PT
BR
Pesquisar
Definições



carregadora

A forma carregadoraé [feminino singular de carregadorcarregador].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
carregadorcarregador
|ô| |ô|
( car·re·ga·dor

car·re·ga·dor

)
Imagem

ElectricidadeEletricidadeEletricidade

Dispositivo dotado de transformador que serve para carregar a bateria de aparelhos electrónicos.


nome masculino

1. Pessoa que embarca carga (em navio).

2. Moço de fretes.

3. O que faz serviço braçal em estação de caminho-de-ferro.

4. Soldado que mete a carga na peça.

5. Cucharra.

6. Indivíduo que transporta carga, mercadorias, malas.

7. [Armamento] [Armamento] Peça acessória das armas de fogo usada para encaixar as balas que vão recarregar a arma. = PENTE

8. [Electricidade] [Eletricidade] [Eletricidade] Dispositivo dotado de transformador que serve para carregar a bateria de aparelhos electrónicos.Imagem

etimologiaOrigem etimológica:carregador + -dor.

Auxiliares de tradução

Traduzir "carregadora" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Por que motivo algumas palavras fazem o diminutivo com S e outras com Z?
Entre os sufixos mais produtivos para a formação de diminutivos encontram-se -inho e -zinho. Desta forma, poderá, por exemplo, formar as palavras livrinho (livro + -inho) e livrozinho (livro + -zinho). Só poderá haver um -s- num diminutivo se a palavra primitiva já o contiver, pois não há, em português, um sufixo -sinho. Por exemplo, nas palavras adeusinho ou vasinho há um -s- porque as palavras são formadas de adeus ou vaso + -inho.



Qual destas frases está correcta: «Ele assegurou-me que viria» ou «Ele assegurou-me de que viria»? Li que o verbo "assegurar" é regido pela preposição "de" quando é conjugado pronominalmente; no entanto, só me soa bem dessa forma quando ele é conjugado reflexivamente, como em "Eles asseguraram-se de que não eram seguidos". Afinal, como é que é? Obrigada.
Os dicionários que registam as regências verbais, como o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa ou o Dicionário sintáctico de verbos portugueses, estipulam que o verbo assegurar é regido pela preposição de apenas quando usado como pronominal (ex.: quando saiu de casa assegurou-se de que as janelas estavam fechadas). Para além do uso pronominal, o verbo assegurar pode ainda ser transitivo directo ou bitransitivo, isto é, seleccionar complementos não regidos por preposição (ex.: os testes assegurariam que o programa iria funcionar sem problemas; o filho assegurou-lhe que iria estudar muito).

Este uso preposicionado do verbo assegurar na acepção pronominal nem sempre é respeitado, havendo uma tendência generalizada para a omissão da preposição (ex.: quando saiu de casa assegurou-se que as janelas estavam fechadas). O fenómeno de elisão da preposição de como iniciadora de complementos com frases finitas não se cinge ao verbo assegurar, acontecendo também com outros verbos, como por exemplo aperceber (ex.: não se apercebeu [de] que estava a chover antes de sair de casa) ou esquecer (ex.: esquecera-se [de] que havia greve dos transportes públicos).