PT
BR
Pesquisar
Definições



Pesquisa nas Definições por:

infamai

ignóbil | adj. 2 g.

Que não tem nobreza de carácter....


torpe | adj. 2 g.

Impudico; obsceno....


refece | adj. 2 g. | adv.

Que tem baixos sentimentos....


...


vil | adj. 2 g. | n. 2 g.

De pouca conta, insignificante, pequeno; pobre, mísero; mesquinho, humilde....


desonrado | adj. n. m. | adj.

Que perdeu a honra....


infamador | adj. n. m.

Que ou aquele que infama; difamador....


infame | adj. 2 g. n. 2 g.

Que não tem boa fama....


malandro | adj. n. m.

Que ou quem procura viver à custa do trabalho alheio ou de actividades ilícitas....


malandreco | adj. n. m.

Que ou quem é um pouco malandro....


patife | adj. n. m. | n. m.

Que ou quem é pouco honesto ou procede com fraude....


canalha | adj. 2 g. n. 2 g. | n. f.

Que ou quem revela maldade, desonestidade ou mau carácter (ex.: atitude canalha; comentários canalhas; riso canalha; bando de canalhas)....


criminoso | adj. | n. m.

Relativo a crime....


rasto | n. m.

Sinal; vestígio; pegada....



Dúvidas linguísticas



Como se deve dizer? Filhó (singular) Filhós (plural) ou Filhós (singular) Filhoses (plural)?
A palavra filhós, por analogia com palavras terminadas pelo mesmo som (ex.: retrós, voz), forma o plural filhoses (ex.: escolheu a filhós mais pequena; as filhoses ainda estão quentes). Trata-se de uma variante da palavra filhó que, por sua vez, forma o plural filhós (ex.: a filhó é um doce típico do Natal; comeu duas filhós). Ao processo de uma forma plural passar a ser empregue para designar também o singular, Evanildo Bechara dá o nome de "plural cumulativo" (ver Moderna Gramática Portuguesa, Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2002, pp. 128-129). O mesmo fenómeno acontece com os substantivos ilhó e ilhós, eiró e eirós, lilá e lilás, por exemplo.

Apesar de alguns autores condenarem o uso da forma filhós para designar o singular, a mesma e o respectivo plural filhoses surgem atestados nas principais obras lexicográficas de língua portuguesa, como o Vocabulário da Língua Portuguesa (Coimbra: Coimbra Editora, 1966), de Rebelo Gonçalves, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa (Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa / Editorial Verbo, 2001) ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, (Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2001 / Lisboa: Círculo de Leitores, 2002).




A utilização da expressão à séria nunca foi tão utilizada. Quanto a mim esta expressão não faz qualquer sentido. Porque não utiliz am a expressão a sério?
A locução à séria segue a construção de outras tantas que são comuns na nossa língua (junção da contracção à com uma substantivação feminina de um adjectivo, formando locuções com valor adverbial): à antiga, à portuguesa, à muda, à moderna, à ligeira, à larga, à justa, à doida, etc.

Assim, a co-ocorrência de ambas as locuções pode ser pacífica, partindo do princípio que à séria se usará num contexto mais informal que a sério, que continua a ser a única das duas que se encontra dicionarizada. Bastará fazer uma pesquisa num motor de busca na internet para se aferir que à séria é comummente utilizada em textos de carácter mais informal ou cujo destinatário é um público jovem; a sério continua a ser a que apresenta mais ocorrências (num rácio de 566 para 31800!).


Ver todas