PT
BR
Pesquisar
Definições



vilãmente

A forma vilãmentepode ser [derivação de vilãovilão] ou [advérbio].

Sabia que? Pode consultar o significado de qualquer palavra abaixo com um clique. Experimente!
vilãmentevilãmente
( vi·lã·men·te

vi·lã·men·te

)


advérbio

De modo vilão.

etimologiaOrigem etimológica:vilão + -mente.
vilãovilão
( vi·lão

vi·lão

)


adjectivoadjetivo

1. Relativo a vila.

2. [Figurado] [Figurado] Rústico, grosseiro.

3. Abjecto, baixo, sórdido, vil.


adjectivo e nome masculinoadjetivo e nome masculino

4. Que ou quem nasceu ou habita em vila.

5. Que ou quem habita uma zona rural. = CAMPONÊS

6. Que ou quem não pertence à nobreza.

7. Que ou quem tem qualidades morais negativas.

8. Que ou quem é desprezível.


nome masculino

9. Personagem que representa a maldade ou o lado mau numa obra de ficção.

10. Antiga dança popular.

11. [Portugal: Açores] [Portugal: Açores] Mascarado que faz parte das mouriscas.

12. [Portugal: Trás-os-Montes] [Portugal: Trás-os-Montes] Chouriço especial trasmontano.

vistoFeminino: vilã ou viloa. Plural: vilões, vilãos ou vilães.
etimologiaOrigem etimológica:latim *villanus, habitante de uma casa de campo.
iconFeminino: vilã ou viloa. Plural: vilões, vilãos ou vilães.


Dúvidas linguísticas



Como se deve dizer? Filhó (singular) Filhós (plural) ou Filhós (singular) Filhoses (plural)?
A palavra filhós, por analogia com palavras terminadas pelo mesmo som (ex.: retrós, voz), forma o plural filhoses (ex.: escolheu a filhós mais pequena; as filhoses ainda estão quentes). Trata-se de uma variante da palavra filhó que, por sua vez, forma o plural filhós (ex.: a filhó é um doce típico do Natal; comeu duas filhós). Ao processo de uma forma plural passar a ser empregue para designar também o singular, Evanildo Bechara dá o nome de "plural cumulativo" (ver Moderna Gramática Portuguesa, Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2002, pp. 128-129). O mesmo fenómeno acontece com os substantivos ilhó e ilhós, eiró e eirós, lilá e lilás, por exemplo.

Apesar de alguns autores condenarem o uso da forma filhós para designar o singular, a mesma e o respectivo plural filhoses surgem atestados nas principais obras lexicográficas de língua portuguesa, como o Vocabulário da Língua Portuguesa (Coimbra: Coimbra Editora, 1966), de Rebelo Gonçalves, o Dicionário da Língua Portuguesa Contemporânea da Academia das Ciências de Lisboa (Lisboa: Academia das Ciências de Lisboa / Editorial Verbo, 2001) ou o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, (Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2001 / Lisboa: Círculo de Leitores, 2002).




Sobre a conjugação do verbo ‘trazer’, no futuro do indicativo, tenho a seguinte dúvida:
(1) Trar-se-ão a Portugal.
ou
(2) Trazer-se-ão a Portugal.
Será que a primeira hipótese está correcta? Não consigo encontrar qualquer tipo de referência, no entanto surge-me intuitivamente.
O verbo trazer é irregular, nomeadamente, para o caso que nos interessa, nas formas do futuro do indicativo: trará, trarás, traremos, trareis, trarão (se se tratasse de um verbo regular, as formas seriam *trazerei, ..., *trazerão [o asterisco indica forma incorrecta]).

Quando é necessário utilizar um pronome pessoal átono (ex.: me, o, se) nas formas do futuro do indicativo (ex.: telefonará) ou do condicional (ex.: encontraria), este pronome é inserido entre o radical e a desinência do verbo (ex.: telefonará + me = telefonar-me-á; encontraria + o = encontrá-lo-ia).

Como se trata da flexão irregular trarão, a forma correcta com o pronome deverá ser trar-se-ão e não *trazer-se-ão, que é uma forma incorrecta.