Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

tapa

tapatapa | n. f. | n. f. (PT) / n. m. (BR) | n. m.
3ª pess. sing. pres. ind. de tapartapar
2ª pess. sing. imp. de tapartapar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ta·pa ta·pa


(derivação regressiva de tapar)
nome feminino

1. Acto ou efeito de tapar. = TAPAMENTO

2. O que serve para tapar.

3. [Zoologia]   [Zoologia]  Parede exterior do casco da besta. = MURALHA, PAREDE, TAIPA

4. [Armamento]   [Armamento]  Taco com que se tapa a boca das peças de artilharia.

5. [Informal]   [Informal]  Porta.

6. [Culinária]   [Culinária]  Prato de entradas ou petiscos, geralmente servido como acompanhamento de bebida.

7. [Ictiologia]   [Ictiologia]  Peixe pleuronecta.

8. [Regionalismo]   [Regionalismo]  Bouça, tapada.

9. [Brasil]   [Brasil]  Pedaço de pano com que se vendam os olhos dos burros e cavalos pouco mansos.

nome feminino no português de Portugal / nome masculino no português do Brasil

10. [Informal]   [Informal]  Pancada com a mão aberta.

11. [Informal]   [Informal]  Pancada na cara com a mão. = BOFETADA, BOFETÃO, ESTALADA, ESTALO, TABEFE

12. [Informal]   [Informal]  Argumento sem réplica.

13. [Informal]   [Informal]  Coisa que faz calar.

nome masculino

14. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Trago em cigarro de haxixe ou marijuana. = PEGA, TAPINHA


ta·par ta·par

- ConjugarConjugar

verbo transitivo

1. Cobrir com tampa ou testo. = TAMPAR

2. Cobrir.

3. Entupir.

4. Vedar.

5. Obstruir.

6. Esconder.

7. Rolhar.

8. Fechar.

9. Resguardar.

verbo pronominal

10. Abafar-se.

11. Cobrir-se.

12. Diz-se do cavalo que mete uma mão pela outra.

13. Diz-se do touro que, em vez de baixar a cabeça para marrar, a levanta.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "tapa" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Neste momento, a passageira agride o senhor com um tapa no rosto seguido de xingamentos após ele insulta-la..

Em NOTÍCIAS SOBRE AVIAÇÃO AVIATION NEWS

...disse e já fez, sua incompatibilidade absoluta com a Presidência ainda agride como um tapa e continua a me escandalizar..

Em blog0news

...de segurança do estabelecimento flagram o momento exato em que o chileno acerta um tapa no rosto do funcionário e o empurra em seguida..

Em www.blogdocolares.com

assumir, a gente vai poder cuidar melhor desse trecho, fazer manutenção, tapa buraco, acostamento e também temos projeto de duplicação”, disse o prefeito O processo para...

Em www.blogdocolares.com

...com o estudante, a vítima foi puxada pelo braço e agredida publicamente com um tapa no rosto..

Em Caderno B
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Posso utilizar a expressão e/ou em um texto formal? Se não, como escrevê-la? Posso escrever e ou ou e, ou?
As palavras e e ou são conjunções coordenativas, isto é, relacionam termos que podem ter a mesma função na frase (ex.: vou comprar umas calças azuis e brancas; vou comprar umas calças azuis ou brancas), sendo que a conjunção e indica adição (ex.: calças azuis e brancas) e a conjunção ou indica alternativa (ex.: calças azuis ou brancas).

A expressão e/ou é utilizada para exprimir de maneira económica e clara três hipóteses, duas delas contidas numa alternativa (uma coisa ou outra) e a outra contida numa adição (uma coisa e outra). Por exemplo, numa frase como todos os utilizadores têm o direito de rectificação e/ou eliminação dos seus dados pessoais, o texto destacado indica que é possível 1) a rectificação dos seus dados pessoais, 2) a eliminação dos seus dados pessoais, 3) a rectificação dos seus dados pessoais e a eliminação dos seus dados pessoais. Os pontos 1) e 2) estão contidos na alternativa com ou e o ponto 3) está contido na adição com e.

