Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

claudicar

claudicarclaudicar | v. intr. | v. tr.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

clau·di·car clau·di·car

- ConjugarConjugar

(latim claudico, -are)
verbo intransitivo

1. Não ter firmeza em um dos pés. = COXEAR, MANCAR

2. [Figurado]   [Figurado]  Não ter firmeza numa ideia ou numa decisão. = VACILAR

3. Faltar um tanto ao cumprimento dos seus deveres.

verbo transitivo

4. [Regionalismo]   [Regionalismo]  Segurar com alfinetes. = PREGAR

pub

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Afinal, quando se fala de dentro de campo, não se pode mesmo claudicar fora dele..

Em O INDEFECTÍVEL

...Emídio Peixoto, foi uma sexta-feira para esquecer, com o motor do seu Jaguar a claudicar logo na 2..

Em Clube Slot de Braga

...a ceder pontos na deslocação à Madeira (1-1), no terreno do Marítimo, antes de claudicar com o FC Porto (1-2) na 1..

Em Fora-de-jogo

...esperança cada vez mais forte de ainda poder vencer o campeonato face ao evidente claudicar do Sporting que nos últimos quatro jogos apenas venceu um e empatou os restantes...

Em Depois Falamos

...que é extremamente provável - porém Jorge Jesus não pode, como acontece praticamente sempre, claudicar aos pés do FCPorto..

Em Blog GeraçãoBenfica
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual a correta grafia: sub-bosque ou subosque?
O prefixo sub- deve ser seguido de hífen quando o elemento seguinte se inicia por b, uma vez que se trata da mesma consoante por que termina o prefixo, como prevê o Acordo Ortográfico de 1945 (para o português de Portugal). O Formulário Ortográfico de 1943 (para o português do Brasil) não tem este contexto previsto no uso do hífen, mas o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP) da Academia Brasileira de Letras regista esta forma e outras com a sequência sub-b...; a par disto, é de referir que também as formas subosque e sobosque estão registadas no VOLP, depreendendo-se a sua origem nas formas prefixais su- e so-, respectivamente, equivalentes a sub- e sob-, mas de contexto ortográfico diferente (daí o facto de não serem formas hifenizadas).

Este contexto ortográfico não sofre alteração com a aplicação do novo Acordo Ortográfico de 1990, pois, apesar de o texto do Acordo ser omisso neste ponto (cf. Base XVI), a "Nota Explicativa" anexa ao referido texto prevê o uso do hífen: "6.3 - O hífen nas formas derivadas (base XVI) [...] a) Emprega-se o hífen quando o segundo elemento da formação começa por h ou pela mesma vogal ou consoante com que termina o prefixo ou pseudoprefixo (por exemplo: anti-higiénico, contra-almirante, hiper-resistente) [...]" (sublinhado nosso).

Por este motivo, pode dizer-se que a forma sub-bosque está correcta, bem como as formas sobosque ou subosque, apesar de estas duas últimas preverem o uso de prefixos equivalentes a sob- ou sub-, que serão menos consensuais (o prefixo su- com este sentido não se encontra registado em nenhuma obra lexicográfica por nós consultada).




Tenho uma pequena dúvida entre o emprego de pronomes. Por exemplo, na frase seguinte o correto é Isto é para eu fazer ou Isto é para mim fazer?
Os pronomes pessoais, além de se dividirem em pessoa (primeira, segunda ou terceira) e número (singular ou plural), dividem-se também consoante a sua função na frase, isto é, sujeito (ex.: tu estás doente), complemento directo (ex.: vestiste-te), complemento indirecto (ex.: entreguei-te a encomenda) ou complemento circunstancial (ex.: fez isto por ti), como poderá consultar no tópico Pronomes da Gramática do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.

Os pronomes eu, tu, ele/ela, você, nós, vós, eles/elas, vocês correspondem então a pronomes de sujeito, que podem desempenhar não só funções de sujeito (ex.: eu faço isso), mas também de predicativo do sujeito (ex.: o professor é ele) ou de vocativo (ex.: vocês, venham cá).

A frase referida na dúvida (Isto é para eu fazer) é composta por duas orações: a principal (Isto é) e uma oração infinitiva completiva (para eu fazer), que corresponde ao predicativo do sujeito da oração principal (por isso se chama completiva). Cada uma destas duas orações tem uma estrutura interna com os seus constituintes essenciais. Atentando apenas à oração infinitiva completiva (para eu fazer), que é a que nos interessa para a questão colocada, verificamos que o pronome eu é o sujeito da oração, como se poderá constatar transformando esta oração numa frase simples (eu faço isso) ou alterando o sujeito (isto é para eles fazerem) para conferir que esta alteração obriga à concordância do verbo (é o sujeito da frase que desencadeia a concordância com o verbo).

Pelos motivos acima apontados, a frase correcta deverá ser Isto é para eu fazer e não *Isto é para mim fazer (o asterisco indica incorrecção).

pub

Palavra do dia

qui·ro·po·dis·ta qui·ro·po·dis·ta


(quiropodia + -ista)
nome de dois géneros

Especialista em quiropodia ou no tratamento das doenças e dos problemas dos pés.

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/claudicar [consultado em 17-08-2022]