PT
BR
Pesquisar
Definições



Pesquisa nas Definições por:

percebe

Que tem a faculdade de perceber....


críptico | adj.

Difícil de perceber ou de interpretar....


hem | interj.

Expressão usada, com entoação interrogativa, para indicar que não se percebeu o que foi dito e que se pretende que o interlocutor repita....


impenetrável | adj. 2 g.

Que não deixa perceber o que pensa....


intuitivo | adj.

Que se percebe por intuição....


nicles | adv. | pron. indef.

Coisa nenhuma (ex.: eles não percebem nicles batatóides do assunto)....


perceptivo | adj.

Que tem a facilidade de perceber....


Que pode perceber ou ouvir qualquer bulha por mais pequena que seja....


serrátil | adj. 2 g.

Diz-se do pulso em que se percebem pulsações simultâneas em vários pontos da mesma artéria....


tangível | adj. 2 g.

Que pode ser tocado ou apalpado....


perceptor | adj.

Que tem a faculdade de perceber....


extra-sensorial | adj. 2 g.

Que ultrapassa aquilo que pode ser percebido pelos sentidos (ex.: percepção extra-sensorial)....


percipiente | adj. 2 g.

Que percebe ou tem facilidade em perceber....


Que se vê ou se percebe facilmente; que é completamente perceptível....


in albis | loc.

Sem ter estudado, sem ter lido, sem ter tido conhecimento ou sem ter percebido....



Dúvidas linguísticas



Devo escrever ele será analisado no terceiro dia ou ele será analisado ao terceiro dia?
Qualquer das duas frases é possível, visto que quer a preposição em (presente na contracção no) quer a preposição a (presente na contracção ao) se utilizam na expressão de valores temporais (ex.: viaja sempre em Agosto; estava a dois dias do casamento).



Na frase "Quem encontrou uns óculos no banheiro, favor entregar ao setor de Meio Ambiente", a dúvida é se posso colocar uns óculos, mesmo possuindo um único par de óculos perdidos.
A concordância uns óculos está correcta e *um óculos é um erro a evitar (o asterisco indica agramaticalidade).

O exemplo apontado (óculos) é um caso de pluralia tantum (‘apenas plural’), designação latina dada a palavras ou expressões que correspondem a um plural gramatical, mas que designam um objecto ou referente singular, normalmente formado por duas partes mais ou menos simétricas (outros exemplos serão binóculos ou calças). Com estas palavras tem de haver sempre concordância com a terceira pessoa do plural (ex.: os binóculos partidos estão em cima da mesa; as calças rasgadas foram cosidas), pois gramaticalmente são substantivos no plural, mesmo se designam uma realidade única; é também frequente nestes casos o uso do numeral colectivo par de, o que permite fazer concordâncias no singular (ex.: o par de binóculos partidos/partido está em cima da mesa; o par de calças rasgadas/rasgado foi cosido).

A hesitação na utilização da palavra óculos parece resultar de dois factores. O primeiro factor relaciona-se com a influência de um fenómeno relativamente comum no português do Brasil, que consiste na preferência do singular para designar um referente composto por duas peças (ex.: Comprei uma calça nova; Está usando sandália importada), sem que a interpretação implique apenas um elemento do par (repare-se no entanto que as formas *uma calças / *umas calça e *uma sandálias / *umas sandália são incorrectas, como indica o asterisco). O segundo factor, como refere Cláudio Moreno em O Prazer das Palavras (Porto Alegre, RBS Publicações, 2004, p. 122), relaciona-se com o facto de óculos não ser entendido como plural de óculo e ser confundido com um substantivo de dois números (isto é, que tem a mesma forma para o singular e para o plural) terminado em -s, como lápis (ex.: Comprei um lápis novo; Está usando lápis importados). Estes dois factores conjugam-se na construção de estruturas erradas como *meu óculos escuro.


Ver todas