Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub
acreditaçãoacreditação | s. f.
derivação fem. sing. de acreditaracreditar
Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!

a·cre·di·ta·ção a·cre·di·ta·ção
(acreditar + -ção)
substantivo feminino

1. Reconhecimento oficial de uma pessoa ou entidade para o desempenho ou realização de algo.

2. Autorização para o exercício de uma actividade.


a·cre·di·tar a·cre·di·tar - ConjugarConjugar
(a- + crédito + -ar)
verbo transitivo

1. Dar crédito a.

2. Fazer criar crédito a.

3. Abonar alguém.

4. Autorizar junto de alguém.

5. Crer, ter fé.

verbo pronominal

6. Criar fama de bom.

pub

Auxiliares de tradução

Traduzir "acreditação" para: Espanhol | Francês | Inglês

Parecidas

Palavras vizinhas

Esta palavra em blogues

Ver mais
Blogues do SAPO

Esta palavra no Twitter

Dúvidas linguísticas


Na frase por defeito é esta a directoria, gostava de saber se o termo por defeito pode ou não ser utilizado. Fui corrigido por alguém que diz que o termo correcto é por omissão.
Para além do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências/Verbo é o único dicionário consultado que regista a locução adverbial por defeito, mas mesmo este dicionário, que habitualmente averba mais locuções do que os outros dicionários de língua, regista apenas uma acepção de por defeito que se opõe a por excesso (ex.: estimou a despesa por defeito), não contemplando a acepção que corresponde ao uso indicado na frase que menciona (por defeito é esta a directoria).
Este último uso é muito frequente para indicar determinada característica ou acção que está de acordo com uma configuração predefinida, por ausência de acção ou de intervenção de um utilizador ou agente.

Apesar de não haver registo na maioria dos dicionários consultados e de haver quem afirme que se trata de um decalque do inglês in default ou by default, não parece haver motivo sólido para condenar esta utilização da locução por defeito, mesmo porque é usada uma locução equivalente noutras línguas românicas como o francês (par défaut), o espanhol (por defecto) ou o catalão (per defecte).

A locução por omissão pode ser uma alternativa, mas, da mesma forma que um dos argumentos para não utilizar por defeito é não ter a palavra defeito uma acepção que indique uma ‘opção seleccionada automaticamente salvo se for indicada outra’, como acontece no inglês, também a palavra omissão não a tem, podendo apenas o seu sentido ser depreendido da acepção que indica ‘o acto de omitir algo’ ou ‘aquilo que é omitido’.

Uma alternativa clara a estas duas locuções poderia ser por predefinição, locução usada em algumas aplicações informáticas.




Estou fazendo um estudo da língua portuguesa e identifiquei que há uma divergência entre o dícionário on-line e a minigramática de Jésus Barbosa de Souza e Samira Youssef Campelli. Segundo o livro, o verbo prazer é conjugado somente nas terceiras pessoas do singular e do plural. Como vou prestar o exame da fuvest, gostaria que me respondessem.
Efectivamente o verbo prazer (tal como aprazer ou desprazer, mas diferentemente de comprazer, cf. Nova Gramática do Português Contemporâneo, de Celso CUNHA e Lindley CINTRA, 14ª ed., Lisboa: Edições Sá da Costa, 1998, pp. 430-431) é geralmente considerado unipessoal na tradição gramatical, só se conjugando na terceira pessoa do singular e do plural, pelo que a informação da minigramática que consultou é correcta. No entanto, é de referir que nem sempre há consenso entre os gramáticos quanto à defectividade de um dado verbo.

De facto, obras como o Dicionário de Verbos Portugueses (Porto: Porto Editora, s.d.), por exemplo, apresentam a conjugação completa deste verbo no paradigma de aprazer. Por seu lado, o Dicionário Gramatical de Verbos Portugueses (Lisboa: Texto Editores, 2007) apresenta no paradigma de aprazer a conjugação completa, com as formas unipessoais destacadas, observando que estes verbos podem ser conjugados hipoteticamente em todas as pessoas. Já o Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa (versão 1.0, Instituto Antônio Houaiss, Dezembro de 2001) menciona na conjugação de aprazer e de desprazer a observação "Este verbo, normalmente só usado nas terceiras pessoas, apresenta, quando pronominal, conjugação completa." e, na conjugação do verbo prazer, a observação "Embora alguns gramáticos admitam, para este verbo, conjugação completa, no uso corrente, constata-se apenas a conjugação defectiva".

A este respeito convém talvez transcrever o que diz Rebelo Gonçalves no seu Vocabulário da Língua Portuguesa (1966: xxx): "Indicando a conjugação de verbos defectivos, incluímos nela, donde a onde, formas que teoricamente podem suprir as que a esses verbos normalmente faltam. Critério defensável, parece-nos, porque não custa admitir, em certos casos, que esta ou aquela forma, hipotética hoje, venha a ser real amanhã; e, desde que bem estruturada, serve de antecipado remédio a possíveis inexactidões."

pub

Palavra do dia

he·ca·tos·ti·lo he·ca·tos·ti·lo
(grego hekatón, cem + grego stûlos, -ou, pilar, coluna)
substantivo masculino

[Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]  Edifício ou pórtico de cem colunas.

pub

Mais pesquisadas do dia

Siga-nos



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/acredita%C3%A7%C3%A3o [consultado em 18-02-2020]