Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

flexibilidade

flexibilidadeflexibilidade | n. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

fle·xi·bi·li·da·de |cs|fle·xi·bi·li·da·de |cs|


nome feminino

1. Qualidade daquilo que é flexível.

2. [Figurado]   [Figurado]  Aptidão para trabalhos e estudos de natureza diversa.

3. Docilidade; subserviência.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "flexibilidade" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra em blogues

Ver mais

...desenvolvidos à medida para tirar partido deste formato único e que garante uma maior flexibilidade de utilização..

Em www.appsdoandroid.com

O destaque dos negócios continua por conta da indústria local, que dá a flexibilidade de receber qualidades inferiores”, conclui..

Em Caderno B

Oriente e no continente africano, a flexibilidade , o pragmatismo e uma grande dose de despreocupação abriram caminho a outras formas...

Em BioTerra

apoio social, explorando a preceito com inteligência, empatia, motivação intrínseca, flexibilidade , ambição, autoconfiança e otimismo os seus atributos..

Em O INDEFECTÍVEL

...IA nativa 6G melhoraria a eficiência da rede e do interface aéreo, aumentaria a flexibilidade do sistema e reduziria os custos..

Em www.appsdoandroid.com
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual a correta grafia: sub-bosque ou subosque?
O prefixo sub- deve ser seguido de hífen quando o elemento seguinte se inicia por b, uma vez que se trata da mesma consoante por que termina o prefixo, como prevê o Acordo Ortográfico de 1945 (para o português de Portugal). O Formulário Ortográfico de 1943 (para o português do Brasil) não tem este contexto previsto no uso do hífen, mas o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP) da Academia Brasileira de Letras regista esta forma e outras com a sequência sub-b...; a par disto, é de referir que também as formas subosque e sobosque estão registadas no VOLP, depreendendo-se a sua origem nas formas prefixais su- e so-, respectivamente, equivalentes a sub- e sob-, mas de contexto ortográfico diferente (daí o facto de não serem formas hifenizadas).

Este contexto ortográfico não sofre alteração com a aplicação do novo Acordo Ortográfico de 1990, pois, apesar de o texto do Acordo ser omisso neste ponto (cf. Base XVI), a "Nota Explicativa" anexa ao referido texto prevê o uso do hífen: "6.3 - O hífen nas formas derivadas (base XVI) [...] a) Emprega-se o hífen quando o segundo elemento da formação começa por h ou pela mesma vogal ou consoante com que termina o prefixo ou pseudoprefixo (por exemplo: anti-higiénico, contra-almirante, hiper-resistente) [...]" (sublinhado nosso).

Por este motivo, pode dizer-se que a forma sub-bosque está correcta, bem como as formas sobosque ou subosque, apesar de estas duas últimas preverem o uso de prefixos equivalentes a sob- ou sub-, que serão menos consensuais (o prefixo su- com este sentido não se encontra registado em nenhuma obra lexicográfica por nós consultada).




É correto iniciar uma frase de um parágrafo com a palavra portanto?
A palavra portanto é uma conjunção que se usa para ligar frases coordenadas, iniciando uma oração que exprime a consequência da outra expressa anteriormente (ex.: Não tinha nada em casa para comer, portanto teria de ir jantar fora.). De entre as conjunções ou locuções conjuncionais coordenativas, logo, por conseguinte e portanto podem variar de posição, “conforme o ritmo, a entoação ou a harmonia da frase”1, pelo que não tem de haver um uso exclusivo daquelas conjunções entre duas orações. Estas conjunções coordenativas, tal como algumas outras, podem iniciar frases, retomando assim o que foi expresso no enunciado anterior (ex.: Ela esperava. Mas as horas passavam e o seu pai nunca mais chegava. / Não estava ninguém na loja. Portanto teria de esperar mais umas horas ou voltar no dia seguinte.).

Há, no entanto, outras conjunções, como a coordenativa copulativa e (ex.: Tinha comido cerejas e pêssegos.) e a coordenativa disjuntiva ou (ex.: Queres ou não saber o que aconteceu?), cujo uso em início de frase, num registo escrito e mais cuidado, é geralmente desaconselhado, por possuírem uma função conectiva muito marcada. Porém, por necessidades expressivas ou por motivos literários, essas conjunções podem ocorrer no começo de frases (ex.: Havia tartes! E bolos! E gelados! E tantas outras sobremesas!).


1 Cunha, Celso, Lindley Cintra, Nova Gramática do Português, 14.ª ed., Lisboa: Edições Sá da Costa, 1998, p. 578

pub

Palavra do dia

qui·ro·po·dis·ta qui·ro·po·dis·ta


(quiropodia + -ista)
nome de dois géneros

Especialista em quiropodia ou no tratamento das doenças e dos problemas dos pés.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/flexibilidade [consultado em 17-08-2022]