Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

vaso

vaso-vaso- | elem. de comp.
vasovaso | n. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

vaso- vaso-


(latim vulgar *vasum, do latim vas, vasis, vaso)
elemento de composição

Exprime a noção de vaso (ex.: vasodilatação; vasogénico; vasomotor).


va·so va·so


(latim vulgar *vasum, do latim vas, vasis, vaso)
nome masculino

1. Toda e qualquer peça côncava que pode conter sólidos ou líquidos.

2. Peça côncava usada para cultivar plantas ou para adornar jardins, edifícios, etc.Ver imagem

3. [Por extensão]   [Por extensão]  Tudo o que é susceptível de conter alguma coisa. = RECEPTÁCULO

4. O mesmo que vaso sanitário.

5. O mesmo que vaso de noite.

6. [Informal]   [Informal]  Vagina.

7. [Pouco usado]   [Pouco usado]   [Marinha]   [Marinha]  Navio.

8. [Anatomia]   [Anatomia]  Canal para transportar fluidos (ex.: vaso arterial; vaso linfático).

9. [Astronomia]   [Astronomia]  Constelação austral. (Geralmente com inicial maiúscula.)


vaso canópico
Recipiente usado pelos antigos egípcios para guardar vísceras embalsamadas dos corpos mumificados.Ver imagem = CANOPO

vaso de guerra
[Marinha]   [Marinha]  Navio de guerra.

vaso de noite
Recipiente portátil para urina ou dejectos humanos.Ver imagem = BACIO, BISPOTE, PENICO

vaso sanitário
Peça fixa, geralmente de loiça, que recebe os dejectos humanos.Ver imagem = LATRINA, RETRETE, RETRETE, SANITA

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "vaso" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Não havia sequer banheiro, vaso sanitário ou chuveiro..

Em Caderno B

9 Com cetro férreo haverás de dominá-los, * e quebrá-los como um vaso de argila!!

Em Blog da Sagrada Família

...olho (hemorragia subconjuntival) pode parecer assustadora e é sempre o resultado de um pequeno vaso sanguíneo

Em VISEU, terra de Viriato.

internamente o vaso , pode dar início a eventos cardiovasculares agudos, como o infarto e a síndrome...

Em Caderno B

As flores de vaso , como as orquídeas, e as flores de corte, como as rosas, continuam sendo...

Em Caderno B
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Qual é a diferença entre puseste-a e puseste-la? Já li ambas aplicadas e no entanto não sei qual é a diferença ou se alguma delas está incorrecta.
Ambas as expressões estão correctas, mas correspondem a formas verbais de pessoas gramaticais diferentes (tu/vós) do pretérito perfeito do indicativo, pelo que não podem ser aplicadas no mesmo contexto.

A forma puseste-a corresponde à segunda pessoa do singular (= tu puseste alguma coisa), enquanto a forma puseste-la corresponde à segunda pessoa do plural (= vós pusestes alguma coisa).

A construção *tu puseste-la (= *tu pusestes alguma coisa) é agramatical, como indica o asterisco, e resulta da confusão entre as formas verbais da segunda pessoa do singular e do plural do pretérito perfeito. Convém por isso ter presente que a segunda pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo não tem s final (tu puseste), ao contrário da 2ª pessoa do plural (vós pusestes).




Na frase "...o nariz afilado do Sabino. (...) Fareja, fareja, hesita..." (Miguel Torga - conto "Fronteira") em que Sabino é um homem e não um animal, deve considerar-se que figura de estilo? Não é personificação, será animismo? No mesmo conto encontrei a expressão "em seco e peco". O que quer dizer?
Relativamente à primeira dúvida, se retomarmos o contexto dos extractos que refere do conto “Fronteira” (Miguel Torga, Novos Contos da Montanha, 7ª ed., Coimbra: ed. de autor, s. d., pp. 25-36), verificamos que é o próprio Sabino que fareja. Estamos assim perante uma animalização, isto é, perante a atribuição de um verbo usualmente associado a um sujeito animal (farejar) a uma pessoa (Sabino). Este recurso é muito utilizado por Miguel Torga neste conto para transmitir o instinto de sobrevivência, quase animal, comum às gentes de Fronteira, maioritariamente contrabandistas, como se pode ver por outras instâncias de animalização: “vão deslizando da toca” (op. cit., p. 25), “E aquelas casas na extrema pureza de uma toca humana” (op. cit., p. 29), “a sua ladradela de mastim zeloso” (op. cit., p. 30), “instinto de castro-laboreiro” (op. cit., p. 31), “o seu ouvido de cão da noite” (op. cit., p. 33).

Quanto à segunda dúvida, mais uma vez é preciso retomar o contexto: “Já com Isabel fechada na pobreza da tarimba, esperou ainda o milagre de a sua obstinação acabar em tecidos, em seco e peco contrabando posto a nu” (op. cit. p.35). Trata-se de uma coocorrência privilegiada, resultante de um jogo estilístico fonético (a par do que acontece com velho e relho), que corresponde a uma dupla adjectivação pré-nominal, em que o adjectivo seco e o adjectivo peco qualificam o substantivo contrabando, como se verifica pela seguinte inversão: em contrabando seco e peco posto a nu. O que se pretende dizer é que o contrabando, composto de tecidos, seria murcho e enfezado.

pub

Palavra do dia

ter·gi·ver·sar ter·gi·ver·sar

- ConjugarConjugar

(latim tergiversor, -ari, voltar atrás)
verbo intransitivo

1. Voltar as costas (ex.: não é possível tergiversar frente às novas dificuldades).

2. Usar de evasivas, procurar rodeios, empregar subterfúgios (ex.: o réu tergiversou para ganhar tempo). = RODEAR

3. Demonstrar receio ou falta de segurança em tomada de decisão (ex.: tergiversou mas depois aceitou o convite). = HESITAR

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/vaso [consultado em 24-05-2022]