Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

tolerantismo

tolerantismotolerantismo | n. m.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

to·le·ran·tis·mo to·le·ran·tis·mo


(tolerante + -ismo)
nome masculino

Sistema dos que desejam que o Estado seja tolerante em matéria religiosa.

pub

Parecidas

Esta palavra no dicionário

Ver mais

Esta palavra em blogues

Ver mais

tolerantismo que, indiferente ao bem comum, deixa andar as “coisas” ao sabor da corrente, tenha...

Em Pela Positiva

...pensar ou fazer algo que não sejam os da agradabilidade, da demagogia e do tolerantismo , quando se entende que tudo é justificável e que todas as justificações são...

Em De Rerum Natura

” pode significar hoje, pura e simplesmente, “abandono de campo”, decaindo em tolerantismo ..

Em A bem da Nação

...caras e dá-se bem com o clima de relativismo, de subjectivismo, de incerteza, de tolerantismo propagados todos os dias e em todo o lado há mais de meio século..

Em De Rerum Natura

...difícil de apreender), isso deve acontecer pelas melhores razões, não por complacência, não por tolerantismo ..

Em De Rerum Natura
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


A utilização de aspas dentro de aspas é correta, como quando, por exemplo, se realça uma palavra dentro de uma citação, ou se cita algo dentro de outra citação? Exemplo: "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei" (palavras realçadas). Um deles está bem perto, que é o do art. 42, § 1.º" (fim de citação). Outras dúvidas relacionadas: O que fazer quando a palavra realçada for a última da citação, fazendo com que as aspas de uma e outra coincidam? Utilizam-se uma ou duas aspas no final da frase? Exemplo: "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei". ou "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei"". As aspas vêm antes ou depois do ponto final numa citação? Exemplo: "Eu adoro chocolate". ou "Eu adoro chocolate."
Nos exemplos citados, as aspas estão a ser usadas para identificar uma citação e para destacar uma parte do texto. Estes são dois usos possíveis para as aspas, mas o seu emprego simultâneo pode gerar confusão no leitor, que poderá considerar que se trata de uma citação dentro de uma citação. Por este motivo, para tornar mais claro um destaque dentro de uma citação, será aconselhável recorrer a outra maneira de dar destaque gráfico, como o itálico (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei"), o sublinhado (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei"), o negro (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei") ou a combinação de dois ou mais destes destaques gráficos (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos casos expressos em lei").

Não é, no entanto, incorrecta a utilização de aspas dentro de aspas, devendo haver o cuidado de fechar cada um dos conjuntos de aspas, mesmo que isso origine sinais repetidos (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos "casos expressos em lei""); nestes casos, poderá optar pelo uso de aspas diferentes (ex.: "Nos casos do art. 41 há referência aos «casos expressos em lei»").





Hoje li um título no JN que me deixou curiosa e me fez ler a notícia completa para saber o significado do título que, mais ou menos, dizia o seguinte: O novo IP3 vai ser uma auto-estrada e portagado. Esta palavra portagado deixou-me a pensar em gado(!) mas, no final, percebi que se relacionava com o pagamento de portagens. Por isso, pergunto se existe algum verbo portagar, ou, na minha opinião, no mínimo, portajar.
A forma correcta deverá ser, de facto, portajado e não portagado. Esta forma corresponde ao particípio passado adjectival do verbo portajar, que tem o significado de 'colocar portagem em'. O verbo portajar, que se encontra já averbado no Grande Dicionário Língua Portuguesa (Porto Editora), é um neologismo correctamente formado a partir de portagem, sob a forma portaj-, à semelhança de outras derivações a partir de palavras terminadas em -agem (ex.: coragem > encorajar; linguagem > linguajar; massagem > massajar; viagem > viajar). Pelo contrário, não há, em português, verbos terminados em -agar derivados de palavras terminadas em -agem.

É ainda de referir que existem algumas ocorrências em corpora do verbo portagear, que ainda não se encontra dicionarizado, apesar de estar correctamente formado. Este verbo portagear deriva da aposição do sufixo -ear ao radical portag- da palavra portagem, à semelhança de outros verbos derivados de palavras terminadas em -agem (ex.: chantagem > chantagear; homenagem > homenagear; massagem > massagear).

pub

Palavra do dia

reu·chli·ni·a·no reu·chli·ni·a·no


([Johannes] Reuchlin, antropónimo + -iano)
adjectivo
adjetivo

[Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]  Relativo à pronúncia do grego clássico que segue a do grego moderno, defendida por Johann Reuchlin (1455-1522), humanista e filólogo alemão.ERASMIANO

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/tolerantismo [consultado em 30-06-2022]