Em Leituras do Dia

...véndoo tan pechado de barba, coas cellas e as orellas cheas de pelos, rindo cos dentes apertados e os ollos achinados, era a imaxe perfecta dun trasno temible e...

Em humorgrafe

3 cOs confins do universo contemplaram* 3da salvação do nosso Deus..

Em Blog da Sagrada Família
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Tenho algumas dúvidas relativamente à posição do pronome nas seguintes estruturas gramaticais, deve dizer-se: a) gostava de o ver ou gostava de vê-lo; b) tenho o prazer de o convidar ou tenho o prazer de convidá-lo?
Nas frases apontadas, ambas as hipóteses podem ser utilizadas e nenhuma delas é considerada incorrecta. Nas hipóteses gostava de vê-lo e tenho o prazer de convidá-lo, o pronome átono o ocupa a sua posição canónica, à direita do verbo de que depende (ver e convidar, respectivamente), mas, na colocação dos clíticos, as preposições provocam geralmente a próclise, isto é, a atracção do clítico para antes do verbo (gostava de o ver e tenho o prazer de o convidar). Esta colocação proclítica é, no entanto, obrigatória quando o verbo está no infinitivo flexionado (ex.: Empresto-te o livro, mas é para o leres com atenção; Ele indignou-se por lhe omitirmos informação; e nunca *Empresto-te o livro, mas é para lere-lo com atenção; *Ele indignou-se por omitirmos-lhe informação; o asterisco indica agramaticalidade).

A descrição feita acima não se aplica à preposição a, com a qual não há geralmente atracção do clítico (ex.: Eles estavam a insultar-se; Aconselhei as crianças a reconciliarem-se; e não *Eles estavam a se insultar; Aconselhei as crianças a se reconciliarem), senão em registos dialectais do português europeu e, mais frequentemente, no português do Brasil.




Pode explicar-me por que é que na frase - Quico, não faças isso, que me estragas a consola! a forma verbal faças está incorrecta?
O imperativo negativo da segunda pessoa do singular e do plural constrói-se, em português, com o presente do conjuntivo antecedido pela partícula de negação (ex.: mostra-me o que tens nas mãos/nunca me mostres o que tens nas mãos; saí daí/não saiais daí). Assim, a flexão faças (segunda pessoa do singular do presente do conjuntivo e segunda pessoa do singular do imperativo negativo do verbo fazer) está correctamente empregue na frase que refere.
pub

Palavra do dia

cor·mo·rão cor·mo·rão


(francês cormoran)
nome masculino

[Ornitologia]   [Ornitologia]  Designação dada a várias aves aquáticas do género Phalacrocorax, de plumagem negra ou acinzentada, pescoço longo, bico comprido e recurvado e patas curtas, do tamanho aproximado de um pato. = BIGUÁ, CORVO-MARINHO, GALHETA

Plural: cormorões.Plural: cormorões.
pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/c%C3%B3s [consultado em 03-07-2022]