PT
BR
Pesquisar
Definições



cativa

A forma cativapode ser [feminino singular de cativocativo], [segunda pessoa singular do imperativo de cativarcativar], [terceira pessoa singular do presente do indicativo de cativarcativar], [interjeição] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
cativacativa
( ca·ti·va

ca·ti·va

)


nome feminino

1. Dança mourisca.


interjeição

2. Expressão designativa de asco ou nojo.

etimologiaOrigem etimológica:feminino de cativo.
cativocativo
( ca·ti·vo

ca·ti·vo

)


adjectivoadjetivo

1. Reduzido a cativeiro.

2. Subjugado, sujeito, obrigado.

3. Impedido; embaraçado.

4. Diz-se do balão que uma amarra não deixa passar além de certa altura.

5. Diz-se da cor que desbota ou se suja facilmente.

6. Diz-se do género de que o comprador tem de pagar direitos.

7. Diz-se da missa que o padre tem de aplicar por certa intenção.

8. Diz-se dos rendimentos hipotecados.


nome masculino

9. Prisioneiro; escravo.

10. [Brasil] [Brasil] Mineral titânio.

etimologiaOrigem etimológica:latim captivus, -a, -um, cativo, capturado.
Confrontar: cadivo.
cativarcativar
( ca·ti·var

ca·ti·var

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo transitivo e pronominal

1. Tornar ou ficar cativo; tirar ou perder a liberdade; reduzir ou ficar reduzido a cativeiro. = APRISIONAR, CAPTURAR, PRENDER, SUBJUGAR, SUJEITARLIBERAR, LIBERTAR, SOLTAR

2. Conseguir ou dirigir a atenção, o interesse, a estima ou o amor. = ATRAIR, CONQUISTAR, ENCANTAR, SEDUZIRAFASTAR, REPELIR, REPULSAR


verbo transitivo

3. Reduzir à obediência; limitar ou inibir a vontade de. = DOMINAR, SUBJUGAR, SUJEITAR

4. Guardar ou manter em seu poder (ex.: cativar memórias felizes). = CONSERVAR, RETER

5. [Pouco usado] [Pouco usado] Hipotecar.

6. [Portugal] [Portugal] [Finanças] [Finanças] Não atribuir verbas ou montantes previstos para despesas (ex.: o Governo vai cativar despesa no valor de vários milhões de euros).

etimologiaOrigem etimológica:latim captivo, -are, fazer cativo.

Auxiliares de tradução

Traduzir "cativa" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Peço auxílio para a composição de palavras com prefixos gregos e latinos. Quando são em justaposição e quando são em aglutinação? Minha dúvida neste momento é com a palavra intra + esclerótico.
A existência ou não de hífen depois de prefixos gregos e latinos é difícil de sistematizar em poucas linhas, pois isso difere consoante os prefixos (há até divergências ligeiras entre a norma europeia e a norma brasileira do português, por serem diferentes as obras de maior referência neste aspecto).

No caso de intra- (este caso aplica-se também aos prefixos contra-, extra-, infra-, supra- e ultra-), de acordo com a Base XXIX do Acordo Ortográfico de 1945, deve usar-se hífen antes de palavras iniciadas por vogal (ex.: intra-arterial, intra-ocular), h (ex.: intra-hepático), r (ex.: intra-raquidiano) ou s (ex.: intra-sinovial). Assim sendo, deve escrever-se intra-esclerótico segundo o Acordo Ortográfico de 1945, para o português de Portugal, ou o Formulário Ortográfico de 1943, para o português do Brasil.

Com a aplicação do Acordo Ortográfico de 1990, e segundo a Base XVI, o prefixo intra- (assim como todos os prefixos ou elementos prefixais com o mesmo contexto ortográfico, isto é, terminados na letra a) deve aglutinar-se sempre com o elemento seguinte (ex.: intraocular), excepto se este começar por a (ex.: intra-arterial) ou h (ex.: intra-hepático). No caso de o elemento seguinte começar por r ou s, essas consoantes devem ser dobradas (ex.: intrarraquidiano, intrassinovial). Assim sendo, deve escrever-se intraesclerótico segundo o Acordo Ortográfico de 1990.




Não será a palavra revivalismo portuguesa? Porque não existe no dicionário? Será um estrangeirismo? Mas quantos não foram já "absorvidos" por tão correntes no português escrito e falado?
A palavra revivalismo, apesar de não se encontrar na nomenclatura do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, encontra-se registada noutros dicionários de língua portuguesa como, por exemplo, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea (Academia das Ciências de Lisboa/Verbo, Lisboa, 2001). Deriva da palavra inglesa revivalism e refere-se ao ressurgimento de ideias, modas ou tendências que fizeram parte do passado.