PT
BR
Pesquisar
Definições



empena

A forma empenapode ser [segunda pessoa singular do imperativo de empenarempenar], [terceira pessoa singular do presente do indicativo de empenarempenar] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
empenaempena
|ê| |ê|
( em·pe·na

em·pe·na

)


nome feminino

1. [Arquitectura, Construção] [Arquitetura, Construção] [Arquitetura, Construção] Parede lateral de um edifício, geralmente sem janelas ou aberturas, através da qual um edifício pode encostar a outro (ex.: empena cega). = OUTÃO

2. [Arquitectura, Construção] [Arquitetura, Construção] [Arquitetura, Construção] Cada uma das duas peças laterais do frontão.

3. [Construção] [Construção] Parede lateral onde se apoia a cumeeira em telhados de duas águas.

4. [Construção] [Construção] Peça de madeira que une o frechal ao cume.

etimologiaOrigem etimológica:origem controversa.
empenar1empenar1
( em·pe·nar

em·pe·nar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo, intransitivo e pronominal

1. Torcer-se, curvar-se (a madeira), por acção do calor ou da humidade. = CORCAR

2. Perder a forma, ficando torto. = ENTORTAR, DEFORMARENDIREITAR

3. Desviar(-se) da linha de prumo.

4. [Informal] [Informal] Causar ou sentir dificuldades de movimentos ou de locomoção. = EMPERRAR

etimologiaOrigem etimológica:em + latim pinus, -i, pinheiro + -ar.
empenar2empenar2
( em·pe·nar

em·pe·nar

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo intransitivo e pronominal

1. Criar penas.


verbo transitivo e pronominal

2. Enfeitar(-se) com penas ou plumas. = EMPLUMARDESEMPLUMAR

etimologiaOrigem etimológica:em- + pena + -ar.

Auxiliares de tradução

Traduzir "empena" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



As palavras segmentos e seguimentos têm o mesmo significado? Ambas podem ser empregadas na seguinte frase: ... em cooperação com outros seguimentos [ou segmentos?], tais como órgãos públicos, universidades?
As palavras segmentos e seguimentos (que se pronunciam de modo semelhante no português do Brasil, mas não no de Portugal) não são sinónimas, ou seja, não têm o mesmo significado, como pode verificar seguindo as respectivas hiperligações para o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Como tal, na frase que refere, a palavra que deve ser usada é segmentos, designando “sectores” (...em cooperação com outros segmentos, tais como órgãos públicos, universidades).



Em palavras como emagrecer e engordar as terminações -er e -ar são sufixos ou desinências verbais de infinitivo? Se são o último caso, essas palavras não podem ser consideradas derivações parassintéticas...ou podem?
As terminações verbais -er e -ar são compostas pela junção de -e- (vogal temática da 2.ª conjugação) ou -a- (vogal temática da 1.ª conjugação), respectivamente, à desinência de infinitivo -r. Destas duas terminações, apenas -ar corresponde a um sufixo, pois no português actual usa-se -ar para formar novos verbos a partir de outras palavras, normalmente de adjectivos ou de substantivos, mas não se usa -er. Apesar de os sufixos de verbalização serem sobretudo da primeira conjugação (ex.: -ear em sortear, -ejar em relampaguejar, -izar em modernizar, -icar em adocicar, -entar em aviventar), há alguns sufixos verbais da segunda conjugação, como -ecer. Este sufixo não entra na formação do verbo emagrecer, mas entra na etimologia de outros verbos formados por sufixação (ex.: escurecer, favorecer, fortalecer, obscurecer, robustecer, vermelhecer) ou por prefixação e sufixação simultâneas (ex.: abastecer, abolorecer, amadurecer, empobrecer, engrandecer, esclarecer).

Dos verbos que menciona, apenas engordar pode ser claramente considerado derivação parassintética, uma vez que resulta de prefixação e sufixação simultâneas: en- + gord(o) + -ar. O verbo emagrecer deriva do latim emacrescere e não da aposição de prefixo e sufixo ao adjectivo magro.