Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
chavechave | s. f. | adj. 2 g. 2 núm.
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

cha·ve cha·ve
(latim clavis, -e)
nome feminino

1. Instrumento com que se faz correr a lingueta de uma fechadura para a abrir ou fechar.Ver imagem

2. Insígnia ou símbolo de poder, autoridade ou posse.

3. Aquilo que garante o acesso a algo (ex.: pensava encontrar a chave da felicidade). = PORTA

4. Instrumento com que se aperta e desaperta, arma e desarma, abre e fecha, etc.Ver imagem

5. [Música]   [Música]  Peça que tapa ou destapa os buracos dos instrumentos de sopro.

6. [Termo ferroviário]   [Termo ferroviário]  Agulha de via-férrea.

7. Explicação de temas, exercícios, problemas, etc.

8. Matéria que prepara para outra superior.

9. Primeiro passo.

10. Ponto ou princípio essencial. = BASE, FUNDAMENTO

11. Ponto estratégico que defende um território, ou que, tomado, assegura uma conquista.

12. Segredo ou conjunto de dados que permite decifrar um código, um enigma, etc.

13. Sinal gráfico ({ ou }) que abrange vários artigos de uma mesma espécie. = CHAVETA, CLAVE

14. [Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]  Parte central e superior da abóbada. = FECHO

15. [Desporto]   [Esporte]  Golpe de artes marciais que torce ou comprime uma articulação no sentido contrário ao do movimento natural para provocar ou ameaçar luxação (ex.: no judo, só são permitidas chaves aos braços). = LUXAÇÃO

16. [Música]   [Música]  Sinal que determina o som das notas. = CLAVE

17. Pedra que, jogada por qualquer dos lados, fecha o jogo do dominó.

18. Trespasse de estabelecimento.

19. Palma da mão.

20. Largura inferior do pé.

21. Cavilha que atravessa a extremidade inferior do fuso do lagar.

adjectivo de dois géneros e de dois números
adjetivo de dois géneros e de dois números

22. Que é essencial, muito importante (ex.: ele é o elemento chave do grupo). [Como adjectivo, pode ser ligado por hífen ao nome que qualifica (ex.: palavras-chave, conceito-chave).]


a sete chaves
Muito bem fechado ou guardado.

chave da abóbada
A última cunha ou a pedra do meio, que segura e remata uma abóbada. = FECHO

chave de boca
Ferramenta para apertar ou desapertar, com abertura regulável.

chave de fenda(s)
Ferramenta que contém uma haste de metal resistente que termina numa ponta achatada destinada a encaixar no sulco de um parafuso, para o apertar ou desapertar.Ver imagem

chave de memória
[Informática]   [Informática]  Dispositivo pequeno e leve com um chip de memória integrado que se liga a outros aparelhos através de uma ligação USB e permite transportar dados e ficheiros.Ver imagem

chave de ouro
Remate sublime.

Último verso de um soneto.

chave de parafuso(s)
Instrumento para atarraxar ou desatarraxar parafusos.

chave de São Pedro
Poder espiritual do papa.

chave do enigma
Explicação do que não se compreende.

chave do soneto
[Versificação]   [Versificação]  O primeiro e o último dos seus versos.

chave falsa
Ferro, gancho ou estilete para abrir fechaduras. = GAZUA

chave mestra
Chave que abre todas as portas de um edifício ou de uma parte de um edifício.

debaixo de chave
Bem guardado.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "chave" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Uma professora minha disse que nunca se podia colocar uma vírgula entre o sujeito e o verbo. É verdade?
Sobre o uso da vírgula em geral, por favor consulte a dúvida vírgula antes da conjunção e. Especificamente sobre a questão colocada, de facto, a indicação de que não se pode colocar uma vírgula entre o sujeito e o verbo é verdadeira. O uso da vírgula, como o da pontuação em geral, é complexo, pois está intimamente ligado à decomposição sintáctica, lógica e discursiva das frases. Do ponto de vista lógico e sintáctico, não há qualquer motivo para separar o sujeito do seu predicado (ex.: *o rapaz [SUJEITO], comeu [PREDICADO]; *as pessoas que estiveram na exposição [SUJEITO], gostaram muito [PREDICADO]; o asterisco indica agramaticalidade). Da mesma forma, o verbo não deverá ser separado dos complementos obrigatórios que selecciona (ex.: *a casa é [Verbo], bonita [PREDICATIVO DO SUJEITO]; *o rapaz comeu [Verbo], bolachas e biscoitos [COMPLEMENTO DIRECTO]; *as pessoas gostaram [Verbo], da exposição [COMPLEMENTO INDIRECTO]; *as crianças ficaram [Verbo], no parque [COMPLEMENTO ADVERBIAL OBRIGATÓRIO]). Pela mesma lógica, o mesmo se aplica aos complementos seleccionados por substantivos (ex. * foi a casa, dos avós), por adjectivos (ex.: *estava impaciente, por sair) ou por advérbios (*lava as mãos antes, das refeições), que não deverão ser separados por vírgula da palavra que os selecciona.

Há, no entanto, alguns contextos em que pode haver entre o sujeito e o verbo uma estrutura sintáctica separada por vírgulas, mas apenas no caso de essa estrutura poder ser isolada por uma vírgula no início e no fim. Estes são normalmente os casos de adjuntos nominais (ex.: o rapaz, menino muito magro, comeu muito), adjuntos adverbiais (ex.: o rapaz, como habitualmente, comeu muito), orações subordinadas adverbiais (ex.: as pessoas que estiveram na exposição, apesar das más condições, gostaram muito), orações subordinadas relativas explicativas (ex.: o rapaz, que até não tinha fome, comeu muito).




Sobre a conjugação do verbo ‘trazer’, no futuro do indicativo, tenho a seguinte dúvida:
(1) Trar-se-ão a Portugal.
ou
(2) Trazer-se-ão a Portugal.
Será que a primeira hipótese está correcta? Não consigo encontrar qualquer tipo de referência, no entanto surge-me intuitivamente.
O verbo trazer é irregular, nomeadamente, para o caso que nos interessa, nas formas do futuro do indicativo: trará, trarás, traremos, trareis, trarão (se se tratasse de um verbo regular, as formas seriam *trazerei, ..., *trazerão [o asterisco indica forma incorrecta]).

Quando é necessário utilizar um pronome pessoal átono (ex.: me, o, se) nas formas do futuro do indicativo (ex.: telefonará) ou do condicional (ex.: encontraria), este pronome é inserido entre o radical e a desinência do verbo (ex.: telefonará + me = telefonar-me-á; encontraria + o = encontrá-lo-ia).

Como se trata da flexão irregular trarão, a forma correcta com o pronome deverá ser trar-se-ão e não *trazer-se-ão, que é uma forma incorrecta.

pub

Palavra do dia

o·ca·ra |ò| o·ca·ra |ò|
(tupi o'kara)
nome feminino

[Brasil]   [Brasil]  Praça de uma aldeia indígena.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/chave [consultado em 09-08-2020]