Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

Gol

golgol | n. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

gol |ô|gol |ô|


(inglês goal)
nome masculino

1. [Brasil]   [Brasil]   [Desporto]   [Esporte]  Em certos desportos (andebol, futebol, hóquei, etc.), espaço delimitado, geralmente provido de rede, onde a bola deve entrar para que seja golo. [No português de Portugal, é mais usado baliza.]

2. [Brasil]   [Brasil]   [Desporto]   [Esporte]  Tento ou ponto por entrada da bola na baliza adversária, no futebol e em outros desportos. [No português europeu, é mais usado golo.].


gol contra
[Brasil]   [Brasil]   [Desporto]   [Esporte]  Golo marcado na baliza da própria equipa. (Equivalente no português de Portugal: autogolo.)

gol de escanteio
[Brasil]   [Brasil]   [Futebol]   [Futebol]  O mesmo que gol olímpico.

gol olímpico
[Brasil]   [Brasil]   [Futebol]   [Futebol]  Golo marcado pelo jogador que executa um pontapé livre directo executado a partir do canto do terreno de jogo, sem que nenhum outro jogador toque na bola. = GOL DE ESCANTEIO

Plural: gols.Plural: gols.
pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "Gol" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

...@BrasiLyonnais O ex-Flamengo entrou no segundo tempo e deu tempo de fazer o 3º gol do jogo, já o ex-Athletico jogou quase a partida inteira e orquestrou o jogo...

Em www.brasilyonnais.com.br

O Mecão sofreu o gol no início do jogo e conseguiu o empate anda no primeiro tempo, com gol...

Em www.vermelhodepaixao.com.br

E foi dos pés do camisa 10 que surgiu o primeiro gol

Em Caderno B

, mas ser efetivo, transformar em gol ..

Em Caderno B

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes SA anunciou números preliminares de tráfego aéreo para o mês de...

Em NOTÍCIAS SOBRE AVIAÇÃO AVIATION NEWS
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual o texto correcto: peço-lhe para ele cá vir ou peço para ele cá vir?
Ambas as frases que refere estão correctas.

Na primeira, o verbo selecciona um complemento indirecto (o pronome oblíquo lhe) e um complemento directo sob a forma de oração completiva com valor nominal (para ele cá vir). Na segunda, o verbo pedir está a ser usado como transitivo directo, pois selecciona apenas o complemento directo.

Como o verbo pedir pode ser usado como transitivo directo (seleccionando apenas um complemento directo, como em pediu um café), transitivo indirecto (seleccionando apenas um complemento indirecto, como em pediu pelas vítimas da catástrofe) ou bitransitivo (seleccionando um complemento directo e um indirecto, como em pediu um café ao empregado), ambas as frases encontram-se correctamente formadas.




A questão da regência verbal sempre foi problemática na língua portuguesa e, se calhar, em todas as outras. Mas, uma das regências mais controversas é a do verbo apelar. Uns insistem que a preposição exigida por este verbo é a, enquanto outros consideram que é para. Qual será então a forma correcta? Por exemplo, devemos dizer o padre apelou os crentes para se manterem fiéis à doutrina ou o padre apelou aos crentes a manterem-se fiéis à doutrina?
O verbo apelar pode ser intransitivo, isto é, admite uma construção sem complemento nominal obrigatório (ex.: O advogado apelou), ou transitivo indirecto, isto é, admite uma construção com um complemento nominal regido de preposição, que pode ser a, de ou para, consoante os contextos ou as acepções. A construção de apelar com a preposição de é usual no sentido que diz respeito a recurso de decisões ou sentenças (ex. O advogado apelou da sentença). As construções que parecem ser objecto de dúvida são aquelas em que se utiliza as preposições a ou para. Neste caso, ambas estão atestadas nos principais dicionários de língua e de regência verbais, sendo possíveis e correctas as construções O padre apelou aos crentes ou O padre apelou para os crentes. Esta construção pode ainda complicar-se como o exemplo apresentado sugere: O padre apelou aos crentes para se manterem fiéis.

Os dicionários e as gramáticas geralmente não se pronunciam sobre estas construções mais complexas, por haver dificuldade em descrevê-las ou designá-las. Neste caso, o complemento assinalado constitui um outro complemento indirecto que se articula com o primeiro. Do ponto de vista sintáctico, não parece existir motivo para a preposição não poder ser a mesma nos dois casos (ex.: O padre apelou aos crentes a se manterem fiéis.), mas para evitar ambiguidades ou dificuldades de percepção, a preposição deverá ser diferente. Se se entender que a construção é demasiado complexa, é possível simplificá-la apenas com um complemento indirecto, mantendo toda a informação semântica (ex.: O padre apelou a que os crentes se mantivessem fiéis ou O padre apelou para os crentes se manterem fiéis).

A construção que não respeita a regência do verbo é aquela em que existe um complemento directo, isto é, um complemento nominal não regido de preposição. Assim sendo, o exemplo *O padre apelou os crentes para se manterem fiéis à doutrina pode ser considerado agramatical, pois o verbo deve ter um complemento indirecto, logo o complemento destacado deverá ser introduzido por uma preposição: O padre apelou aos crentes para se manterem fiéis à doutrina.

pub

Palavra do dia

ses·qui·cen·te·ná·ri·o ses·qui·cen·te·ná·ri·o


(sesqui- + centenário)
nome masculino

1. Transcurso ou comemoração do centésimo quinquagésimo aniversário.

adjectivo
adjetivo

2. Que tem ou celebra 150 anos.


SinónimoSinônimo Geral: TRICINQUENTENÁRIO

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Gol [consultado em 28-09-2021]