Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Pesquisa por "bato" nas definições

abater | v. tr. | v. tr., intr. e pron. | v. intr. e pron. | v. intr. | v. pron.
    Deitar abaixo; fazer cair....

adejar | v. intr. | v. tr. e intr. | v. tr.
    Bater as asas....

aboucar | v. tr. e intr.
    Espancar, bater....

abrir | v. tr. | v. intr. | v. pron.
    Fazer cessar o estado de fechado (ex.: abri as janelas)....

acajadar | v. tr.
    Dar a forma de cajado a....

açoitar | v. tr. | v. pron.
    Dar açoites em....

| adv. | interj.
    Local próximo da pessoa a quem se fala (ex.: chego aí num instante; quando foi que estiveram aí?)....

albardar | v. tr. | v. pron.
    Aparelhar a besta de carga....

afinfar | v. tr. | v. intr.
    Aplicar (pancada) em....

amarroar | v. tr. | v. intr.
    Bater com marrão....

amassar | v. tr. | v. tr. e pron. | v. pron.
    Misturar bem, transformando em massa....

apiloar | v. tr.
    Bater com o pilão em....

aplaudir | v. tr. | v. pron.
    Celebrar com aplausos....

apajar | v. tr.
    Bater e alisar (montes de sal) com o pajão....

apalear | v. tr.
    Bater com pau em....

apedrado | adj.
    Guarnecido de pedras....

apunhar | v. tr. | v. intr.
    Empunhar....

arriar | v. tr. | v. intr.
    Fazer descer (ex.: arriar a bandeira)....

Dúvidas linguísticas


Gostava de saber a evolução etimológica da palavra opinião.
Como poderá verificar no verbete opinião do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, a palavra deriva directamente do latim opinio, -onis, através do acusativo opinionem, como a maioria das palavras derivadas do latim, com queda da consoante nasal final (opinione).
Seguiu-se, de forma regular, a queda do -e átono do singular e consequente nasalização do -o- antes da consoante nasal (opinione > opinion > opiniõ), havendo ao longo do séc. XVI a transformação de em -ão no singular e a manutenção de -ões no plural (opiniones > opiniões).




Está errado dizer: Eu vi ninguém, Eu comi nada? Por que está incorreto (se acaso for)?
Os pronomes indefinidos ninguém e nada possuem significado negativo inerente; por esse motivo só podem integrar orações que sejam negativas. Ora as frases *Eu vi ninguém e *Eu comi nada são afirmativas, razão pela qual são consideradas gramaticalmente incorrectas, como indica o asterisco (*). Assim sendo, a negação com recurso aos pronomes indefinidos ninguém e nada na posição de complemento directo exige o advérbio de negação não antes do verbo: Eu não vi ninguém e Eu não comi nada. A esta construção, comum a outras línguas românicas, dá-se o nome de “dupla negação”.

Em posição de sujeito, no entanto, e dado que exprimem negação, os pronomes indefinidos ninguém e nada dispensam o advérbio não e precedem o verbo (ex.: ninguém veio à festa; nada o impede de concorrer às eleições), sendo consideradas agramaticais as construções em que o não está presente (ex.: *ninguém não veio à festa; *nada não o impede de concorrer às eleições).

Palavra do dia

ca·cha·pu·ço ca·cha·pu·ço


(talvez alteração de cachapuz)
nome masculino

[Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]  Mergulho de cabeça para baixo. = CACHAFUNDO, CACHOLADA

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Pesquisar/bato [consultado em 04-08-2021]