Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

volta-face

volta-facevolta-face | n. f.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

vol·ta·-fa·ce vol·ta·-fa·ce


(forma do verbo voltar + face)
nome feminino

1. Acto de se desdizer ou de se retratar alguém.

2. Mudança súbita de opinião, de sistema, de circunstâncias.


SinónimoSinônimo Geral: VIRA-FACE

Plural: volta-faces.Plural: volta-faces.
Nota: forma considerada preferível a volte-face.
pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "volta-face" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

Na tarde de sábado (11), por volta das 12h30, policiais militares lotados no 12º Batalhão de Polícia Militar de Naviraí, foram acionados via telefone de emergência para atender uma ocorrência de violência doméstica no bairro Jardim Paraíso. De imediato, uma guarnição de serviço foi até o endereço

Em Caderno B

, os nossos corpos, conhecem, adaptam-se cada segundo melhor a cada rugosidade, a cada buraquinho, a cada fissura. Naquele dia, as temperaturas mais amenas desviaram-nos das escaladas mais técnicas do Vale Glaciário do Zêzere e convidaram-nos a revisitar a primeira via que abrimos na face sul do

Em Rocha podre e pedra dura

própria. Também me dispenso de consultar bispo ou cardeal no sentido de obter resposta para a dúvida que igualmente se pode expressar nos seguintes termos: de tal forma de estar em sociedade há que extrair conotação pecaminosa? De certeza, é um hábito que se tem mantido inalterável ao longo dos anos. Face

Em A Quinta Lusitana

da luz, filhas, e a vitória da luz da nova humanidade nascida da grande transição, tribulação e arrebentamento. “Seremos almas salvas, seremos eternamente almas vivas juntos com Mickael, chegaremos de volta ao ser primordial, criador, nós convidados para cocriadores, cocriadoras do universo

Em <p>ECLIPSE ARTE<br \>associação cultural</p>artes performativas<br \>performing arts</p>

uma bofetada numa face , oferece também a outra. Se alguém te tomar o manto, deixa-o levar também a túnica. 30 Dá a quem te pedir e, se alguém tirar o que é teu, não peças que o devolva. 31 O que vós desejais que os outros vos façam, fazei-o também vós a eles. 32 Se amais somente aqueles que vos amam

Em Blog da Sagrada Família
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Gostava de saber o emprego das maiúsculas na língua portuguesa.
O uso das maiúsculas está regulamentado para o português europeu nas bases XXXIX a XLVII do Acordo Ortográfico de 1945, a que poderá aceder seguindo a hiperligação.

O Acordo Ortográfico de 1990 altera, através da sua Base XIX, alguns usos decorrentes das disposições de 1945, nomeadamente a não obrigatoriedade de maiúsculas em meses e estações do ano.




Se me permitem, vou transcrever-vos duas frases que me surgiram e alterei, por senti-las erradas. Agradeço antecipadamente a vossa ajuda. Frase 1: A estabilidade e a sincronização facultam-nos o grau de previsibilidade que precisamos para funcionarmos como indivíduos em grupos sociais e especialmente na economia. Para além de ter corrigido o que precisamos - parece-me que deve ser de que precisamos, lá vem a grande questão. Transformei o funcionarmos em funcionar. De que precisamos para funcionar. Puro instinto, e espero que acertado. Há uma regra geral? Frase 2: E das velhinhas enregeladas, nas escadarias dos edifícios públicos, a tentar vender uma esferográfica ou uma pega de cozinha – os seus únicos pertences. Aqui foi o contrário. Achei que o correcto seria a tentarem vender.
As dúvidas colocadas relativamente às frases 1 e 2 dizem essencialmente respeito ao uso do infinitivo pessoal (ou flexionado) e do infinitivo impessoal (ou não flexionado).

A alteração na frase 1 de “para funcionarmos” para “para funcionar” na oração final não é obrigatória, mas é possível por questões de eufonia e por se tratar do mesmo sujeito da oração relativa (que [nós] precisamos) de que depende; sobre este assunto, por favor consulte a resposta infinitivo em orações adverbiais finais (de notar que se o sujeito estivesse explícito na oração final, esta alteração não seria possível: *o grau de previsibilidade que precisamos para nós funcionar).

A alteração na frase 2 de “velhinhas [...] a tentar vender” para “velhinhas [...] a tentarem vender” também não é obrigatória, e terá igualmente causas eufónicas, uma vez que, neste contexto de infinitivo antecedido da preposição a e sem verbo auxiliar, pode ocorrer tanto o infinitivo pessoal como o infinitivo impessoal. Este tipo de estrutura pode ser substituído por um gerúndio (ex.: “velhinhas [...] tentando vender”), pelo que se designa por infinitivo gerundivo (cf. Maria Helena Mira MATEUS et al., Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa: Editorial Caminho, 5.ª ed., 2003, pp. 643-645) e também por infinitivo de narração ou infinitivo histórico (cf. Celso CUNHA e Lindley CINTRA, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa: Sá da Costa, p. 483 e Evanildo BECHARA, Moderna Gramática Portuguesa, Rio de Janeiro: Lucerna, 37.ª ed., 2002, p. 284 e p. 528).

Relativamente à alteração de “que precisamos” para “de que precisamos”, por favor consulte as respostas convencido de que e regência de precisar.

pub

Palavra do dia

ra·vi·o·lo ra·vi·o·lo


(italiano raviolo)
nome masculino

1. [Culinária]   [Culinária]  Pequeno pastel, geralmente quadrado, de massa alimentícia com recheio finamente picado.


raviolos
nome masculino plural

2. [Culinária]   [Culinária]  Prato confeccionado com essa massa. = RAVIÓIS


SinónimoSinônimo Geral: RAVIÓLI

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/volta-face [consultado em 19-09-2021]