Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Insiste

3ª pess. sing. pres. ind. de insistirinsistir
2ª pess. sing. imp. de insistirinsistir
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

in·sis·tir in·sis·tir

- ConjugarConjugar

(latim insisto, -ere, parar, deter-se, apoiar-se)
verbo transitivo e intransitivo

1. Repetir ou manter uma afirmação, uma acção ou um comportamento, sem desistir ou aceitar recusa (ex.: ele insiste em fazer a mesma coisa; insisto que este procedimento tem de ser revisto; não vou insistir mais com ele; por favor, aceite, nós insistimos). = OBSTINAR-SE, TEIMAR

2. Pedir com insistência. = INSTAR

3. Não desistir de algo ou não ceder em relação a algo ou alguém. = CONTINUAR, PERSISTIR, PERSEVERAR, TEIMAR

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "Insiste" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

E se insiste em mobilizar em nós uma força súbita, um impulso e um ardor cuja evidência...

Em Tupiniquim

...é sofrer por ver alguém sofrer, é a ferida no corpo do outro que insiste em doer..

Em a peida é um regalo ... do nariz a gente trata

bondade de Deus Paulo insiste no fato de que a justificação vem da fé em Cristo..

Em Blog da Sagrada Família

Ambas as Organizações mundiais insistem na necessidade da redução dos tempos de trabalho para defender a saúde de quem...

Em Bem Estar no Trabalho

do chão que insiste em me suspender ao som de coros de ganchos e lágrimas de prostitutas que...

Em misterwalk
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Como dizer correctamente: ...a área que mais lhe fascina ou ... a área que mais a fascina?
O verbo fascinar é tradicionalmente registado nos dicionários como transitivo directo, isto é, como um verbo que selecciona um complemento nominal obrigatório que não é introduzido por uma preposição (ex.: esta área fascinou o aluno), não sendo consideradas aceitáveis construções com um complemento indirecto, isto é, um complemento nominal obrigatório introduzido por uma preposição (ex.: *esta área fascinou ao aluno; o asterisco indica agramaticalidade). Quando há pronominalização dos complementos de terceira pessoa, o complemento directo corresponde aos pronomes pessoais o, a os, as e o complemento indirecto aos pronomes pessoais lhe, lhes. Assim, relativamente aos exemplos acima referidos, a pronominalização do complemento directo da frase esta área fascinou o aluno deve ser feita com o pronome o (esta área fascinou-o), pois trata-se de um complemento directo, e não com o pronome lhe (*esta área fascinou-lhe).

Em relação às frases apontadas na dúvida colocada, o caso é o mesmo. Deverá ser usada a construção a área que mais a fascina (equivalente a a área que mais fascina alguém) e não a construção *a área que mais lhe fascina (equivalente a *a área que mais fascina a alguém).




Qual das expressões é a correcta: de forma a ou por forma a? Caso ambas estejam correctas, qual a diferença entre elas e quando usar uma ou outra?
As duas expressões estão correctas e são locuções prepositivas sinónimas, significando ambas “para”, “a fim de” ou “de modo a” e indicando um fim ou objectivo (ex.: procedeu cautelosamente de forma a/por forma a evitar erros), sendo a locução por forma a menos usada que de forma a, como se pode verificar pela pesquisa em corpora e motores de busca na internet. Ambas se encontram registadas em dicionários de língua portuguesa.

Estas duas expressões, construídas com a preposição a, pertencem a um conjunto de locuções (do qual fazem parte de modo a ou de maneira a) cujo uso é desaconselhado por alguns puristas, com o argumento de que se trata de expressões de influência francesa, o que, neste caso, não parece constituir argumento suficiente para as considerar incorrectas. Acresce ainda que, em qualquer dos casos, locuções prepositivas como de/por forma a, de maneira a ou de modo a desempenham a mesma função da preposição para, que neste contexto introduz frases subordinadas infinitivas adverbiais de fim (ex.: procedeu cautelosamente para evitar erros), da mesma forma que, com alterações ao nível dos tempos verbais, as locuções conjuncionais de/por forma que, de maneira que ou de modo que desempenham a função da locução conjuncional para que, que neste contexto introduz frases subordinadas finitas adverbiais de fim (ex.: procedeu cautelosamente para que evitasse erros). Não parece assim haver motivo para deixar de usar umas ou outras.

pub

Palavra do dia

o·ven·çal o·ven·çal


(ovença + -al)
nome masculino

1. [Antigo]   [Antigo]  Pessoa encarregada de uma despensa. = DESPENSEIRO, ECÓNOMO

2. [Antigo]   [Antigo]  Cobrador de rendas.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Insiste [consultado em 19-10-2021]