PT
BR
Pesquisar
Definições



malabarismo

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
malabarismomalabarismo
( ma·la·ba·ris·mo

ma·la·ba·ris·mo

)


nome masculino

1. Prática de jogos ou espectáculos em que se fazem habilidades de equilíbrio, destreza e acrobacia na manipulação de objectos.

2. [Figurado] [Figurado] Duplicidade ou versatilidade de opiniões, doutrinas, etc. (ex.: acusou-o de malabarismo oportunista).

etimologiaOrigem etimológica:malabar + -ismo.

Auxiliares de tradução

Traduzir "malabarismo" para: Espanhol Francês Inglês


Dúvidas linguísticas



Qual das expressões é a correcta: de forma a ou por forma a? Caso ambas estejam correctas, qual a diferença entre elas e quando usar uma ou outra?
As duas expressões estão correctas e são locuções prepositivas sinónimas, significando ambas “para”, “a fim de” ou “de modo a” e indicando um fim ou objectivo (ex.: procedeu cautelosamente de forma a/por forma a evitar erros), sendo a locução por forma a menos usada que de forma a, como se pode verificar pela pesquisa em corpora e motores de busca na internet. Ambas se encontram registadas em dicionários de língua portuguesa.

Estas duas expressões, construídas com a preposição a, pertencem a um conjunto de locuções (do qual fazem parte de modo a ou de maneira a) cujo uso é desaconselhado por alguns puristas, com o argumento de que se trata de expressões de influência francesa, o que, neste caso, não parece constituir argumento suficiente para as considerar incorrectas. Acresce ainda que, em qualquer dos casos, locuções prepositivas como de/por forma a, de maneira a ou de modo a desempenham a mesma função da preposição para, que neste contexto introduz frases subordinadas infinitivas adverbiais de fim (ex.: procedeu cautelosamente para evitar erros), da mesma forma que, com alterações ao nível dos tempos verbais, as locuções conjuncionais de/por forma que, de maneira que ou de modo que desempenham a função da locução conjuncional para que, que neste contexto introduz frases subordinadas finitas adverbiais de fim (ex.: procedeu cautelosamente para que evitasse erros). Não parece assim haver motivo para deixar de usar umas ou outras.




Como deve ser pronunciada a palavra parece como na frase Ele parece estar cansado. Já ouvi a pronúncia aberta e também a fechada na segunda sílaba. Também a palavra interesse, como no caso Tenho interesse no assunto, coloca dúvidas.
A questão diz respeito à qualidade da última vogal do radical do verbo (ex.: parecer) na terceira pessoa do presente do indicativo. No caso em apreço, não se trata de uma característica pontual do verbo parecer, mas do sistema verbal da segunda conjugação (a dos verbos em -er, a que pertence o verbo parecer).

Nesta conjugação, quando as formas verbais são rizotónicas (isto é, com acento tónico na última vogal do radical; ex.: parece, pareça) e a última vogal do radical é e (ex.: parecer, meter) ou o (ex.: comer, socorrer), o padrão fonético mais geral (com várias excepções) é:
a) ter a última vogal do radical fechada (isto é, com o som ê ou ô, respectivamente) na primeira pessoa do singular do presente do indicativo (ex.: eu pareço, eu socorro), no presente do conjuntivo (ex.: que eu pareça, que eles socorram) e na terceira pessoa do imperativo (ex.: socorram aquele homem).
b) ter a última vogal do radical aberta (isto é, com o som é ou ó, respectivamente) na segunda e terceira pessoas do singular e na terceira pessoa do plural do presente do indicativo (ex.: tu pareces, eles socorrem) e na segunda pessoa do singular do imperativo (ex.: socorre aquele homem).

No caso do substantivo interesse, a norma culta (apresentada por dicionários, vocabulários e outras obras de referência) preconiza que a vogal tónica (interesse) seja lida ê. Esta pronúncia deverá diferenciar este substantivo da forma verbal interesse correspondente à primeira e terceira pessoas do singular do presente do conjuntivo do verbo interessar (que eu/ele interesse). No caso deste verbo e dos outros verbos da primeira conjugação cuja última vogal do radical é e (ex.: levar) ou o (ex.: escovar, mostrar), a vogal do radical nas formas rizotónicas é usualmente aberta (isto é, com o som é ou ó, respectivamente; ex.: interesse, interessam, levo, levem, escovo, escovas, mostram, mostre).