PT
BR
Pesquisar
Definições



aura

A forma aurapode ser [primeira pessoa singular do presente do conjuntivo de auriraurir], [terceira pessoa singular do imperativo de auriraurir], [terceira pessoa singular do presente do conjuntivo de auriraurir] ou [nome feminino].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
auraaura
( au·ra

au·ra

)


nome feminino

1. [Linguagem poética] [Linguagem poética] Vento brando e agradável. = ARAGEM, BRISA

2. [Medicina] [Medicina] Sensação, física ou psicológica, que precede um ataque ou uma crise de uma doença geralmente neurológica (ex.: aura epiléptica; enxaqueca com aura).

3. Suposta emanação fluídica que se crê emanar e ser parte essencial de um ser vivo.

4. [Figurado] [Figurado] Boa aceitação ou popularidade (ex.: o coliseu gozava então de grande aura; a aura popular foi passageira). = APLAUSO, FAVOR

5. [Figurado] [Figurado] Ambiente psicológico que parece envolver ou influenciar algo ou alguém (ex.: o lugar estava envolto numa aura de mistério; os efeitos sonoros contribuem para aumentar a aura de terror). = ATMOSFERA, CLIMA


aura vital

Ar expirado. = ALENTO, HÁLITO, RESPIRAÇÃO

etimologiaOrigem etimológica:latim aura, -ae.
auriraurir
( au·rir

au·rir

)
Conjugação:regular.
Particípio:regular.


verbo intransitivo

1. [Regionalismo] [Regionalismo] Fugir alucinadamente. = DESAURIR

2. [Regionalismo] [Regionalismo] Perder o uso da razão. = ALUCINAR-SE, DESVAIRAR, OURAR

etimologiaOrigem etimológica:alteração de ourar.
Confrontar: haurir.

Auxiliares de tradução

Traduzir "aura" para: Espanhol Francês Inglês

Anagramas



Dúvidas linguísticas



Gostava de saber o grau superlativo absoluto sintético das seguintes palavras: velho, esperto, forte e mau.
Os adjectivos velho, esperto, forte e mau flexionam no grau superlativo absoluto sintético como velhíssimo, espertíssimo, fortíssimo e malíssimo/péssimo, respectivamente.



Quando posso utilizar o apóstrofo na língua portuguesa? Posso utilizá-lo como na língua italiana?
O uso do apóstrofo está definido nos textos legais que regulam a ortografia portuguesa, nomeadamente nas bases XXXIII a XXXVIII do Acordo Ortográfico de 1945 ou na Base XVIII do Acordo Ortográfico de 1990. Refira-se que o novo acordo ortográfico não altera nada no uso do apóstrofo.

Segundo esses textos legais, o apóstrofo usa-se nos seguintes casos:
a) numa contracção em que um elemento pertence a um conjunto vocabular distinto (ex.: n'Os Lusíadas) ou em que se quer dar destaque com maiúscula a um elemento (ex.: acredito n'Ele);
b) na ligação das palavras santo ou santa (ex.: Sant'Ana) a alguns antropónimos e na ligação de alguns antropónimos (ex.: Nun'Álvares);
c) na elisão da vogal -e da preposição de em algumas palavras compostas, na maioria das vezes com a palavra água (ex.: copo-d'água, lobo-d'alsácia, mãe-d'água, pau-d'arco, queda-d'água, vinha-d'alhos).