Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
arraigararraigar | v. tr., intr. e pron. | v. intr. e pron. | v. pron.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ar·rai·gar ar·rai·gar - ConjugarConjugar
(latim *arradicare, de radico, -are, ganhar raízes, enraizar)
verbo transitivo, intransitivo e pronominal

1. Fixar ou lançar raízes. = ENRAIZARDESENRAIZAR, ERRADICAR

2. [Figurado]   [Figurado]  Tornar(-se) permanente, firme, entranhado. = ENRAIZAR, ENTRANHAR, FIRMAR, FIXAR, INVETERARDESVANECER, ERRADICAR

verbo intransitivo e pronominal

3. Estabelecer(-se) em determinado lugar. = RADICAR

verbo pronominal

4. Ficar ligado a.


SinónimoSinônimo Geral: ARREIGAR
AntónimoAntônimo Geral: DESARRAIGAR, DESARREIGAR

pub

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Podem informar-me se o verbo queixar-se pode ser utilizado sem o pronome reflexivo e em que situação isso ocorre.
O verbo queixar-se é um verbo pronominal; no entanto, o pronome se não é um pronome reflexo, mas o que é designado por “se inerente”. Esta construção é diferente da construção reflexa lavar-se, em que o sujeito é ao mesmo tempo agente e paciente da sua acção (eu lavo-me = eu sou lavado por mim), ou da construção reflexa recíproca beijar-se, em que um sujeito complexo ou colectivo é ao mesmo tempo agente e paciente da mesma acção (o casal beija-se = cada um dos elementos do casal beija e é beijado); em ambas estas construções, o pronome reflexo desempenha uma função de complemento directo. Na construção queixar-se, porém, não há uma acção do sujeito sobre si próprio (eu queixo-me = *eu sou queixado por mim; o asterisco indica agramaticalidade), e o pronome pessoal não tem valor reflexo, nem reflexo recíproco, nem impessoal, nem apassivante, mas parece fazer parte do verbo e das suas propriedades lexicais. No caso de queixar-se, nenhuma das acepções do verbo permite outra forma que não a pronominal (ex.: *ele queixou à irmã; *o doente queixava de dores de cabeça). Há ainda o caso de outros verbos que admitem quer uma construção não pronominal (ex.: esqueci o livro em casa) quer uma construção pronominal com um se inerente (ex.: esqueci-me do livro em casa).



Desde sempre tive muita dificuldade em escrever palavras que têm -ss-, -ç-, -s- e -c-; nunca sei quando é que utilizo cada um deles.
A ortografia é um conjunto de regras convencionadas; como tal, é artificial e às vezes “pouco amiga do utilizador”.

A maioria das vezes, é o utilizador da língua que mais lê e mais consulta obras de referência, como dicionários, prontuários e afins, que melhor conhece essas regras e que melhor escreve.

O caso das consoantes ou sequências de consoantes apontadas é frequentemente problemático, por corresponder muitas vezes ao mesmo som [s].

Não há nenhuma estratégia para escrever correctamente que não passe pela memorização do léxico e pela interiorização das regras, decorrentes da experiência de leitura e de escrita.

Há, no entanto, algumas indicações úteis:

a) O esse simples (s) representa o som [s] apenas em início de palavra (ex.: seguro, só), a seguir a vogal nasal (ex.: cônsul, pensão), ou a seguir a consoante (ex.: absorção, bolso, psicologia, urso); há algumas excepções, como obséquio ou trânsito, em que o s se lê [z]. Entre vogais, o s nunca tem valor de [s], mas sempre de [z] (ex.: casa).

b) O esse dobrado (ss) representa o som [s] apenas em contextos intervocálicos (ex.: assar, isso, promessa, russo), e nunca em início de palavra ou depois de consoante.

c) O (c) representa o som [s] apenas antes das vogais e (ex.: aceder, alce, comecei, torcer) ou i (ex.: ácido, cálcio, macio, narciso).

d) O cê com cedilha ou cê cedilhado é um sinal gráfico (ç) que representa o som [s] antes das vogais a (ex.: alça, cabeça, junção), o (ex.: calço, moço, monções) ou u (ex.: açúcar, calçudo). Este sinal nunca surge em início de palavra, nem se usa antes das vogais e (ex.: cabecear) ou i (ex.: mocinho), pois nesses casos o cê sem cedilha (c) já tem o valor de [s].

As indicações acima, ou outras mais completas, não resolvem todas as dúvidas, apenas excluem algumas grafias erradas e podem ajudar a interiorizar certas regras depois de explicitadas. A consulta de obras de referência (dicionários, vocabulários, prontuários e afins), de que o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa é apenas um exemplo, pode ajudar na verificação de casos duvidosos. Esta verificação pode também contribuir para a memorização do léxico e interiorização das regras.

Poderá ter alguma utilidade a consulta da Base V do Acordo Ortográfico de 1945 para a norma europeia do português, especialmente no número 3.º. Para a norma brasileira, estas indicações também são válidas, sendo semelhantes às que estão no grupo X do Formulário Ortográfico de 1943.

Com a aplicação do Acordo Ortográfico de 1990, não há nenhuma alteração relativamente a este assunto, mas poderá ser útil a consulta da Base III.

pub

Palavra do dia

pan·de·gar pan·de·gar - ConjugarConjugar
(pândega + -ar)
verbo intransitivo

Andar em pândegas ou festas; gostar de estroinices. = ESTROINAR, FARREAR, FRANGALHOTEAR

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/arraigar [consultado em 22-11-2019]