Não há qualquer motivo para a não utilização desta expressão num texto formal. A barra indica opcionalidade entre o e e o ou: rectificação e/ou eliminação dos seus dados pessoais = rectificação e eliminação dos seus dados pessoais / rectificação ou eliminação dos seus dados pessoais.




Gostaria de saber se em palavras nas quais o prefixo termina com a mesma vogal que inicia a outra palavra (como anti+inflamatório; poli+insaturado, etc...) há necessidade de se usar hífen ou se é possível fusionar as duas vogais (e.g., antiinflamatório; poliinsaturado).
Esta questão tem uma resposta diferente se pretender a ortografia antes ou depois do Acordo Ortográfico de 1990 (AO de 1990).

Segundo o Acordo Ortográfico de 1945 (válido para a norma portuguesa antes do AO de 1990) e também segundo o Formulário Ortográfico de 1943 (válido para a norma brasileira antes do AO de 1990), o elemento de formação anti- apenas deve ser ligado por hífen a palavras que comecem por h (ex.: anti-higiénico), i (ex.: anti-ibérico), r (ex.: anti-rugas) ou s (ex.: anti-semita).

Relativamente ao emprego do prefixo poli-, não é tão fácil chegar a uma resposta conclusiva e peremptória para a ortografia antes da aplicação do AO de 1990. Este prefixo não é expressamente referido no Acordo Ortográfico de 1945 (vd. bases XXVIII a XXXII, sobre o uso do hífen), nem no Formulário Ortográfico de 1943, pelo que só se pode inferir o comportamento de poli- a partir do registo lexicográfico de outras palavras com o mesmo prefixo. Assim sendo, a consulta de obras de referência revela um comportamento análogo ao de outros prefixos que nunca são seguidos de hífen, como mono- ou bi- (ex: monoinsaturado, biebdomadário, poliarticular, polirrítmico, polissacarídeo, poliúria), o que valida a forma poliinsaturado, que é, aliás, a forma registada pelo Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa.
Outra opção tomam o Grande Dicionário Língua Portuguesa, da Porto Editora, e o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências, que registam a forma polinsaturado, com a elisão da vogal (i oral) em que termina o prefixo. A este respeito, Rebelo Gonçalves, no seu Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa (Coimbra: Atlântida, 1947, pp. 252-253), refere que se deve prever também esta opção com estes prefixos que nunca são seguidos de hífen, isto é, "o caso de um prefixo não aparecer em forma plena, por terminar em vogal e esta se elidir ante uma vogal do elemento imediato: endartrite, etc".

Nas obras consultadas, é de referir que não há registo de nenhuma outra forma com o mesmo contexto de poli-+insaturado (poli- seguido de i nasal), mas apenas com um contexto de poli- seguido de i oral: formas como poliide (género de algas) ou poliidrite (mineral) surgem averbadas no Grande Dicionário da Língua Portuguesa (12 vol., Porto, Amigos do Livro Editores, 1981), de José Pedro Machado. Pesquisas em corpora e em motores de busca da Internet revelam uma maior ocorrência de poliinsaturado (e suas flexões) no português do Brasil e de polinsaturado (e suas flexões) no português europeu, provável reflexo do diferente registo lexicográfico nas duas normas do português, não podendo, no entanto, nenhuma destas duas formas ser considerada incorrecta.

Com a aplicação do Acordo Ortográfico de 1990, estes dois prefixos terão tratamento idêntico, uma vez que passa a haver regras mais gerais e contextuais do que nos textos legais anteriores. Assim, segundo a Base XVI, 1º, alínea b), quando um prefixo ou pseudoprefixo termina na mesma vogal com que se inicia o segundo elemento deverá usar-se hífen, pelo que deverá escrever-se anti-inflamatório e poli-insaturado (a par de polinsaturado).

pub

Palavra do dia

zoi·si·te zoi·si·ta


([Sigismund] Zois [von Eldstein], antropónimo [mineralogista esloveno] + -ite)
nome feminino

[Mineralogia]   [Mineralogia]  Mineral ortorrômbico do grupo dos epídotos, usado como pedra preciosa.


• Grafia no Brasil: zoisita.

• Grafia no Brasil: zoisita.

• Grafia em Portugal: zoisite.

• Grafia em Portugal: zoisite.
pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/tapa [consultado em 26-01-2022]