Dicionário Priberam Online de Português Contemporâneo
Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub
pub

concerto

concertoconcerto | n. m.
1ª pess. sing. pres. ind. de concertarconcertar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

con·cer·to |ê|con·cer·to |ê|


(derivação regressiva de concertar)
nome masculino

1. Combinação entre pessoas ou entidades. = AJUSTE, CONCERTAÇÃO, PACTODESCONCERTO

2. Disposição correcta. = ORDEM

3. [Música]   [Música]  Execução de vários trechos musicais.

4. Consonância de vozes ou sons. = HARMONIA

5. Canto harmonioso das aves.

6. [Música]   [Música]  Trecho musical destinado a fazer sobressair um instrumento.

7. Cotejo e declaração de conformidade de uma cópia com o original.

Confrontar: conserto.

con·cer·tar con·cer·tar

- ConjugarConjugar

(latim concerto, -are, combater, altercar)
verbo transitivo

1. Combinar, ajustar, conciliar.

2. Harmonizar, decidir por acordo comum.

3. [Jurídico, Jurisprudência]   [Jurídico, Jurisprudência]  Conferir; cotejar.

verbo intransitivo

4. Concordar.

5. Soar acordemente.

6. Acompanhar (com voz ou instrumento).

verbo pronominal

7. Ajustar-se, combinar.

8. Formar concerto ou melodia.

9. Reconciliar-se.

Confrontar: consertar.
pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "concerto" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Anagramas

Esta palavra em blogues

Ver mais

Um concerto encenado que estreia no próximo dia 12 de Fevereiro no Centro Cultural e Congressos...

Em Portugal Rebelde

O concerto do passado dia 22 de setembro foi gravado e vai ser difundido logo mais..

Em avenida da salúquia 34

Disponível está também o vídeo de um concerto gravado à porta fechada, no gnration em Braga, onde o quarteto apresenta, em antecipação,...

Em Portugal Rebelde

...contenção: Misty , a composição clássica de Errol Garner interpretada por Sarah Vaughan em concerto de 1964, na Suécia — com Kirk Stuart (piano), Charles "Buster" Williams (baixo) e...

Em sound + vision

A Antena 2, na passada terça-feira, após as 19h:00, transmitiu em directo o concerto "Natal Português" que o Ensemble São Tomás de Aquino, dirigido por João Andrade

Em A Nossa R
Blogues do SAPO

Dúvidas linguísticas


Monitorar ou monitorizar?
Os verbos monitorar e monitorizar são formações correctas a partir do substantivo monitor, a que se junta o sufixo verbal -ar ou -izar, e têm o mesmo significado, pelo que são sinónimos. A opção por um ou por outro cabe ao utilizador; no entanto, os dicionários que seguem a norma europeia da língua portuguesa parecem preferir a forma monitorizar, pois é esta a única forma que aparece registada no Grande Dicionário Língua Portuguesa (Porto Editora, 2004) ou no Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado (Âncora Editora, 2001) e a edição portuguesa do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (Círculo de Leitores, 2002) remete monitorar para monitorizar. Os dicionários que seguem a norma brasileira da língua portuguesa remetem geralmente monitorizar para monitorar, como é o caso da edição brasileira do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa (Objetiva, 2001) ou do Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa (Positivo, 2004).



A minha dúvida é a respeito da etimologia de determinadas palavras cuja raiz é de origem latina, por ex. bondade, sensibilidade, depressão, etc. No Dicionário Priberam elas aparecem com a terminação nominativa mas noutros dicionários parece-me que estão na terminação ablativa e não nominativa. Gostaria que me esclarecessem.
O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa regista, por exemplo, na etimologia de bondade, sensibilidade ou depressão, as formas que são normalmente enunciadas na forma do nominativo, seguida do genitivo: bonitas, bonitatis (ou bonitas, -atis); sensibilitas, sensibilitatis (ou sensibilitas, -atis) e depressio, depressionis (ou depressio, -onis).

Noutros dicionários gerais de língua portuguesa, é muito usual o registo da etimologia latina através da forma do acusativo sem a desinência -m (não se trata, como à primeira vista pode parecer, do ablativo). Isto acontece por ser o acusativo o caso lexicogénico, isto é, o caso latino que deu origem à maioria das palavras do português, e por, na evolução do latim para o português, o -m da desinência acusativa ter invariavelmente desaparecido. Assim, alguns dicionários registam, por exemplo, na etimologia de bondade, sensibilidade ou depressão, as formas bonitate, sensibilitate e depressione, que foram extrapoladas, respectivamente, dos acusativos bonitatem, sensibilitatem e depressionem.

Esta opção de apresentar o acusativo apocopado pode causar alguma perplexidade nos consulentes dos dicionários, que depois não encontram estas formas em dicionários de latim. Alguns dicionários optam por assinalar a queda do -m, colocando um hífen no final do étimo latino (ex.: bonitate-, sensibilitate-, depressione-). Outros, mais raros, como o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa optaram por enunciar os étimos latinos (ex.: bonitas, -atis; sensibilitas, -atis, depressio, -onis), não os apresentando como a maioria dos dicionários; o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa não enuncia o étimo latino dos verbos, referenciando apenas a forma do infinitivo (ex.: fazer < facere; sentir < sentire).

pub

Palavra do dia

lã·-de·-ca·me·lo |ê|lã·-de·-ca·me·lo |ê|lã de ca·me·lo |ê|


nome feminino

Tecido de lã com fio de seda. = GINGELINA, GINGERLINA

Plural: lãs-de-camelo.Plural: lãs-de-camelo.

• Grafia no Brasil: lã de camelo.

• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: lã de camelo.
• Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990: lã-de-camelo


• Grafia em Portugal: lã-de-camelo.
pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/concerto [consultado em 16-01-2022]