PT
BR
Pesquisar
Definições



prática

Será que queria dizer pratica?

A forma práticapode ser [feminino singular de práticoprático] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
práticaprática
( prá·ti·ca

prá·ti·ca

)


nome feminino

1. Aplicação das regras e dos princípios de uma arte ou de uma ciência.

2. Acto ou efeito de praticar.

3. Maneira habitual de proceder. = COSTUME, USO

4. Conversação, palestra, discurso, fala. = PRÉDICA

5. Exortação ou pequeno discurso feito por um eclesiástico aos fiéis (antes ou num intervalo da missa).

6. Sermão nos templos protestantes.

7. [Marinha] [Marinha] Licença de comunicar com a terra.


pôr em prática

Realizar.

etimologiaOrigem etimológica:grego praktiké, feminino de praktikós, -é, -ón, próprio para agir.
práticoprático
( prá·ti·co

prá·ti·co

)


adjectivoadjetivo

1. Que não se limita à teoria.ABSTRACTO, TEÓRICO

2. Que tem motivações relacionadas com a acção ou com a eficácia. = PRAGMÁTICO

3. Que tem prática, experiência. = CONHECEDOR, EXPERIENTE, VERSADOPRINCIPIANTE

4. Relativo à prática.

5. Que não se deixa influir pelas aparências nem por teorias.

6. Que encara as coisas pelo lado positivo.

7. Que em tudo procede com prudência ou só movido pelo interesse.


nome masculino

8. [Náutica] [Náutica] Piloto de embarcações. = PATRÃO

etimologiaOrigem etimológica:latim practicus, -a, -um, activo, que age, do grego praktikós, -é, -ón, próprio para agir.

Auxiliares de tradução

Traduzir "prática" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Como se classifica gramaticalmente a forma levemo-lo?
Gramaticalmente, levemo-lo corresponde a uma forma do verbo levar na primeira pessoa do plural do imperativo (ex.: amigos, levemos isto daqui já), seguido do pronome átono o, que assume a forma -lo por estar a seguir a uma forma verbal terminada num -s (que desaparece: levemos + o = levemo-lo).

A forma levemos, isoladamente, poderá corresponder também ao presente do conjuntivo (ex.: é preciso que levemos isto daqui), mas, como tem o pronome átono em posição enclítica (depois do verbo), não corresponde a esse tempo, pois o presente do conjuntivo é normalmente antecedido da conjunção que, com propriedades de atracção do pronome átono (ex.: é preciso que o levemos daqui), não sendo considerada gramatical uma construção proclítica nesse caso (ex.: *é preciso que levemo-lo daqui).




A expressão "até ao arrebatamento" está correta?
Antes de mais, convém clarificar, ainda que resumidamente, o uso de até.

Como preposição, a palavra até é usada para indicar um limite temporal (ex.: Eu vou embora, até amanhã; Esperem pela resposta até meados de Janeiro; Dormi até tu chegares), um limite espacial (ex.: Viajou de comboio até Paris) ou um limite quantitativo (ex.: O desconto é válido em todos os enlatados até 800 g).

Segundo a Nova Gramática do Português Contemporâneo de Celso Cunha e Lindley Cintra (14.ª ed., Lisboa, Edições João Sá da Costa, 1998, p. 561), em Portugal usa-se geralmente a preposição até acompanhada da contracção da preposição a com o artigo definido o/a(s) (ex: Fui até ao parque; Fomos até à igreja) enquanto no Brasil se usa maioritariamente a preposição até sem a contracção (ex.: Fui até o parque; Fomos até a igreja). Em termos de correcção, como refere o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (edição brasileira da Editora Objetiva, 2001; edição portuguesa do Círculo de Leitores, 2002), é indiferente no Brasil associar a preposição até a outra preposição ou não. Por outras palavras, é tão correcto escrever fomos até à igreja como fomos até a igreja, sendo a última a forma mais usual no Brasil.

Como advérbio, a palavra até é usada para indicar inclusão ou ênfase, sendo sinónima de inclusivamente, também ou mesmo (ex.: Todos ajudaram na arrumação da cozinha, até o avô; O empresário fez várias alterações e admite até a contratação de mais funcionários). Dependendo da regência do verbo em causa, o advérbio até pode surgir associado a uma contracção (ex.: Eles foram a todo o lado: à Europa, à Ásia, até à Austrália!).

Considerando os usos acima descritos, a expressão até ao arrebatamento está correcta, tanto em Portugal como no Brasil, se a palavra até for usada como preposição (ex.: Foi uma festa intensa até ao arrebatamento final). Se, no entanto, a palavra até for usada como advérbio, a expressão até ao arrebatamento está incorrecta, como indica o asterisco (ex.: *Todas as emoções foram banidas, até ao arrebatamento religioso).