Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Pesquisa por "cederá" nas definições

acochar | v. tr. | v. pron.
    Acamar (apertando)....

agachar | v. tr. | v. pron.
    Esconder, encobrir....

acurvar | v. tr., intr. e pron. | v. intr.
    Fazer curvar ou tornar-se curvo....

alhear | v. tr. | v. tr. e pron. | v. pron.
    Transmitir direito de propriedade; tornar alheio....

altivo | adj.
    Que tem altivez....

capitular | v. tr. | v. intr.
    Combinar, contratar, mediante condições....

ceder | v. tr. | v. intr.
    Desistir (em favor de outrem)....

cedível | adj. 2 g.
    Que se pode ceder....

cedo | adv.
    Antes da hora (em que a coisa se deve realizar)....

cimbrar | v. tr.
    Dar formato de cimbre....

condescender | v. intr.
    Ceder de boa vontade, por complacência....

deferir | v. tr. | v. intr.
    Despachar favoravelmente....

deixar | v. tr. | v. intr. | v. pron.
    Soltar de si....

dúctil | adj. 2 g.
    Que pode ser estendido na fieira ou a martelo sem se quebrar....

dobrar | v. tr. | v. intr. | v. pron.
    Pôr dobrado....

Dúvidas linguísticas


Gostava de saber a evolução etimológica da palavra opinião.
Como poderá verificar no verbete opinião do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, a palavra deriva directamente do latim opinio, -onis, através do acusativo opinionem, como a maioria das palavras derivadas do latim, com queda da consoante nasal final (opinione).
Seguiu-se, de forma regular, a queda do -e átono do singular e consequente nasalização do -o- antes da consoante nasal (opinione > opinion > opiniõ), havendo ao longo do séc. XVI a transformação de em -ão no singular e a manutenção de -ões no plural (opiniones > opiniões).




Agradecia que me dessem a vossa opinião quanto à classificação sintáctica da oração e não sei quem é que se encontra nos seguintes versos pessoanos: "É curioso que toda a vida do indivíduo que ali mora, e não sei quem é, atrai-me só por essa luz visitada de longe".
De acordo com o espólio do heterónimo pessoano Alberto Caeiro, disponibilizado on-line pela Biblioteca Nacional, o verso do poema "É noite" é ligeiramente diferente: "É curioso que toda a vida do indivíduo que ali mora, e que não sei quem é, // Atrai-me só por essa luz visitada de longe". Na expressão e que não sei quem é estão contidas duas orações: a primeira é uma oração subordinante (e que não sei) cujo verbo (saber) necessita de um complemento directo obrigatório que corresponde à segunda oração (quem é), que pode ser classificada como subordinada substantiva completiva.

A frase é complexa e a oração subordinante (e que não sei) deste pequeno excerto da frase, no âmbito dos versos transcritos (É curioso que toda a vida do indivíduo que ali mora, e que não sei quem é, atrai-me só por essa luz visitada de longe), é também uma oração subordinada relativa restritiva coordenada a outra da mesma natureza.

Para clarificar a divisão de orações, procedemos em seguida à classificação de todas as orações contidas nos dois versos de Alberto Caeiro e respectivas funções sintácticas (é de sublinhar que uma oração subordinada pode conter várias orações e dentro dela pode haver uma oração subordinante em relação às que dela dependem):
1. [É curioso] oração subordinante.
2. [que toda a vida do indivíduo que ali mora, e que não sei quem é, atrai-me só por essa luz visitada de longe] oração subordinada completiva com função de sujeito (este sujeito frásico não é muito evidente, mas pode ser testado com a concordância verbal; ex.: isso é curioso; essas coisas são curiosas).

2.1 [que toda a vida do indivíduo atrai-me só por essa luz visitada de longe] oração subordinante (relativamente às orações que dela dependem).
2.1.1 [que ali mora] oração subordinada relativa restritiva (isto é, fornece informação que restringe o antecedente indivíduo).
2.1.2 [e que não sei quem é] oração subordinada relativa explicativa (isto é, fornece informação adicional sobre o antecedente indivíduo) coordenada à oração relativa restritiva.
2.1.2.1 [e que não sei] oração subordinante (relativamente à oração que dela depende).
2.1.2.2 [quem é] oração subordinada completiva com função de complemento directo.

Palavra do dia

ca·cha·pu·ço ca·cha·pu·ço


(talvez alteração de cachapuz)
nome masculino

[Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]  Mergulho de cabeça para baixo. = CACHAFUNDO, CACHOLADA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Pesquisar/ceder%C3%A1 [consultado em 04-08-2021]