PT
BR
Pesquisar
Definições



braceira

A forma braceirapode ser [feminino singular de braceirobraceiro] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
braceirabraceira
( bra·cei·ra

bra·cei·ra

)


nome feminino

1. Cal ou argamassa com que se fixam as telhas.

2. [Armamento] [Armamento] Correia ou aro no escudo para enfiar o braço. = BRAÇADEIRA

etimologiaOrigem etimológica:braço + -eira.
Confrontar: braseira.
braceirobraceiro
( bra·cei·ro

bra·cei·ro

)


adjectivoadjetivo

1. Que tem força nos braços.

2. Que se atira com o braço.

3. Diz-se do cavalo que ergue muito as patas dianteiras.


nome masculino

4. Trabalhador braçal (ex.: os pais trabalhavam como braceiros nos campos agrícolas).

5. O que dá o braço a outrem servindo-lhe de apoio.

etimologiaOrigem etimológica:braço + -eiro.
Confrontar: braseiro.

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Qual a frase correcta: Para puderem educar os seus descendentes, os pais deviam conduzir-se bem? ou Para poderem educar os seus descendentes, os pais deviam conduzir-se bem?
As formas poderem e puderem são duas formas verbais parónimas com alternância vocálica que correspondem a dois tempos verbais diferentes. Poderem (lê-se /pudêrem/) é a forma da terceira pessoa do plural do infinitivo pessoal do verbo poder; este tempo verbal utiliza-se para exprimir uma acção ou processo, mas sem expressar o tempo ou o momento específico (ex.: O facto de poderem optar dá-lhes grande liberdade. Enviou uma fotografia para os avós poderem ver a neta). Puderem (lê-se /pudérem/) é a forma da terceira pessoa do plural do futuro do conjuntivo do verbo poder; este tempo verbal utiliza-se para apresentar uma acção futura como possível ou hipotética, geralmente em orações subordinadas (ex.: Eles irão ao cinema se puderem). Tendo em conta o exposto, a frase correcta é Para poderem educar os seus descendentes, os pais deviam conduzir-se bem.
O corrector sintáctico do FLiP alerta, entre outras coisas, para estas relações de paronímia.




Minha dúvida é: Por que passei a vida estudando que o correto é falar para eu fazer, para eu comer, e etc., se a frase É fácil para mim estudar não está errada? Podem explicar essa última frase.
De facto, nos contextos exemplificados com duas orações na resposta para eu/para mim (ex.: isto é para eu fazer), deverá ser usado o pronome sujeito, pois na oração para eu fazer, o pronome desempenha essa função de sujeito. No caso do exemplo É fácil para mim estudar, o contexto é semelhante àquele referido na resposta pronomes pessoais rectos e oblíquos, em que o pronome não desempenha a função de sujeito, pois esta frase pode ser decomposta em Estudar [sujeito] é fácil [predicado] para mim [adjunto adverbial de interesse].