PT
BR
Pesquisar
Definições



rubrica

A forma rubricapode ser [segunda pessoa singular do imperativo de rubricarrubricar], [terceira pessoa singular do presente do indicativo de rubricarrubricar] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
rubricarubrica
|brí| |brí|
( ru·bri·ca

ru·bri·ca

)


nome feminino

1. Argila avermelhada. = ALMAGRE

2. Letra ou linha inicial de um capítulo escrita em vermelho, em códices antigos.

3. [Religião] [Religião] Nota em letra vermelha nos breviários, missais, etc.

4. Título dos capítulos de livros de direito.

5. Nota ou apontamento.

6. Assinatura curta ou abreviada.

7. Cifra que muitas pessoas fazem no fim dos seus nomes.

8. Parte ou secção regular de um programa ou de uma publicação, geralmente temática.

9. [Cinema, Teatro, Televisão] [Cinema, Teatro, Televisão] Indicação dos movimentos e gestos dos actores, consignado nos respectivos papéis.

10. [Música] [Música] Indicação de como deve ser executada uma peça musical.

etimologiaOrigem etimológica:latim rubrica, -ae, ocre vermelho, tinta vermelha, lei.
Ver também resposta à dúvida: pronúncia de rubrica.
rubricarrubricar
( ru·bri·car

ru·bri·car

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo

1. Pôr rubrica em.

2. Firmar, assinar.

3. Assinalar.

etimologiaOrigem etimológica:rubrica + -ar.
Ver também resposta à dúvida: pronúncia de rubrica.

Auxiliares de tradução

Traduzir "rubrica" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Gostaria de saber qual o antônimo de pensando.
É difícil encontrar uma palavra antónima para o verbo pensar (o mais fácil é a locução não pensar). No entanto, e apenas em alguns contextos, é possível utilizar o antónimo esquecer (por exemplo, pensou no pai) ou desconhecer (por exemplo, pensou na solução mais correcta).



Qual a forma correcta de pronúncia da palavra menu : "ménu" ou "menú"?
Na questão colocada, não está em causa a acentuação (a palavra é sempre acentuada na última sílaba: menu), mas a qualidade da vogal. Por exemplo, uma vogal que corresponde à letra e pode corresponder ao som [È], como em fé, ao som [e], como em dedo, ao som [i], como em de ou medicina, ou ainda ao som [á], como por vezes em coelho.

No português, como regra geral (com muitas excepções), as vogais que não pertencem a uma sílaba tónica são elevadas. Por exemplo, no caso da vogal e nas palavras génio e genial, o som [È] (vogal mais baixa) da palavra nio (com acento tónico em ) passa a pronunciar-se [i] (vogal mais alta) em genial pois a sílaba tónica passou a ser a última genial.

Esta regra geral aplica-se a menu e aí, como a sílaba tónica é nu, a sílaba me pode pronunciar-se [mi]nu, como em de ou medicina, (e é esta a pronúncia registada no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea, da Academia da Ciências/Verbo e, posteriormente, no Grande Dicionário Língua Portuguesa, da Porto Editora). A palavra menu, apesar de já ser usada correntemente em português, é de origem francesa, sendo pronunciada com [i] também nessa língua. Desta forma, não há então motivo fonológico ou etimológico para se pronunciar menu com é aberto.