PT
BR
Pesquisar
Definições



balancitas

A forma balancitaspode ser [derivação feminino plural astrónimo de balançabalança] ou [derivação feminino plural de balançabalança].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
balançabalança
( ba·lan·ça

ba·lan·ça

)


nome feminino

1. Instrumento para pesar.

2. Equilíbrio, ponderação (ex.: confiamos na balança da justiça).

3. Relação, comparação ou confronto.

4. [Astronomia] [Astronomia] Constelação do Zodíaco. (Com inicial maiúscula.) = LIBRA

5. [Astrologia] [Astrologia] Signo do Zodíaco, entre Virgem e Escorpião. (Geralmente com inicial maiúscula.) = LIBRA


pesar na balança

Ter influência.

etimologiaOrigem etimológica:espanhol balanza, do latim *bilancia, de bilanx, -ncis, balança de dois pratos.

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Como se escreve: quere-la ou querêla?
As grafias quere-la, querê-la e querela são formas parónimas, isto é, formas diferentes com grafia e som semelhantes.

As formas quere-la e querê-la correspondem a formas verbais do verbo querer seguidas do clítico a, na forma -la (o pronome clítico -a assume a forma -la quando a forma verbal que o precede termina em -r, -s ou -z); quere-la pode transcrever-se foneticamente ['k3rilá] e corresponde à segunda pessoa do presente do indicativo (ex.: tu queres a sopa? = quere-la?), enquanto querê-la pode transcrever-se foneticamente [ki'relá] e corresponde ao infinitivo (ex.: para alcançares alguma coisa, tens de querê-la muito).

A grafia querela pode transcrever-se foneticamente [ki'r3lá] e corresponde a um substantivo feminino, cujo significado poderá consultar seguindo a hiperligação para o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.




As palavras Malanje, Uíje, Cassanje, etc., levam a letra g ou j ?
Os topónimos angolanos referidos deverão ortografar-se correctamente nas formas Malanje, je e Caçanje (esta última grafia corresponde também ao nome comum caçanje).

É esta a grafia registada nas principais obras de referência para o português europeu, nomeadamente no Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa (Coimbra: Atlântida Editora, 1947) e no Vocabulário da Língua Portuguesa (Coimbra: Coimbra Editora, 1966), de Rebelo Gonçalves, ou no Grande Vocabulário da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado (Lisboa: Âncora Editora, 2001). Apesar disso, é esmagadora a ocorrência de grafias alternativas como *Malange, *Uíge, *Cassange ou *Cassanje (o asterisco indica incorrecção, de acordo com as obras de referência para a ortografia e com a tradição lexicográfica).

É de referir que com o Acordo Ortográfico de 1990 (nomeadamente na Base III) não há qualquer alteração a este respeito.