Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

primeiro-ministro

primeiro-ministroprimeiro-ministro | n. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

pri·mei·ro·-mi·nis·tro pri·mei·ro·-mi·nis·tro


nome masculino

1. Pessoa que recebeu o encargo de formar governo; chefe do governo.

2. Pessoa que preside ao conselho de ministros.

Feminino: primeira-ministra. Plural: primeiros-ministros.Feminino: primeira-ministra. Plural: primeiros-ministros.

Ver também resposta à dúvida: juiz / juíza.
pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "primeiro-ministro" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Reagan na Casa Branca quando lutava conta a invasão soviética (1979-89), embora haja quem diga que esse encontro nunca ocorreu. Antes de se tornar chefe de governo do Paquistão, o atual primeiro-ministro , Imran Khan, admitiu que a Rede Hakkani é o braço do Exército do Paquistão na guerra civil afegã. O

Em Vida Global

torno de R$ 15 bilhões e gerar mais de 10 mil empregos diretos e indiretos. A expectativa é que o GasLub – que contará com o gasoduto de escoamento do pré-sal Rota 3 e a Unidade de Processamento de Gás Natural - inicie sua operação no primeiro trimestre de 2022. O secretário de Estado de Desenvolvimento

Em O VAGALUME

O Presidente da República decidiu (...) publicamente colocar um prazo de validade ao primeiro-ministro . Ainda o congresso do PS e as suas réplicas na política. Na semana passada, o Expresso publicou em manchete uma notícia extraordinária: “Marcelo convicto de que Costa sai.” Uma notícia que, do

Em A RODA

subsídios de férias, uma situação que só viria a ser resolvida, curiosamente, pelo Ministério das Finanças liderado por Mário Centeno, ministro do primeiro Governo de António Costa. De frisar que a dívida da CML à ADL, que resultou do ato ilegal de António Costa, acabou por ser paga em 2019, após condenação

Em ∞ INFINITO’S ∞

Ó meu, gastas tu e pago eu?! . FOI JÁ demasiado tarde que eu vim a saber que o nosso Ministro do Ambiente tinha vindo a Lagos para a abertura oficial da época balnear — e tenho pena de não o ter sabido a tempo, pois estou certo de que, sendo nós conterrâneos e velhos colegas de profissão

Em sorumb
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Em expressões como não análise, não excedente, não conhecimento, não aceitação, não provimento, etc., quando deve ser utilizado, ou não, o hífen?
A utilização do hífen em casos semelhantes aos apresentados é possível e até muito usual.

A palavra não, por se tratar de um advérbio, é uma palavra invariável usada geralmente para modificar um verbo (ex.: não comi), um adjectivo (ex.: pessoa não competente), outro advérbio (ex.: agindo não eficazmente) ou uma frase (ex.: não podemos deixar-nos adormecer) mas em geral não modifica substantivos. Por este motivo, é comum ligar este advérbio por hífen a um substantivo que se lhe segue, mas tal procedimento não é obrigatório, nem é regulado por qualquer indicação nos textos legais em vigor para a língua portuguesa.

O que é dito sobre o hífen no Acordo Ortográfico de 1945 (válido para o português europeu, mas muito semelhante ao que é dito no Formulário Ortográfico de 1943, válido para o português do Brasil) é bastante vago e nada esclarecedor sobre este assunto: “Emprega-se o hífen nos compostos em que entram, foneticamente distintos (e, portanto, com acentos gráficos, se os têm à parte), dois ou mais substantivos, ligados ou não por preposição ou outro elemento, um substantivo e um adjectivo, um adjectivo e um substantivo, dois adjectivos ou um adjectivo e um substantivo com valor adjectivo, uma forma verbal e um substantivo, duas formas verbais, ou ainda outras combinações de palavras, e em que o conjunto dos elementos, mantida a noção da composição, forma um sentido único ou uma aderência de sentidos.” (Base XXVIII [sublinhado nosso]).

O Acordo Ortográfico de 1990 não altera nada a este respeito.

O uso do hífen coloca então muitas dúvidas aos utilizadores da língua, pois não obedece geralmente a critérios lógicos, mas antes a convenções e muitas vezes é justificado devido à tradição de registo em dicionários de língua que funcionam como referência. Neste âmbito, surgem em muitos dicionários entradas com o elemento não- seguido de adjectivos, substantivos e verbos, mas como, em teoria, qualquer palavra de uma destas classes poderia ser modificada pelo advérbio não, o registo de todas as formas possíveis seria impraticável e de muito pouca utilidade para o consulente.

Em conclusão, podemos afirmar que o uso do hífen é possível para ligar o advérbio não a um substantivo; o uso do hífen para ligar o advérbio não a classes que são habitualmente modificadas por advérbios (verbos, adjectivos, advérbios) parece ser desnecessário, dadas as características da classe adverbial, mas nada o impede.




Empreendedorismo ou empreendorismo?
A palavra empreendedorismo encontra-se registada no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa e a sua utilização é perfeitamente lícita, uma vez que se encontra correctamente formada (a partir da aposição do sufixo -ismo a empreendedor), ao contrário de empreendorismo, que pressupõe a elisão de algumas letras da palavra empreendedor ou uma forma *empreendor, que não existe.
pub

Palavra do dia

za·gai·ar za·gai·ar

- ConjugarConjugar

(zagaia + -ar)
verbo transitivo

1. Arremessar zagaia, tipo de lança curta.

2. Ferir ou matar com esse tipo de lança.

verbo transitivo e intransitivo

3. [Pesca]   [Pesca]  Pescar com zagaia, tipo de engodo artificial.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/primeiro-ministro [consultado em 27-09-2021]