Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub

obrigado

obrigadoobrigado | adj. | n. m. | adj. n. m. | interj.
masc. sing. part. pass. de obrigarobrigar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

o·bri·ga·do o·bri·ga·do


(particípio de obrigar)
adjectivo
adjetivo

1. Que se sente devedor por ter sido alvo de uma atenção, de uma gentileza ou de um favor. = AGRADECIDO, GRATO

2. Cativado por finezas.

3. Que tem de se fazer ou de ser cumprido. = EXIGÍVEL, OBRIGATÓRIO

4. Constrangido, violentado.

5. Exigido, indispensável, forçado.

6. De que se não pode prescindir. = ESSENCIAL

nome masculino

7. Agradecimento (ex.: deixo-lhe um grande obrigado).

8. [Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]  Indivíduo que arremata o fornecimento de carnes verdes.

adjectivo e nome masculino
adjetivo e nome masculino

9. Que ou quem é sujeito de uma obrigação.

interjeição

10. Expressão usada para agradecer (ex.: já tomei nota, obrigado).

11. [Informal]   [Informal]  Expressão usada para indicar que algo é previsível (ex.: ele ficou com o emprego, obrigado, é casado com a filha do patrão!). = PUDERA


muito obrigado
Expressão usada para mostrar muita gratidão (ex.: esta ajuda foi preciosa, muito obrigado!).


Ver também resposta às dúvidas: obrigado ou obrigada e obrigado eu.

o·bri·gar o·bri·gar


verbo transitivo

1. Impor obrigação a.

2. Constranger; forçar.

3. Levar (outrem) a fazer, a se decidir, etc.

4. Impelir.

5. Sujeitar; comprometer.

6. Hipotecar.

7. Cativar (por meio de finezas, etc.).

verbo intransitivo

8. Impor obrigações; exigir cumprimento.

verbo pronominal

9. Contrair obrigação.

10. Sujeitar-se.

11. Prometer, cumprir.

12. Responsabilizar-se.

13. Ficar sujeito.

pub

Esta palavra em blogues

Ver mais

Com a chegada ao poder dos nazis em 1933, foi obrigado a viver no exílio, em Itália, França e finalmente na Bélgica ( Bruxelas )...

Em Geopedrados

Apesar da sua evidente preferência pelas artes e letras, foi obrigado pelo pai a frequentar o Ensino Técnico, que detestava..

Em Geopedrados

Que seja um época de grandes conquistas, estamos juntos irmãos … Obrigado ", escreveu..

Em Fora-de-jogo

OBRIGADO PJ e MP!!

Em Coluna D'Águias Gloriosas

profissionalizou aos 24 anos de idade, sendo obrigado a interromper o curso de engenharia quando estava no terceiro ano..

Em Geopedrados
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


O verbo intervir conjuga-se da mesma forma que o verbo vir? Sendo assim, qual é o seu particípio passado (caso tenha)?
O verbo intervir conjuga-se como o verbo vir, com a particularidade de se grafar com acento agudo na segunda e terceira pessoas do presente do indicativo (intervéns, intervém); esta particularidade é comum a todos os outros verbos derivados de vir ou do verbo latino venire (são os casos, por exemplo, de advir, avir, convir, desconvir, devir, provir, sobrevir). O particípio passado destes verbos também segue o paradigma de vir/vindo, sendo então intervindo o particípio passado de intervir (ex.: tinha intervindo brilhantemente no debate). Poderá esclarecer esta e outras dúvidas de conjugação seguindo a hiperligação para o verbo intervir no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa e clicando em seguida na opção Conjugar que se encontra imediatamente acima da definição do verbo.



Gostaria que me explicassem qual das expressões é a correta:
"Isto não tem nada a ver com aquilo."
"Isto não tem nada haver com aquilo."
Das frases que menciona, apenas a primeira (isto não tem nada a ver com aquilo) está correcta, pois, neste caso, a locução ter a ver com significa "estar relacionado com" ou "dizer respeito a" (ex.: fisicamente, o filho não tem nada a ver com o pai; quem disse que eu tenho alguma coisa a ver com essa história?). A segunda frase (*isto não tem nada haver com aquilo) está incorrecta e a dúvida resulta da semelhança fonética do verbo haver com a sequência a ver da locução ter a ver com.

É também a proximidade fonética entre ter a ver (com) e ter a haver que está na origem de outra dúvida muito semelhante, comum a muitos falantes de português, a que já respondemos aqui. É o caso em que a locução ter a ver (com) é confundida com a locução ter a haver, muito mais rara, que significa "ter a receber" ou “ficar na posse de algo” (ex.: a senhora ainda tem troco a haver; já recebi tudo, não tenho mais nada a haver). Nesse caso, qualquer frase decorrente de uma estrutura como ela não tem nada a _____ [ver/haver] com aquilo, é correcta: ela não tem nada a ver com aquilo significa “ela não tem relação com aquilo; aquilo não lhe diz respeito”; ela não tem nada a haver com aquilo significa “ela não recebe nada com aquilo”. No entanto, é altamente provável que, no caso dessa estrutura, a intenção seja indicar que o assunto ou a situação de que se está a falar [aquilo] não diz respeito ao interlocutor ou ao sujeito de quem se fala, pelo que, nesse caso, a única forma correcta de transmitir esse significado é através da locução ter a ver com, tal como ela é usada na frase isto não tem nada a ver com aquilo.

pub

Palavra do dia

ban·ga·la·fu·men·ga ban·ga·la·fu·men·ga


(origem duvidosa)
nome masculino

[Brasil: Nordeste, Depreciativo]   [Brasil: Nordeste, Depreciativo]  Indivíduo sem valor, sem préstimo. = JOÃO-NINGUÉM, ZÉ-NINGUÉM

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/obrigado [consultado em 03-08-2021]