Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
Este site utiliza cookies. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais...
pub
pub
pub
pub

pub

Pesquisa por "imbróglio" nas definições

labirinto | n. m.
    Edifício do qual é difícil sair, devido ao elevado número de divisões que se entrecruzam....

briga | n. f.
    Disputa acompanhada de confronto físico de parte a parte (ex.: briga de rua)....

Dúvidas linguísticas


É correcto usar a expressão às páginas tantas?
A locução a páginas tantas surge registada em vários dicionários de língua portuguesa, inclusive no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, na entrada página. O uso da crase nesta locução (às páginas tantas) é relativamente usual, a julgar pelo número de ocorrências em corpora e motores de pesquisa da Internet e, apesar de a locução apenas se encontrar dicionarizada sem a crase, não pode ser considerada incorrecta, uma vez que a contracção à é comum antes de substantivos femininos.



Está errado dizer: Eu vi ninguém, Eu comi nada? Por que está incorreto (se acaso for)?
Os pronomes indefinidos ninguém e nada possuem significado negativo inerente; por esse motivo só podem integrar orações que sejam negativas. Ora as frases *Eu vi ninguém e *Eu comi nada são afirmativas, razão pela qual são consideradas gramaticalmente incorrectas, como indica o asterisco (*). Assim sendo, a negação com recurso aos pronomes indefinidos ninguém e nada na posição de complemento directo exige o advérbio de negação não antes do verbo: Eu não vi ninguém e Eu não comi nada. A esta construção, comum a outras línguas românicas, dá-se o nome de “dupla negação”.

Em posição de sujeito, no entanto, e dado que exprimem negação, os pronomes indefinidos ninguém e nada dispensam o advérbio não e precedem o verbo (ex.: ninguém veio à festa; nada o impede de concorrer às eleições), sendo consideradas agramaticais as construções em que o não está presente (ex.: *ninguém não veio à festa; *nada não o impede de concorrer às eleições).

Palavra do dia

es·pon·só·ri·o es·pon·só·ri·o


(latim sponso, -are, casar + -ório)
nome masculino

1. Promessa de casamento recíproca e solene entre noivos.

2. Cerimónia de casamento.


SinónimoSinônimo Geral: DESPONSÓRIO, DESPOSÓRIO, ESPONSAIS, ESPONSÁLIAS

pub

Mais pesquisadas do dia



in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2021, https://dicionario.priberam.org/Pesquisar/imbr%C3%B3glio [consultado em 13-06-2021]