Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
expressoexpresso | adj. s. m.
expressoexpresso | adj. | s. m.
masc. sing. part. pass. de exprimirexprimir
1ª pess. sing. pres. ind. de expressarexpressar
masc. sing. part. pass. de expressarexpressar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

ex·pres·so ex·pres·so 2
(italiano espresso)
adjectivo e substantivo masculino
adjetivo e substantivo masculino

Diz-se de ou café feito em máquina de pressão e servido geralmente em chávena pequena.Ver imagem


ex·pres·so |eis| ou |es| ex·pres·so |eis| ou |es| 1
(latim expressus, -a, -um, particípio passado de exprimo, -ere, apertar)
adjectivo
adjetivo

1. Que se manifesta. = CLARO, FORMAL, MANIFESTO, PATENTEOCULTO, SUBENTENDIDO, TÁCITO

2. Declarado com palavras. = ESCRITOIMPLÍCITO

3. Que se destina a ser mais rápido do que o normal (ex.: serviço expresso).

4. Que é mandado de propósito.

substantivo masculino

5. Comboio ou autocarro que só pára em determinadas estações para ter um percurso mais rápido.


ex·pri·mir |eis| ou |es| ex·pri·mir |eis| ou |es| - ConjugarConjugar
(latim exprimo, -ere, espremer, fazer sair, pronunciar, arrancar)
verbo transitivo e pronominal

1. Manifestar os seus sentimentos, as suas expressões por palavras ou gestos.

2. Manifestar por meio de um trabalho de arte.

3. Dar a conhecer. = COMUNICAR

verbo pronominal

4. Fazer conhecer as suas ideias ou sentimentos.


SinónimoSinônimo Geral: EXPRESSAR
AntónimoAntônimo Geral: CALAR, SILENCIAR


ex·pres·sar |eis| ou |es| ex·pres·sar |eis| ou |es| - ConjugarConjugar
(expresso + -ar)
verbo transitivo e pronominal

Manifestar sentimentos ou expressões por palavras ou gestos. = DECLARAR, EXPRIMIR

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "expresso" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


É correto dizer "sói acontece"? Ou seria "sói acontecer"?
O verbo soer, sinónimo de costumar ou ser frequente, é actualmente de uso raro na língua, conjugando-se principalmente nas terceiras pessoas do presente (sói, soem) e do pretérito imperfeito (soía, soíam) do indicativo.

Pesquisas em corpora e em motores de busca revelam uma frequência mais elevada deste verbo nos séculos XV e XVI, nomeadamente em obras de autores como Fernão Lopes, Garcia de Resende, Bernardim Ribeiro, João de Barros ou Luís de Camões, ocorrendo em construções transitivas, sobretudo com orações infinitivas (ex.: que reis e duques soíam temer), e intransitivas (ex.: e ali folgou o rei mais do que soía; que os navios fossem e voltassem como soíam).

Presentemente, o emprego do verbo soer é essencialmente erudito, recaindo maioritariamente em construções com orações infinitivas como complemento directo (ex.: um filme alternativo, como sói dizer-se; a figura do professor, que soía ser uma referência, tem vindo a esbater-se) ou como sujeito (ex.: soía fazer frio no Inverno, mas agora nem as aves migram).




Venho por este meio pedir-lhe que me esclareça se faz favor, a dúvida seguinte. Qual a frase correcta e porquê (penso que seja a segunda mas ouço muita gente utilizar a primeira): a) Eles hadem ver o que sou capaz de fazer. ou b) Eles hão-de-ver o que sou capaz de fazer.
A construção hão-de ver corresponde a uma forma do verbo haver (usado como auxiliar para exprimir o futuro), seguida da preposição de (à qual se liga por hífen, no português europeu, por se tratar de uma forma monossilábica do verbo haver, o que acontece também com hei-de, hás-de e há-de) e do verbo ver, considerado o verbo principal da locução verbal. Por este motivo, a frase correcta é Eles hão-de ver o que sou capaz de fazer, pois não existe nenhuma forma do verbo haver que corresponda a *hadem (o asterisco assinala erro ou agramaticalidade).

Este erro é muito frequente, sobretudo na oralidade, por os falantes não terem consciência das fronteiras de palavra nem da categoria das palavras constantes em certas locuções. Assim, ao ouvir uma forma como Ele há-de ver, e sem a preocupação de decompor a locução nos seus elementos constituintes, o falante que comete este erro considera há-de como uma única palavra e atribui-lhe a categoria de verbo. Quando tem de flexionar, este falante fá-lo como se se tratasse de um verbo regular da segunda conjugação (*hader, como comer, por exemplo), isto é, ao considerar *hade como terceira pessoa do singular (se compararmos com um verbo regular seria o correspondente a come), vai conjugar na terceira pessoa do plural como *hadem (como se fosse comem). Este raciocínio será análogo para uma forma como Tu *hades ver, em que a forma *hades corresponderia a uma hipotética segunda pessoa do singular (como se fosse comes).

A Base XVII do Acordo Ortográfico de 1990 prevê a eliminação do hífen nas formas monossilábicas do verbo haver seguidas da preposição de, pelo que a frase correcta será Eles hão de ver o que sou capaz de fazer.

No português do Brasil, quer antes quer depois do Acordo de 1990, a forma correcta é "hão de", sem hífen.

pub

Palavra do dia

não·-fu·ma·dor |ô| não·-fu·ma·dor |ô| não fu·ma·dor |ô|
adjectivo e substantivo masculino
adjetivo e substantivo masculino

Que ou quem não fuma.

Feminino: não-fumadora. Plural: não-fumadores.Feminino: não-fumadora. Plural: não-fumadores.

• Grafia no Brasil: não fumador.

• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: não fumador.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: não-fumador


• Grafia em Portugal: não-fumador.
pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/expresso [consultado em 17-11-2019]