Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
muitomuito | det. e pron. indef. | pron. indef. | adv. | s. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

mui·to |mũĩ| mui·to |mũĩ|
(latim multus, -a, -um, numeroso, abundante, muito)
determinante e pronome indefinido

1. Indica uma grande quantidade indefinida (ex.: a comida tem muito sal; não quero mais canetas, já tenho muitas).POUCO

pronome indefinido

2. Indica longo período de tempo (ex.: há muito que estavam ali à espera).POUCO

advérbio

3. Com grande intensidade (ex.: choveu muito esta noite). = BASTANTE, DEVERASPOUCO

4. Usa-se para formar o grau superlativo absoluto analítico de adjectivos e advérbios (ex.: ela é muito alta; são imagens que muito raramente coincidem).

5. Repetidas vezes (ex.: o chefe viaja muito para Paris). = AMIÚDE, FREQUENTEMENTEPOUCO, RARAMENTE

6. Em excesso (ex.: ele dorme muito). = BASTANTEINSUFICIENTEMENTE, POUCO

7. Com força.

substantivo masculino

8. Quantidade grande de algo (ex.: não retiraria uma vírgula ao muito que tem sido escrito sobre o assunto).POUCO

9. Coisa de grande importância ou valor.POUCO

10. Grande quantia em dinheiro, valores ou bens (ex.: esta família sempre teve muito).POUCO


muito embora
Usa-se para introduzir uma frase subordinada e indica oposição a uma outra ideia exposta, mas que não é impeditiva (ex.: acho que ele vai continuar, muito embora esteja cansado). = AINDA QUE, APESAR DE, EMBORA, NÃO OBSTANTE

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "muito" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Gostaria de saber se, perante a utilização de uma oração intercalar precedida da conjunção e, a vírgula deverá vir antes ou depois da conjunção. Concretizando, qual das frases estará correcta: Tratando-se de uma questão importante, e tendo em conta os valores envolvidos, importa tomar uma decisão urgente ou Tratando-se de uma questão importante e, tendo em conta os valores envolvidos, importa tomar uma decisão urgente.
Na primeira frase apontada, estamos perante três orações ([1] Tratando-se de uma questão importante, [2] e tendo em conta os valores envolvidos, [3] importa tomar uma decisão urgente), havendo a coordenação (através da conjunção e) das duas orações gerundivas [1] e [2] que, por sua vez, funcionam como adjunto adverbial da oração principal [3], dela separado através de uma vírgula.

Depois de identificada esta estrutura, podemos verificar que na segunda frase apontada não há motivo para colocar a expressão tendo em conta os valores envolvidos entre vírgulas. Se o fizermos, estaremos a isolar sintacticamente uma estrutura, indicando que está intercalada (por favor, consulte também a resposta vírgula depois da conjunção e). Neste caso, verificamos que não se trata de uma oração intercalada, pois, se tentarmos suprimir o que está entre vírgulas, constatamos que o resultado é agramatical (*Tratando-se de uma questão importante e importa tomar uma decisão urgente). Com efeito, não se trata de uma coordenação da oração principal [3] com a primeira oração gerundiva [1], mas sim de uma coordenação de orações gerundivas, como se afirmou acima.

Do ponto de vista lógico, a frase correcta será então Tratando-se de uma questão importante(,) e tendo em conta os valores envolvidos, importa tomar uma decisão urgente. Os parênteses indicam aqui a opcionalidade da vírgula: aparentemente, entre [1] e [2] não haveria necessidade do uso de uma vírgula, já que a coordenação é feita pela conjunção e e esta vírgula não está a isolar uma parte da frase; no entanto, este uso da vírgula é muito frequente (cf. CUNHA e CINTRA, Nova Gramática do Português Contemporâneo, p. 643) em casos de orações coordenadas unidas pela conjunção e com um sujeito diferente. No caso, as duas orações gerundivas têm sujeitos diferentes, ainda que não expressos, pois o verbo tratar está a ser usado como verbo impessoal (isto é, não tem sujeito) e o verbo ter, na locução ter em conta, tem um sujeito indefinido, como alguém ou nós.

Sobre este assunto, poderá consultar também a resposta vírgula antes da conjunção e.




Qual a forma verbal correcta nestas duas frases: "Se quiserem levar agora, têm de pagar" ou "Se quiserdes levar agora, tendes de pagar"?
Ambas as frases que refere estão correctas, como se pode ver pela inclusão do pronome sujeito em cada uma delas: Se (vocês) quiserem levar agora, (vocês) têm de pagar; Se (vós) quiserdes levar agora, (vós) tendes de pagar.

No português europeu (ou de Portugal) a pessoa a quem se fala no discurso pode ser expressa pelos pronomes de 2.ª pessoa tu (singular) e, mais raramente, vós (plural) ou por pronomes de tratamento como você (singular) / vocês (plural), que concordam com o verbo na 3.ª pessoa. No português do Brasil o pronome de tratamento você sobrepôs-se progressivamente ao uso de vós e de tu, permanecendo este último sobretudo no Sul do país.

pub

Palavra do dia

bor·bo·le·ti·ce bor·bo·le·ti·ce
(borboleta + -ice)
substantivo feminino

1. Modos ou movimentos de borboleta.

2. [Figurado]   [Figurado]  Devaneio, imaginação.

3. [Figurado]   [Figurado]  Volubilidade, capricho.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/muito [consultado em 26-03-2019]