Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
maiormaior | adj. 2 g. | s. m. pl.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

mai·or |ó| mai·or |ó|
(latim maior, -us ou major, -us, comparativo de magnus, -a, -um, grande)
adjectivo de dois géneros
adjetivo de dois géneros

1. Que excede outro em quantidade, volume, extensão, intensidade ou duração.

2. Que atingiu a idade de exercer os seus direitos civis (ex.: maior de idade).


maiores
substantivo masculino plural

3. Antepassados.


de maior
[Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]  Que atingiu a maioridade.DE MENOR

maior e vacinado
[Informal]   [Informal]  Adulto, independente, responsável pelos seus actos e pelo seu destino (ex.: a sobrinha, maior e vacinada, sabe bem o que quer da vida).

na maior
[Informal]   [Informal]  Em estado de descontracção, tranquilidade ou à-vontade. = DESPREOCUPADO

por maior
Por alto.

ser o maior
[Informal]   [Informal]  Ser superior ou melhor que os outros.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "maior" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Qual a forma correcta de escrever/dizer no plural bolo-rei?
Teoricamente, são possíveis as formas bolos-reis e bolos-rei.

Por um lado, pode considerar-se que o plural é bolos-reis pois, em muitas palavras compostas por dois substantivos, ambos flexionam no plural (cf. Celso CUNHA e Lindley CINTRA, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa: Edições Sá da Costa, 1998, p. 189). Por outro lado pode considerar-se que o plural é bolos-rei porque "o segundo termo da composição é um substantivo que funciona como determinante específico" (Celso CUNHA e Lindley CINTRA, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa: Edições Sá da Costa, 1998, p. 188).

Em Portugal, a forma bolos-reis é a que se encontra mais registada (é, por exemplo, a forma preconizada por Rebelo Gonçalves, no seu Vocabulário da Língua Portuguesa (Coimbra: Coimbra Editora, 1966) e no Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa (Lisboa: Verbo, 2001).




Como se escreve e porquê: compraste ou compras-te? comoveste ou comoves-te?
A questão que nos coloca diz respeito à diferença entre 1) a forma da segunda pessoa do singular do pretérito perfeito simples do indicativo (ex.: Tu compraste muitas prendas ontem; Comoveste a senhora com a tua história) e 2) a forma da segunda pessoa do singular do presente do indicativo, seguida do pronome pessoal átono reflexo te (ex.: Tu compras-te sempre tantas prendas?; Comoves-te facilmente com qualquer filme).

Os exemplos acima indicados (compraste/compras-te e comoveste/comoves-te) são formas parónimas, isto é, escrevem-se e pronunciam-se de forma semelhante (mas não igual), tendo, porém, significados diferentes.

Uma estratégia importante para empregar correctamente estas formas diferentes é analisar o contexto em que estão inseridas. Vejamos então os contextos do indicativo de 1) e do pronome pessoal de 2):

1) O pretérito perfeito simples do indicativo é um tempo verbal usado para expor uma acção, um processo ou um estado num tempo passado acabado. Trata-se sempre, nestes casos, de uma palavra só, pois corresponde apenas a uma forma verbal (ex.: tu compraste [alguma coisa]; tu comoveste [alguém]). Do ponto de vista da pronúncia, estas formas verbais têm sempre o acento tónico da palavra na penúltima sílaba (ex.: compraste, comoveste). A construção de uma frase negativa não altera a grafia desta forma (ex.: Tu nunca compraste o jornal; tu não comoveste a audiência).

2) A forma da segunda pessoa do singular do presente do indicativo seguida do pronome pessoal reflexo te corresponde sempre a duas palavras, um verbo no presente do indicativo e um pronome pessoal da segunda pessoa, que indica que a acção recai sobre o sujeito (ex.: tu compras-te [para ti próprio] muitas prendas; tu comoves-te [a ti próprio]). Do ponto de vista da pronúncia, a forma verbal tem sempre o acento tónico na penúltima sílaba (ex.: compras, comoves), mas como há um pronome pessoal átono a seguir, é como se a construção verbo+pronome fosse uma palavra só, acentuada sempre na antepenúltima sílaba (ex.: compras-te, comoves-te). A construção de uma frase negativa altera a grafia desta forma, pois o advérbio de negação atrai o pronome para posição pré-verbal (ex.: Tu não te compras muitas prendas; tu nunca te comoves).

pub

Palavra do dia

na·so·ge·ni·a·no na·so·ge·ni·a·no
(naso- + geniano)
adjectivo
adjetivo

[Anatomia]   [Anatomia]  Relativo ao nariz e à região do queixo (ex.: sulco nasogeniano).

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/maior [consultado em 22-09-2018]