PT
BR
Pesquisar
Definições



Pesquisa nas Definições por:

albumina

albuminóide | adj. 2 g.

De composição análoga à albumina....


Que não tem albumina ou endosperma....


albuminado | adj.

Que contém albúmen ou albumina....


caséase | n. f.

Fermento solúvel que dissolve a albumina e coagula a caseína....


iodotirina | n. f.

Albumina iodada extraída da glândula tiróide e empregada em medicina no tratamento da papeira....


albumina | n. f.

Matéria viscosa e opalina, coagulável pelo calor, que constitui um dos princípios imediatos dos corpos organizados e que forma a quase totalidade da clara do ovo. (É usada na encadernação como base para a estampagem e aplicação de folhas de ouro.)...


albuminato | n. m.

Combinação de albumina e outro corpo....


Instrumento para determinar a quantidade de albumina que há num líquido....


albuminúria | n. f.

Doença caracterizada pela existência de albumina nas urinas....


clara | n. f.

Albumina que envolve a gema do ovo; branco do ovo....


glutina | n. f.

Albumina vegetal....


serina | n. f.

Piina; albumina do soro sanguíneo....


grumo | n. m.

Pequeno coágulo de albumina, de fibrina ou caseína, etc....


somatose | n. f.

Nome de uma preparação dietética de albumina de carne....


colagem | n. f.

Operação de limpar ou clarificar os vinhos com substâncias que provocam a sedimentação de partículas em suspensão, como albumina, bentonite, caseína ou gelatina....



Dúvidas linguísticas



Como se deve dizer? Filhó (singular) Filhós (plural) ou Filhós (singular) Filhoses (plural)?
A palavra filhós, por analogia com palavras terminadas pelo mesmo som (ex.: retrós, voz), forma o plural filhoses (ex.: escolheu a filhós mais pequena; as filhoses ainda estão quentes). Trata-se de uma variante da palavra filhó que, por sua vez, forma o plural filhós (ex.: a filhó é um doce típico do Natal; comeu duas filhós). Ao processo de uma forma plural passar a ser empregue para designar também o singular, Evanildo Bechara dá o nome de "plural cumulativo" (ver Moderna Gramática Portuguesa, Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2002, pp. 128-129). O mesmo fenómeno acontece com os substantivos ilhó e ilhós, eiró e eirós, lilá e lilás, por exemplo.

Apesar de alguns autores condenarem o uso da forma filhós para designar o singular, a mesma e o respectivo plural filhoses surgem atestados nas principais obras lexicográficas de língua portuguesa, como o Vocabulário da Língua Portuguesa (Coimbra: Coimbra Editora, 1966), de Rebelo Gonçalves, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa (Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa / Editorial Verbo, 2001) ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, (Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2001 / Lisboa: Círculo de Leitores, 2002).




Gostaria de saber se escrever ou dizer o termo deve de ser é correcto? Eu penso que não é correcto, uma vez que neste caso deverá dizer-se ou escrever deverá ser... Vejo muitas pessoas a usarem este tipo de linguagem no seu dia-a-dia e penso que isto seja uma espécie de calão, mas já com grande influência no vocabulário dos portugueses em geral.
Na questão que nos coloca, o verbo dever comporta-se como um verbo modal, pois serve para exprimir necessidade ou obrigação, e como verbo semiauxiliar, pois corresponde apenas a alguns dos critérios de auxiliaridade geralmente atribuídos a verbos auxiliares puros como o ser ou o estar (sobre estes critérios, poderá consultar a Gramática da Língua Portuguesa, de Maria Helena Mira Mateus, Ana Maria Brito, Inês Duarte e Isabel Hub Faria, pp. 303-305). Neste contexto, o verbo dever pode ser utilizado com ou sem preposição antes do verbo principal (ex.: ele deve ser rico = ele deve de ser rico). Há ainda autores (como Francisco Fernandes, no Dicionário de Verbos e Regimes, p. 240, ou Evanildo Bechara, na sua Moderna Gramática Portuguesa, p. 232) que consideram existir uma ligeira diferença semântica entre as construções com e sem a preposição, exprimindo as primeiras uma maior precisão (ex.: deve haver muita gente na praia) e as segundas apenas uma probabilidade (ex.: deve de haver muita gente na praia). O uso actual não leva em conta esta distinção, dando preferência à estrutura que prescinde da preposição (dever + infinitivo).

Ver todas